E se os prémios da NBA 21 fossem entregues hoje?

João FerreiraJaneiro 7, 20213min0

E se os prémios da NBA 21 fossem entregues hoje?

João FerreiraJaneiro 7, 20213min0
Prémio (des)revelação? Equipa revelação? MVP? Quem seriam os vencedores destas destaques da NBA caso a entrega dos prémios fosse hoje?

Se pudéssemos dizer no inicio da época da NBA que uma equipa ia estar mesmo muito mal ou que este e aquele jogador iam ser as surpresas, até agora, de uma liga que esteve demasiado tempo parado, muita gente diria que ou é muito cedo para afirmar tal coisa ou que, tal como dizia João Pinto, “prognósticos só no final do jogo”.

A verdade é que a intuição de adeptos que já assistem há anos à NBA deixa-me dizer com alguma certeza (não total), que já existem algumas equipas/jogadores candidatos a prémios ao longo desta época. Poderá ser meio escandaloso aquilo que vou afirmar de seguidas mas…

Jogador (Des)Revelação

Por vezes pensamos que conhecemos os jogadores da NBA como se fossem nossos familiares. Seguimos e vemos como vivem a sua vida e depois comentamos com os nossos amigos como se do nosso círculo fizessem parte. A verdade é que os jogadores vivem num mundo à parte e são uns privilegiados em relação a todos aqueles que vivem enquanto comum dos mortais.

No entanto, parece que um jogador desceu do seu pedestal, onde se encontra à dois anos, para se juntar ao comum dos mortais- Luka Doncic. O jogador apareceu claramente com excesso de peso, o que não lhe permite ganhar vantagem sobre os seus defensores com o seu já habitual step back. Luka já não é um jogador rápido, e tem o peso de levar uma equipa às suas costas e uma liga que acredita que pode ser este ano que se revela como o MVP. Não começou bem a época, vamos ver.

Equipa Revelação

Esta é, para mim, uma questão que já está fechada e é claramente indiscutível. Pensemos, primeiro, onde andavam os Atlanta Hawks no ano passado? Nos últimos lugares da Conferência Este (nem é a Conferência mais forte!) e notava-se um claro desfasamento entre a qualidade individual que se reconhecia à equipa que conta com Trae Young, um dos melhores bases da NBA neste momento.

Juntaram Clint Capela, Danilo Gallinari e Rajon Rondo a um roster com clara inexperiência e conseguiram potenciar todos os jovens que já tinham: John Collins, De’Andre Hunter, Cam Reddish e Kevin Huerter.

Esta equipa irá chegar muito longe e irá às meias-finais de playoffs da Conferência Este.

Most Improved Player (mas já não vai ser)

É daqueles azares da vida, tanto para mim como para o jogador em questão. Se este artigo tem saído ontem, tinha a legitimidade suficiente para dizer que estava a escrever sobre o futuro MIP deste ano e que finalmente víamos o porquê de ter sido 1st pick do Draft pelos Philladelphia 76ers.

Já sabe quem é? Claro que sabe. Markelle Fultz tem tido uma evolução assombrosa em Orlando e assenta que nem uma luva numa equipa que tem muito para oferecer a uma Conferência Este pobrezinha. Contava com uma média de 12.9 pontos por jogo, de 3.1 ressaltos por jogo e 5.4 assistências por jogo. Mas tinha vindo a fazer exibições de encher os olhos e de entregar já este título da NBA.

A verdade é que o jogador se lesionou na noite passada, ao rasgar os ligamentos cruzados do joelho esquerdo e por isso irá estar fora até ao final da época.

As melhoras, Markelle!


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter