NHL 2020: previsões para a Ronda de Qualificação (Conferência Oeste)


NHL 2020: previsões para a Ronda de Qualificação (Conferência Oeste)

A NHL vai recomeçar e as eliminatórias na conferência oeste e este estão prestes a rodar! Os destaques e a análise das eliminatórias-base da Conferência Oeste desta NHL 2020

A NHL está mesmo quase a regressar e o novo formato dos playoffs promete ser eletrizante, visto que pela primeira vez na história é dada a oportunidade de um tudo ou nada para os primeiros 12 de cada conferência, em vez dos habituais 8. Neste artigo irei fazer uma breve análise e previsão de um vencedor a cada embate da ronda de qualificação da Conferência Oeste.

Emonton Oilers (5º) vs Chicago Blackhawks (12º)

No embate entre Edmonton Oilers e Chicago Blackhawks, se ignorarmos classificações finais e analisarmos corretamente estas duas equipas verificamos que não são duas formações assim tão diferentes, isto porque enquanto os Oilers têm os jogadores mais produtivos da NHL (McDavid e Draisaitl), não nos podemos esquecer do real valor das duas figuras dos Blackhawks (Kane e Toews) e da experiência ganhadora (3 Stanley Cups) em playoffs destes 2, apesar de não estarem já em auge de carreira como os dois craques dos Oilers.

Depois a questão da baliza será crucial aqui porque o estilo de jogo das duas equipas é semelhante (muito ofensivo e em transições rápidas) e então em Edmonton temos Mike Smith que arrasa sempre nos playoffs. Contudo ao longo da regular season não se tem demonstrado lá muito regular, e, Koskinen com 0 experiência de playoffs. Já do outro lado, Robin Lehner, que no ano passado foi um monstro nos playoffs, se este ano estiver à altura também penso que os Blackhawks terão uma verdadeira chance de bater os Oilers, e precisamente por acreditar que a experiência irá derrotar os jovens, faço a ousada previsão de passar os Chicago Blackhawks à 1ª ronda dos playoffs.

Nashville Predators (6º) vs Arizona Coyotes (11º)

Depois iremos ter frente a frente os Nashville Predators e os Arizona Coyotes, onde em ambos os lados podemos verificar duas equipas bastante homogéneas na sua essência, com bastantes soluções para a 3ª e 4ª linhas ofensivas. Na baliza dos Predators, Rinne é sem dúvida uma mais valia nos playoffs e na dos Coyotes, Kuemper tem surpreendido tudo e todos e ainda tem Raanta que é um backup à altura.

Na defesa talvez os Predators tenham mais soluções sólidas (Josi, Ellis e Ekholm) que os Coyotes (Ekman-Larsson) e pode estar aí um dos fatores que os meta como favoritos para esta ronda e sendo este confronto talvez na minha opinião o que será o mais renhido de todos desta conferência, é uma dor de cabeça tentar adivinhar um vencedor, mas tendo eu de escolher um, escolho os Nashville Predators.

Vancouver Canucks (7º) vs Minnesota Wild (10º)

Já no embate entre Vancouver Canucks e Minnesota Wild temos de fazer uma análise muito pormenorizada, visto que vamos mais uma vez ter à prova a qualidade jovem vs experiência e falando da qualidade jovem, destaco obviamente dos Canucks, onde monstros da qualidade e irreverência como Elias Pettersson e Quin Hughes (os dois principais) irão ser postos à prova em ambiente de playoffs sem esquecer o ainda capitão Bo Horvat, que com 25 anos joga como se tivesse 35, ou mesmo de Brock Boeser (1ª experiência de playoffs) ou do jogador mais produtivo da equipa J.T. Miller (72 pontos) que estão com uma fome insaciável de playoffs e irão certamente dar tudo por tudo para passar esta ronda.

Do lado dos Wild, temos claramente uma equipa bastante experiente, a questão aqui é saber se esta experiência irá surpreender ou se será apenas um grupo de amigos que dão uns toques num lar de 3ª idade. Se começarmos pela defesa, que é claramente superior à dos Canucks em todos os níveis, temos super atletas como Ryan Sutter, Matt Dumba ou mesmo ainda o subvalorizado Jared Spurgeon, e acaba com o guaridão Dubnyk que é um daqueles guarda-redes que se quiser fechar a baliza durante vários jogos consegue de uma maneira assombrosa. Depois se formos ao ataque dos Wild temos a experiência de Parise, Staal, Zuccarello e ainda Koivu, mais a chama de Kevin Fiala, que à beira destes craques lendários tem quase idade para ser filho deles, mas está época surpreendente e resta saber se se vai conseguir superar neste embate.

Por fim, penso que a escolher um vencedor no meu entender apostaria nos Vancouver Canucks, porque apesar de ser uma equipa super jovem, não há dúvidas que não só vão como têm qualidade e uma maturidade de jogo fora do normal o que faz com que a experiência em Minnesota perca um pouco de força.

Pettersson vs Dubnyk (Foto: Hockey Wilderness)

Calgary Flames (8º) vs Winnipeg Jets (9º)

Teremos um derby canadiano que será também certamente super renhido e analisando primeiro as defesas, os Winnipeg Jets contam apenas com 2 jovens promissores, Josh Morrissey e Neal Pionk, enquanto os Calgary Flames contam 3 linhas defensivas fortíssimas e principalmente com a liderança do atual detentor do Norris Trophy, Mark Giordano, somando-se ainda o reforço Erik Gustafsson. Penso que se fosse só pela defesa, os Jets irem a jogo ou darem falta de comparência ía resultar no mesmo.

Depois analisando a baliza dos Jets, Hellebuyck é claramente a única mas uma boa soluçãoe falado por muitos para possível vencedor do Vezina Trophy este ano. Contudo, na minha opinião, Hellebuyck cede por vezes sob alta pressão – também devido aos buracos na defesa dos Jets – e acaba por meter “água”, algo que na baliza dos Flames não acontece muitas vezes, sendo Rittich para mim um dos guarda-redes mais subvalorizados da NHL já que não só tem tempo para brilhar como para fazer defesas impossíveis enquanto “toma café” tranquilamente. Já para não falar do seu backup à altura, Talbot, com uma experiência de playoffs muito positiva (com os Oilers) e que certamente não fará Rittich relaxar na sombra da bananeira.

Por último, analisamos as linhas ofensivas e uma coisa que ambos têm em comum é claramente a inexistência de qualidade nas 3ª e 4ª linhas, algo que é diferente nas linhas 1 e 2, que são ambas devastadoras, mas por diferentes razões.

Enquanto os Jets têm claramente monstros ofensivos como Scheifele, Wheeler, Laine ou Kyle Connor, que são sobrecarregados a toda a hora com as lacunas da defesa, mas que em dias bons, são autênticos filmes de terror para os adversários, já nos Flames, o conceito de “química” é a palavra-chave que existe claramente na 1ª linha com Gaudreau, Monahan e Elias Lindholm quando estão inspirados. Podemos ainda falar na recente excelente ligação gerada também na 2ª linha com os líderes Tkachuck e Backlund juntamente com o jovem Mangiapane que já demonstrou também estar à altura de grandes exibições. Porém, o único “senão” aqui nos Flames, é o fator irregularidade destas 2 linhas que por vezes sai caro à equipa.

Finalizando e escolhendo um vencedor, aposto nos Calgary Flames para passar aos playoffs, sendo que as principais armas dos Jets vão dar muita luta e caso esta irregularidade ofensiva dos Flames continue, os Jets poderão aproveitar.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter