Ricardo Costa e o Sporting CP: a irreverência em busca da glória

Bernardo GalanteJulho 14, 20226min0

Ricardo Costa e o Sporting CP: a irreverência em busca da glória

Bernardo GalanteJulho 14, 20226min0
A chegada de Ricardo Costa aos "leões" acabou por significar um retorno aos troféus, e Bernardo Galante analisa a importância do treinador para o Sporting

Fez carreira como jogador no Futebol Clube do Porto e possuiu uma passagem fugaz como treinador, contudo é em Alvalade que se vai afirmando: eis Ricardo Costa e o “seu” Sporting.

Uma vida na Invicta antes de envergar pelo treino

Ricardo Costa foi um ex-jogador que atuou durante cerca de oito anos no Futebol Clube do Porto, onde conquistou os títulos mais importantes da sua carreira, valendo-lhe 147 partidas pela seleção das quinas.

Formado no Colégio dos Carvalhos, Ricardo ingressou no Boavista Futebol Clube em 1994, naquela que seria a sua primeira viagem por clubes da cidade invicta, contudo, a estadia durara apenas duas temporadas: em 1996, assinaria pelo Futebol Clube do Porto. Nos dragões, conquista o seu primeiro troféu como jogador dois anos depois de ter chegado, em 1999, sagrando-se campeão nacional. Este seria o primeiro de oito títulos conquistados na sua carreira como atleta, seguindo-se mais três Campeonatos Nacionais, três Supertaças Portuguesas e uma Taça da Liga Espanhola, ao serviço do Ademar León.

O ex-internacional A pela seleção portuguesa representou o Futebol Clube do Porto entre 1996 e 2003, regressando para se despedir dos pavilhões em 2011, após passagens pelo Águas Santas, CB Algeceiras e Ademar León. A nível de seleções, Ricardo Costa representou por 147 vezes e anotou 399 golos, tendo competido em três Mundiais e três Europeus ao serviço de Portugal.

A caminhada como jogador profissional de andebol terminou em 2011, havendo de forma imediata uma transição para o outro lado do jogo: o treino.

A caminho da 12ª temporada no exterior da quadra

Em 2011, o técnico natural do Porto teve a sua primeira experiência a dirigir uma equipa no clube que o viu nascer para a modalidade: o Colégio dos Carvalhos. À data, era o timoneiro da equipa de juvenis, onde atuava Diogo Silva e Miguel Alves. Na temporada seguinte, tornou-se num dos adjuntos de Ljubomir Obradovic no FC Porto, sendo que em 2013/14 volta ao Colégio dos Carvalhos para orientar a equipa de infantis – pela primeira vez treinava o seu filho Martim.

Na época 2014/15 é anunciado como treinador do ADA Maia / ISMAI, sendo que pouco tempo depois acumularia essa função com a de selecionador cabo-verdiano – a experiência internacional durou duas épocas – e em 2015 voltaria ao dragão, mas desta feita para assumir o comando técnico da equipa principal. Entre 2015 e 2017 foi o comandante do barco portista não conseguindo conquistar qualquer título, algo que o obrigou a recuar e a assinar pelo Futebol Clube de Gaia na época 17/18. Nas três épocas a servir o FC Gaia, Ricardo conseguiu o título de campeão nacional da 2ª Divisão, subindo de divisão, seguindo-se duas épocas extremamente positivas no patamar mais alto do andebol nacional.

Em 2020, muda-se para Avanca, de forma a comandar a Artística, sendo que essa foi a ponte a atravessar até ao comando técnico do Sporting Clube de Portugal, onde é o líder de um projeto irreverente e ambicioso.

A chegada a Alvalade para abraçar um projeto a médio prazo

A época de 2021/22 marcou um novo rumo para o andebol leonino. Carlos Carneiro, antigo jogador do clube, assumia a pasta de Diretor Desportivo e Ricardo Costa passaria a ser o timoneiro do clube com o auxílio de Ricardo Candeias (ex-guarda-redes do Sporting CP, SL Benfica e FC Porto) como adjunto. A mudança de paradigma era evidente e iniciar-se-ia com a apresentação de Ricardo Costa.

Contudo, Ricardo não seria o único a trocar o Norte pela capital portuguesa. Martim e Francisco Costa – filhos de Ricardo e duas das maiores promessas do andebol nacional – trocavam o FC Porto pelo Sporting CP, numa altura em que Pedro Valdés fazia o caminho inverso. O paradigma, oficialmente, alterava-se.

Para além dos irmãos Costa, os verdes e brancos asseguravam também a contratação de outra promessa do andebol nacional: André José, central de 20 anos (atualmente com 21) proveniente do ABC de Braga. Contudo, a posição de central não ficaria fechada – Natán Suárez chegaria proveniente do Ademar León. Os leões assegurariam assim uma esperança do andebol espanhol e três prodígios portugueses.

A aposta no mercado interno também foi um dado evidente e, para além de Martim, Francisco Costa e André José, a turma comandada por Ricardo Costa reforçar-se-ia com Yassine Belkaid (guarda-redes ex-Vitória FC) e Erekle Arsenashvili (pivô ex-ABC).

Contudo, os responsáveis leoninos decidiram adicionar mais maturidade a um plantel recheado de irreverência. Jonas Tidemand, pivô de 27 anos, ex-Skjern; Josep Folqués, ponta-esquerdo de 26 anos, ex-CB Benidorm e Mamadou Gassama, ponta-direito de 28 anos, ex-Granollers, chegariam para reforçar o Sporting versão 21/22.

O “novo” Sporting encantou a europa do andebol, muito por culpa da eliminatória frenética, a contar para os oitavos de final da EHF European League, frente ao SC Magdeburg, onde os portugueses foram eliminados por um golo de diferença. Internamente, venceram a Taça de Portugal batendo o SL Benfica (vencedor da EHF European League) e o FC Porto (tricampeão nacional), em formato Final4.

O futuro poderá ser risonho e a época que se avizinha, aparentemente, deverá servir para limar arestas…

Movimentações a pensar na próxima temporada

A estratégia do Sporting de Ricardo Costa parece assentar na rentabilização máxima de todos estes jovens talentos, contratando apenas para colmatar algumas vagas no plantel leonino.
Começando pela baliza, Leonel Maciel (ex-Barcelona) foi o escolhido para colmatar as saídas de Matevz Skok (Gorenje Velenje) e de Yassine Belkaid (RK Celje), perspetivando-se que fará dupla com Manuel Gaspar.

Na posição de pivô é oficial a saída definitiva de Erekle Arsenashvili (Puente Genil), juntamente com os empréstimos de António Machado (Vitória FC) e Eduardo Almeida (Académico de Viseu) e isso abriu espaço para a contratação do internacional polaco, Patryk Walczak (ex-RK Vardar).

Segundo os meios especializados, Étienne Mocquais, ponta-esquerda que atuava no Tremblay HB irá reforçar os leões, aguardando-se apenas confirmação oficial. Hanser Rodríguez e Duarte Seixas vão ser emprestados por uma época ao ABC de Braga e Académico de Viseu, respetivamente.

Os jovens Ronaldo Almeida e Benjamim João também serão emprestados a ABC de Braga e Académico de Viseu, respetivamente. Ao que tudo indica e, segundo as declarações de Ricardo Costa ao portal Sports Magazine, deverá haver mais uma entrada (podendo ser o pivô brasileiro Edy Silva, segundo o Record), contudo a estratégia na juventude parece estar bem patente no seio leonino.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter