Junho – o mês de Gales, Japão e Estados Unidos!

Rodrigo FigueiredoJunho 20, 20184min1

Junho – o mês de Gales, Japão e Estados Unidos!

Rodrigo FigueiredoJunho 20, 20184min1
O mês de Junho já vai a mais de meio e os jogos internacionais não param de nos surpreender. O País de Gales segue com três vitórias consecutivas e os EUA fizeram história ao vencer a Escócia. Eis a análise a alguns resultados e ao que falta jogar este mês.

Warren Gatland e a recuperação de Gales

Como país com pouco mais de 3 milhões de habitantes, Gales tem tido dificuldades em conseguir uma base alargada de jogadores capazes de competir a nível internacional. A qualidade dos seus jogadores é inegável mas Gatland sempre teve dificuldades em preencher posições-chave quando os habituais titulares faltavam por lesão/castigo. Um outro problema é o facto de alguns jogadores jogarem fora do país. Ainda assim, e com a subida de forma dos Scarlets, o selecionador de Gales conseguiu montar para a digressão de Junho uma equipa consistente que alia à juventude de Adam Beard, por exemplo, a experiência de Moriarty ou North. As três vitórias consecutivas: contra os Springboks nos EUA, contra a Argentina em San Juan e Santa Fé, mostram que Gatland soube reinventar-se dentro de uma seleção que já leva 102 jogos ao seu comando (52 vitórias, 48 derrotas e 2 empates). Nota máxima para Gatland e seus pupilos que saem desta janela internacional com uma motivação acrescida para prepararem o Mundial do próximo ano.

Oh, say, can you see, by the dawn’s early light…

Os USA Eagles provocaram a surpresa do mês de Junho! Depois de uma confortável vitória frente à Rússia por 62-13, levaram de vencida a Escócia de Townsend. Num jogo com muitos pontos e muito equilibrado, os americanos conseguiram a proeza de vencer uma equipa do Tier 1 da World Rugby. Já com resultados excelentes obtidos na variante de Sevens (vitória na etapa de Las Vegas), os Eagles começam a mostrar o seu potencial no XV e a médio prazo poderão causar maiss dissabores a outras nações do Top 10 do ranking da World Rugby. Em Novembro deste ano, terão um teste de fogo quando se deslocarem ao Aviva Stadium,em Dublin, para defrontarem a Irlanda. Para já, as indicações dos comandados de Gary Gold são extremamente positivas tendo ganho 9 dos seus últimos 10 jogos, perdendo apenas para a Geórgia, em Tblissi, por um ponto! A super-estrutura desportiva dos Estados Unidos terá um papel fundamental em assegurar que o recente sucesso da sua selecção terá resultados duradouros  e sem dúvida que o Mundial será uma oportunidade para esta selecção. Incluídos no considerado grupo “da morte”, os Estados Unidos enfrentarão França, Inglaterra, Argentina e Tonga e o objectivo passará certamente por baralhar as contas do grupo. We’ll see!

O caos mais organizado do Mundo (excepto All Blacks)

O Japão é actualmente uma das equipas a praticar melhor Rugby a nível internacional. Isto não quer dizer que tenham ganho mais vezes mas estarão certamente mais próximos de o fazer num futuro próximo. Depois da famosa vitória diante a África do Sul no Mundial 2015, ainda sob comando de Eddie Jones, alguns temeram que a saída do treinador pudesse ter efeitos negativos. Pelo contrário, ainda que aliado à subida de rendomento dos Sunwolves no Super Rugby, que só recentemente saborearam vitórias frente aos Reds e Stormers, os “Brave Blossoms” têm-se mantido competitivos e praticam um Rugby altamente atractivo. Com um empate contra a França e vitória sobre Tonga em Novembro, o Japão continua a sua caminhada até 2019, altura em que receberá o Mundial nos seus estádios. Se mantiver este desempenho poderá ambicionar uma inédita qualificação para os quartos-de-final uma vez que tem pela frente a Irlanda, a Escócia e a Rússia para além do vencedor do Playoff, ainda por determinar quem será. Aguardamos com expectativa por mais ensaios incríveis mas também por melhores decisões sobre pressão, aspecto fundamental para se ganharem jogos ao mais alto nível.

Highlights do último jogo: Japão vs Itália (ver até min 6)

E a seguir?

Bem, o último fim de semana de jogos internacionais em Junho está repleto de clássicos. Desde o sempre físico Fiji vs Tonga, ao duelo das américas Canadá vs Estados Unidos, há muito mais para além das já decididas Series (NZL vs FRA e RSA vs ENG) e da “negra” no Austrália vs Irlanda. O Japão recebe a Geórgia enquanto a Argentina recebe a Escócia, jogo este em que ambas procurarão redimir-se das mais recentes derrotas. O rugby Internacional volta em Novembro mas este será um fim-de-semana repleto de muito e bom Rugby! Não percam!

 

 


One comment

  • Miguel Portela

    Julho 4, 2018 at 4:27 pm

    Lógica Italiana . A Italia ganha ao Japão e o Japão á Georgia logo a Itália é que merece estar no 6 nações e não é preciso jogos com a Georgia para provar isso.

    Lógica Americana. Os USA ganharam á argentina e á Escócia é que merecem estar no 6 nações além disso apesar de não serem europeus são anglo-saxônicos ao contrario dos Italianos…

    Vamos ver qual é a lógica que prevale 😀 (também existe a lógica georgiana mas essa claramente ninguém quer saber porque a Geórgica não trás € nenhuns ao 6 nações!)

    Reply

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter