Premiership 19ª Jor – Exeter já está nas meias e espera por Sale

Helena AmorimSetembro 10, 20205min0

Premiership 19ª Jor – Exeter já está nas meias e espera por Sale

Helena AmorimSetembro 10, 20205min0
Já um semifinalista apurado e, sem surpresa alguma, são os Exeter Chiefs! Mas quem mais vai estar daqui a 3 semanas nas meias da Premiership?

A 19ª jornada da Premiership veio reforçar o estatuto de Bristol, Exeter e Sale como indefectíveis nos quatro primeiro lugares e veio também reforçar a corrida “taco-a-taco” de Bath e Wasps por uma presença nesse mesmo top 4.

No jogo de abertura em Ashton Gate, os Northampton Saints foram trucidados por um “Urso” extremamente letal. A equipa de Pat Lam, os Bristol Bears, facturou três ensaios na primeira parte, dois deles através dos seus mauls dominantes em direcção à linha de ensaio: até na finalização há versatilidade, ou os homens do pack avançado ou as linhas atrasadas mas a plataforma de maul que se gera mete muitos homens e consegue quase sempre retirar pontos ao adversário.

Aos Saints, foi-lhes permitido jogar um pouco nos primeiros 15 minutos da segunda parte mas num período de nove minutos, os Bears fazem quatro toques de meta, em jogadas muito fluídas, ritmadas, bola na mão e apoio. O quinto ensaio finalizado por Piers O’Connor é uma jogada de 90m sem uma única fase, num display de rugby total!

Semi Radradra volta a conseguir os números estratosféricos: 139m, 19 carries, 13 passes, 4 defesas batidos, 5 clean breaks e 3 offloads mas a equipa está muito bem no seu geral, em termos físicos e técnicos e claramente, com uma disciplina táctica muito interessante. O resultado final: 47-10.

Pat Lam ventilou um pouco o seu desagrado com a decisão de suspensão por três jogos de Siale Piutau por troca de murros com dois jogadores do Worcester; Pat alega que Siale foi confrontado com agressões de dois jogadores e apenas se defendeu.

CHIEFS VERGAM (FACILMENTE) OS CHERRIES

Exeter Chiefs receberam os aguerridos Gloucester, com um resultado final de 35-22, com cinco ensaios contra três. Ficando três jornadas a realizar, o Exeter já garantiu a passagem à fase seguinte da competição. A primeira parte foi de domínio total dos Chiefs, com Luke Cowan-Dickie, Sam Simmonds e Jonny Hill a marcarem ensaios.  Matt Banahan marcou pelo Golucester. A segunda parte foi mais equilibrada com dois ensaios para cada lado.

A equipa de Rob Baxter continua a mostrar o seu poderio, com muita agressividade positiva e muita disputa de bola; os mauls são tão bons como os do Bristol e a qualidade técnica e física dos seus jogadores, é realmente de frisar. O Gloucester de George Skivington, é talvez das equipas fora do top 14, aquela que tem mostrado um rugby muito positivo com Ruan Ackerman, Josh Gray e Matt Banahan em destaque neste jogo, onde os escalados iniciais foram completamente remodelados em relação ao jogo anterior!

Stuart Hogg saiu lesionado com um problema na perna que ainda está a ser avaliado.

Os Wasps de Londres receberam os Leicester Tigers tendo-lhes infligido uma pesada derrota de 54-7, com oito ensaios marcados pelos da casa contra um dos visitantes. Este jogo foi apenas dirigido num sentido, funcionando como um jogo treino para os Londrinos e pouco mais. Apesar dos Tigers estarem em remodelação profunda, esta exibição não se coaduna com a Liga na qual se encontram.

De salientar o hat-trick de Alfie Barbeary, o asa do lado aberto dos Wasps.

Os Sale Sharks receberam os Saracens impondo um 24-17 como resultado final. Com mais uma mudança radical na equipa, naturalmente que as exibições com este modelo, não poderão ser consistentes e mais uma vez os Sharks fizeram uma exibição menos conseguida, assim como tinha acontecido nas jornadas de reatamento da competição. Os Sharks jogaram a primeira parte e deixaram-se cair fisicamente na segunda, conseguindo apenas marcar três pontos nesse período de tempo. Continuam a ser uma equipa poderosa com certeza, mas não mostram a maior regularidade e qualidade de jogo que Exeter e Bristol conseguem mostrar.

BATH CONTINUA NA RECTA PARA CHEGAR AO PÓDIO

Bath recebeu e ganhou ao Worcester por 40-15. Worcester começou bem com uma intercepção de passe e ensaio do abertura Billy Searle mas rapidamente o Bath atinou e conseguiu fazer o seu jogo de persistência. Tom Ellis e Elliott Stooke marcam pelo Bath com ainda tempo de resposta na primeira parte de Ed Fidow, ponta esquerdo, para logo a seguir o Worcester encaixar mais dois ensaios por Jack Walker (na finalização de um dos melhores mauls dinâmicos da jornada)  e Tom De Granville (ensaio na estreia na Liga).

Após o intervalo mais dois ensaios pelo Bath através novamente de Elliott Stooke e ainda um ensaio de Josh Matevesi a “10” e com um ensaio que demonstra muita determinação.

O Bath inspirado é relativamente implacável mas tende a adormecer de quando em vez e isso poderá ser decisivo numa fase mais à frente, se a ela chegar. No último jogo da jornada, London Irish receberam os Harlequins, tendo sido derrotados por 15-38. Um jogo bem disputado com referência ao bis do abertura dos Quins Marcus Smith.

Dan Northon dos Irish com um bom ensaio, James Stokes o defesa também com uma prestação de encher o olho. Marcus Smith com uns pés bailarinos muito interessantes pelos Quins, que obtiveram a sua quinta vitória bonificada esta época.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter