Patinagem de Velocidade – Quero Abrir um núcleo: o que faço?

Francisco FigueiredoAbril 23, 20183min0

Patinagem de Velocidade – Quero Abrir um núcleo: o que faço?

Francisco FigueiredoAbril 23, 20183min0
Como abrir uma secção de uma modalidade? Francisco Figueiredo explica como abrir um núcleo na Patinagem de Velocidade! Segue as nossas dicas!

Por vezes somos imbuídos de um espírito aventureiro para lançar um novo projeto ou de procurar novos desafios. E porque não iniciar um projeto ligado a esta espetacular modalidade da Patinagem de Velocidade?

Ao longo dos anteriores artigos fomos dando algumas dicas mais técnicas sobre a iniciação à patinagem, bem como de introdução à Patinagem de Velocidade. Acontece que muitas vezes não temos um projeto onde as por em prática… Então, porque não colocamos mãos à obra?

1 – Precisamos, numa fase inicial, de um piso para a prática que seja liso. Não tem que ser obrigatoriamente num pavilhão (embora, por razões óbvias, seja mais confortável…). Cimento ou até mesmo um sintético servem para a abordagem inicial.

Claro está que, com a evolução dos patinadores, irá tornar-se necessário um piso que ofereça menos atrito e permita mais deslize. No entanto, para a aprendizagem, poderá mesmo ser utilizado um piso com sintético, que impedirá exceções de velocidade em fase de aprendizagem e quedas desnecessárias por falta de domínio dos patins.

2 – Comece sem pressas. Querer que os patinadores sejam de repente “atletas de topo” poderá levar também ao abandono precoce, pois geralmente esse sucesso não é instantâneo, como em qualquer área da nossa vida.

3 – Organize-se: estabeleça um plano de ação que contemple formas de divulgação das atividades, objetivos a atingir, locais de treino,  entre outras questões que considere pertinentes. Importante é saber onde quer chegar, como e quando. Ter um plano de ação irá facilitar a abordagem de pais e outros agentes que queira trazer consigo nesta aventura.

4 -Procure várias soluções de cobertura de riscos do treino. Para um início de atividade um seguro de atividades de lazer é suficiente para que consiga trabalhar sem percalços. Quando pensar em competir, o ideal é procurar saber qual a Associação de Patinagem da área onde desenvolve o seu projeto. Geralmente estes projetos estão associados a uma coletividade já existente (mais pratico) ou pode optar por constituir a sua própria coletividade/clube (mais complexo).

Em todo o caso o fundamental é ter vontade de arrancar com um grupo de patinadores que tenha vontade de aprender. Depois, com persistência e objetividade é ir ultrapassando as várias etapas que já aqui propusemos!

Ah, e não se esqueça que se vai trabalhar com crianças, eles não são adultos em miniatura. Precisam de um trabalho adequado ao seu desenvolvimento físico e psicológico.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter