A retoma da Ginástica Acrobática em Portugal e no Mundo

Sofia GoulartJulho 4, 20203min0

A retoma da Ginástica Acrobática em Portugal e no Mundo

Sofia GoulartJulho 4, 20203min0
A Ginástica Acrobática está a trabalhar no sentido de regressar aos treinos em Portugal, sendo que no Mundo já há novidades em relação a datas de torneios e competições! Damos a conhecer algumas novidades e notícias neste artigo

No seguimento das diretrizes anunciadas pela Direção Geral de Saúde em Junho, com vista à retoma gradual dos treinos presenciais, veio agora a Federação de Ginástica de Portugal divulgar o calendário competitivo para o ano 2021.

Ainda que provisória – na medida em que está dependente da evolução da pandemia a nível mundial – esta calendarização irá permitir que os clubes se organizem e iniciem a preparação dos seus ginastas para a próxima época desportiva.

Recordamos que no próximo se ano se vão realizar, para além do habitual circuito de Taças do Mundo,  o Campeonato do Mundo de Ginástica Acrobática em Junho, na Suíça, mas também o campeonato da Europa, no inicío de Outubro, em Itália. Esta solução atípica foi a decisão tomada e anunciada pela FIG há uns meses, consendando, atipicamente, num único ano, duas grandes provas na modalidade da Acrobática.

Para além destas duas competições, 2021 seria também o ano de realização dos Jogos Mundiais (”World Games”), uma prova que só acontece de 4 em 4 anos mas que, devido ao adiamento dos Jogos Olímpicos, foi também reprogramada para o ano 2022.

Numa altura em que reinam muitas incertezas e se assiste à suspensão ou cancelamento de muitas competições das mais variadas modalidades, foi com tristeza e alguma incredulidade que recebemos esta semana a notícia de que o Cirque du Soleil(CdS) iniciou o processo de insolvência da companhia, dispensando, de imediato, cerca de 3.500 trabalhadores.

Em Março, o Cirque du Soleil foi forçado a interromper a realização de vários espetáculos que decorriam em simultâneo em vários países, um pouco por todo o mundo. Com uma dívida de milhões de dólares e sem haver entrada de receita, o CdS viu-se obrigada a adotar esta opção – em Maio deste ano, Guy Laliberte que tinha vendido em Fevereiro 90% dos direitos que detinha, afirmou o interesse de recomprar o CdS com uma possível ajuda do Governo do Canadá, de forma a relançar a marca.

A companhia circense reúne um ”leque” de artistas muito diversificado – a esmagadora maioria são ex-ginastas, que aguardam agora pelo regresso ao ativo e às perfomances de “luxo” a que habituaram o público mundial.

Por cá, ficamos a aguardar por melhores dias para nos nossos atletas, para que possam também regressar aos treinos em segurança, mas também o reinício das competições gímnicas com pavilhões cheios e as bancadas repletos de pessoas a aplaudi-los, sendo que a Federação de Ginástica Acrobática de Portugal já lançou um manual de normas a seguir para o regresso aos treinos, competições e eventos internacionais.

Daniel Lamarre, CEO do CdS, explica a situação da empresa


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter