ERCC 19/20: equipas francesas em grande na 5ª ronda

Helena AmorimJaneiro 14, 20203min0

ERCC 19/20: equipas francesas em grande na 5ª ronda

Helena AmorimJaneiro 14, 20203min0
Houve um empate espectacular entre Warriors e Chiefs, mas o destaque da semana vai para as excelentes prestações das formações francesas nesta 5ª ronda da Heyneken Champions Cup

Penúltima jornada da fase de grupos da Champions Cup ajudou a esclarecer algumas dúvidas, pondo a descoberto mais equipas a passarem aos quartos de final da prova.

LEINSTER DOMINA E CLASH ESPECTACULAR EM GLASGOW

No Grupo 1, o Leinster continua imparável com mais uma vitória, desta feita frente ao Lyon por 42-14. Os seus 24 pontos amealhados (a equipa em todos os grupos com mais pontos até ao momento) já garantiu uma passagem à fase seguinte da prova e sem dúvida que se propõem como potenciais finalistas. Leinster fez vinte e um pontos em cada parte com o Lyon apenas a conseguir facturar nos primeiros 40 minutos de jogo.

Ainda no mesmo grupo os Northampton Saints levaram o Treviso de vencida por 33-20 e seguem assim em segundo lugar com 14 pontos. Batalharam bastante, na medida em que a apenas 15 minutos do fim, o Treviso levava a vantagem por 20-19.

Quanto à Pool 2, os Exeter Chiefs garantiram a passagem à fase seguinte com um empate com o Glasgow a 31 pontos. Glasgow entrou no jogo com grande determinação mas a sua habitual displicência e a maior disciplina e poderio físico de Exeter, começou a fazer diferença. Hogg ainda teve nos pés uma oportunidade de três pontos, mas 60m provaram ser demais para ele. O La Rachelle bateu o Sale por 30-23, ficando as posições entre segundo e quarto espaçadas a poucos pontos: Glasgow com 12, La Rochelle com 10 e Sale com 7.

No Grupo 3, o Clermont está muito bem lançado para a qualificação com 20 pontos e uma vitória aos seus mais directos opositores, o Ulster. A exibição na segunda parte foi muito bem conseguida com um perfeito envolvimento entre a avançada e as linhas atrasadas. O Bath foi surpreendido por uns Harlequins que parecem ter acordado um pouco tarde na competição.

No Grupo 4, o Racing mostrou o seu domínio frente ao sempre difícil Munster, batendo-o por 39-22, ficando assim em primeiro lugar com 22 pontos e já qualificado. Os Saracens conseguiram derrotar os Ospreys por 15-22 e conseguem aguentars-e num segundo lugar com 14 pontos.

No Grupo 5, o Toulouse esmagou o Connacht por 7-21 e tem a qualificação segura com 22 pontos. O Gloucester cilindrou o Montpellier por 29-6. Boa ponta final do Gloucester, que já lhes garante um segundo lugar com 14 pontos, a 6 do Connacht e a 9 do desapontante Montpellier.

O empate incrível entre Glasgow e Exeter Chiefs com o tal pontapé incrível de Hogg que bateu na barra

THE ZAMMIT ZONE E FAMUINA A CARBURAR

Quanto a destaques de jogadores, de referir esta semana Dave Kearney e Max Deegan, do Leinster. O ponta direito e o “8” são jogadores de excelência que frente ao Lyon tiveram prestações superiores.

Harry Mallinder é um “15” muito honesto e competente para os lados do Franklins Garden e Stuart Hogg fará o mesmo pelos seus novos Exeter. Tommaso Benvenuti é um animal de trabalho, na sua posição a segundo centro no Treviso e Nic White, está para os Exeter como Faf está para os Sale.

Pelo Gloucester, Louis Rees-Zammit continua a fazer estatística, desta feita com uma exibição para man of the match frente ao Montpellier. George Moala e o seu imponente físico neozelandês foram da mais fulcral importância neste jogo do Clermont.

Charles Faumuina, o pilar direito do Toulouse fez uma exibição para man of the match com boas prestações na formação-ordenada e com algumas incursões no jogo aberto. Será que ainda vale a pena falar de Cooney!? Pois claro que sim! Mais uma boa exibição do formação do Ulster.

O grande ensaio do Clermont terminado por George Moala aos 2:50


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter