Patinagem sem competição? Porque não?

Francisco FigueiredoJunho 8, 20182min0

Patinagem sem competição? Porque não?

Francisco FigueiredoJunho 8, 20182min0
A patinagem resume-se à competição? Claro que não! Há todo um mundo em patins fora da exigência que a competição traz! Descobre tudo!

Por vezes temos patinadores que não pretendem seguir uma variante competitiva. Não conseguem rever-se num jogo de hóquei, numa prova de patinagem artística ou numa prova de patinagem de velocidade. Então não existe espaço para eles no mundo da patinagem? Claro que existe!

É comum, por toda a Europa, a organização de passeios transversais a todas as idades. Estes passeios percorrem diversas artérias das principais cidades europeias, como Paris, Dijon, Berlim, entre muitos outras. Esta forma de estar permite que, durante a atividade, famílias completas possam conviver e desfrutar do prazer de patinar livre de pressões competitivas. Começamos a assistir a pequenos movimentos neste sentido, fundamentalmente grupos de amigos que se juntam para fazerem passeios em ciclovias e zonas pedonais. Mas a grande envolvência das autarquias e poder local neste tipo de eventos ainda não é uma realidade em Portugal.

Este tipo de atividades ganha cada vez mais razão para existir, pois o tempo que as famílias vão tendo para estar juntas é diminuto, pelo que aliar a prática de exercício a momentos em família é uma mais-valia. Com as dicas de iniciação que já fornecemos, todos podem iniciar e deslizar um pouco, ocupando o seu tempo sobre rodas.

Existem também alguns clubes que já organizam algumas destas atividades, sejam elas em modo de passeio, seja em modo de atividade lúdica. Existem até Associações de modalidade, como é o caso da Associação de Patinagem da Madeira, que contempla nos seus planos de atividades momentos lúdicos para os mais jovens. Esta é uma vertente que Portugal deve continuar a explorar, pois existem ex-patinadores e novos patinadores com idades mais avançadas que não pretendem de todo competir, mas adoram patinar.

O escalão de Masters (ou veteranos) que, a muito custo, a Federação de Patinagem de Portugal já regulamentou na Patinagem de Velocidade, continua a ter uma vertente competitiva muito vincada. Estes elementos com mais idade poderão ser (e geralmente são!) diretores de secção nos clubes federados, pais que acompanham e trazem filhos e netos para a patinagem, delegados, dinamizadores, monitores, etc., dando um contributo muito importante para que as modalidades patinadas ganhem consistência e organização.

E já agora, nunca é tarde para aprender a patinar!


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter