ERCC 19/20: Leinster e Exeter a mostrarem as garras

Helena AmorimDezembro 18, 20195min0

ERCC 19/20: Leinster e Exeter a mostrarem as garras

Helena AmorimDezembro 18, 20195min0
Os irlandeses do Leinster continuam a esmgar a competição no seu grupo e são o claro candidato ao título em 2020! Mas quem é que já se apurou também para os quartos da ERCC?

Altura de começarem a definir-se os competidores que passam aos quartos de final. Antes do ano novo, a quarta e antepenúltima ronda da Heineken Champions Cup, ajudou a definir posições assim como a alentar alguns espíritos mais pesarosos. Nova jornada: em Janeiro de 2020!

LEINSTER ESMAGA E EXTER CHIEFS PROMETEM APURAMENTO

O Grupo 1 tem agora um clube que já fez história! O vencedor por 4 vezes da edição,o Leisnter, conseguiu garantir os quartos de final com ainda duas rondas a realizar-se, sendo a  primeira equipa a fazê-lo.

Num jogo frente aos Northampton Saints, sete ensaios e um hat trick de Gary Ringrose foram a marca para este grande feito. É sem dúvida o grande fornecedor de elementos para selecção, veja-se os 45 chamados por Andy Farrell: 19 são da província do Leinster e nem chamou o Rob Kearbey, senão seriam 20!

O Treviso conseguiu a sua primeira vitória, desta feita em casa e frente ao Lyon por 25-22. O Treviso começou muito bem com dois ensaios em 14 minutos pelos pontas Leonardo Sato e Monty Ioane. O Lyon foi-se impondo e conseguiu superiorizar-se no marcador. Com 18-22 a oito minutos do fim, antevia-se a segunda vitória do Lyon na competição mas Marco Lazzaroni marca debaixo dos postes , finalizando uma bonita jogada dos Italianos. Marco foi o herói inesperado mas sem dúvida a fornecer um booster de alegria para os adeptos presentes no Stadio Comunale di Monigo.

No Grupo 2, o Exeter defrontou o Sale Sharks e ganhou categoricamente por 35-10 e o Glasgow ficou engasgado frente aos Franceses do La Rochele ao terem-se permitido perder por 7-12.

Exeter segue em primeiro com 19 pontos, Glasgow com 9, Sale com 6 e La Rochelle com 5. Em relação ao Exeter, a questão já se centra no facto de o Sandy Park ter 13600 lugares, 1400 a menos que o mínimo considerado para os quartos de final. Isto porque os primeiros 4 classificados nos grupos terão direito a ter quartos de final caseiros, sendo as semi-finais realizadas no país com o clube que esteja com melhor cotação no embate a considerar.

No Grupo 3, mais uma exibição cheia do Ulster e do Clermont. O Clermont recebeu no Stade Marcel-Michelin o Bath e espraiou-se com oito ensaios nos oitenta minutos de jogo. Inclusivamente, já tinha o ponto de bónus ofensivo ao fim de 21 minutos, o que realmente diz da precisão e objectividade da equipa neste jogo. Irão defrontar o Ulster em Janeiro, o que ajudará a decidir o topo da tabela.

Por seu lado, o Ulster viajou até à casa dos Quins, o Twickenham Stoops, para lhes inflingir uma derrota por 10-34. 19 pontos de John Cooney…quem mais?!

Ulster comanda assim o grupo 3, seguido de muito perto pelo Clermont com 16, Quins com 5 e Bath  com 3 pontos.

Chegando ao Grupo 4, o Racing continua a liderar a tabela de pontos, desta feita com 17, depois da vitória por 40-27 frente aos Ospreys, que apesar de seguirem em última já têm um pontinho. No Paris La Défense Arena, o Racing dominou durante 55 minutos com 40-5 no resultado. Os Ospreys de orgulho ferido conseguiram ganhar o seu primeiro ponto, fruto de quatro ensaios em 15 minutos.

No outro jogo, os Saracens mostraram que ainda não atiraram a toalha ao chão, ao conseguirem vencer o Munster por 15-6. O Munster vai em segundo com 11 pontos e Sarrries já com 10. Stephen Larkham o teinador da província do Munster já fez saber que conta ganhar os dois últimos jogos.

Finalmente, o Grupo 5 teve dois  jogos: Connacht-Gloucester 27-24, onde a província Irlandesa a perder com uma diferença de 11 pontos a 3 minutos do fim, conseguiu revolucionar o resultado pelos esforços de ensaio de Shane Delahunt e Robin Copeland. O Montpellier-Toulouse ficou em 18-26. Em termos classificativos começa a ficar tudo mais definido com o Toulouse bem destacado com 18 pontos, seguido de Gloucester com 9, Connacht com 8 e Montpellier com 5.

LARMOUR “DANÇA” E OS PONTAS DO RACING DESLUMBRAM

Nos destaques aos jogadores, Bundee Aki foi o homem do jogo pelo Connacht com 55 metros ganhos em 18 carries e com 5 defesas batidos. O centro continua a ser uma força disruptiva muito importante.

Jordan Larmour do Leinster teve “só” este apontamento estatístico: 10 carries, 11 defesas batidos, 3 clean breacks e 124 m. Aponta-se a “15” da Irlanda? Pois claro que aponta!

Ainda sobre a sensação Samuel Ezeala, ficam aqui alguns apontamentos sobre este jogador de 20 anos do Clermont. Nasceu em Barcelona de mãe Nigeriana e aos dois anos de idade foi adoptado por pais espanhóis. Começou pelo futebol mas cedo, o ambiente do rugby o “roubou” ao futebol. Teve uma estreia pelo Clermont frente ao Racing a 7 de Janeiro de 2018, onde, depois de um embate violento com Virimi Vakatawa, cai inanimado no chão. Foi um choque ultrapassado e hoje, o jogador que ainda não decidiu se joga pela Espanha ou França, com 1.88m e 97 kg, está no entanto, bem lançado para se quedar com os Franceses de Fabien Galthié.

Simon Zebo e Juan Imhoff têm sempre sido excelentes representantes do emblema Francês do Racing 92, mas nesta jornada entre ambos, marcaram três ensaios, o que é mais uma nota que valoriza os prestimosos desempenhos que têm tido.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter