Green Bay Packers: A história do time de 361 mil donos

Thiago MacielAgosto 29, 20205min0

Green Bay Packers: A história do time de 361 mil donos

Thiago MacielAgosto 29, 20205min0
Em um artigo do mês passado, foi mencionado que algumas franquias se mudavam de cidades para arrecadar mais dinheiro. E comentei que era impossível acontecer isso com o Green Bay Packers. Agora!! É hora de saber porquê!

Fundação

A história de como os Packers ganhou este nome e se tornou uma sociedade anônima foi uma mera casualidade. Curly Lambeau fundou seu time junto com um companheiro de escola. Trabalhando na empresa Indian Packing Company da pequena cidade de Green Bay (no estado do Wisconsin), ele pediu para o patrão patrocinar seu time de futebol americano. E ele patrocinou, sem esquecer de pedir para que o time levasse no nome essa relação. Assim surgiram os empacotadores de Green Bay.

CurlyLambeau

Propriedade pública desde 1923

Nas ligas americanas de esporte as equipes tem gestão mais pessoal, com donos ou famílias no controle. Por conta disso, não são incomuns as histórias de times que mudam de cidade, muitas vezes porque seu dono quer um novo estádio, mas acaba não recebendo suporte das autoridades locais através de doação de terra ou isenção de impostos. Aconteceu recentemente quando os Raiders, então de Oakland, anunciaram mudança para Las Vegas, após a prefeitura local anunciar a construção de um novo e luxuoso estádio para a equipe.

Há uma exceção, porém, e ela fica em uma cidade de 100 mil habitantes de Wisconsin, estado no norte dos Estados Unidos. É o Green Bay Packers, equipe da NFL que desde 1923 tem como seu dono 361.169 pessoas, quase todos cidadãos de classe média local.

Em uma liga em que donos brigam por milhões, novos estádio e melhores colocações na lista da Forbes, o Packers vai na contramão e mantém um modelo de negócio que o deixa perto de seus torcedores, um dos motivos de nunca ter saído de sua pequena cidade.

Como funciona as ações

Se você se interessou em comprar ações dos Packers, antes é preciso explicar como funciona o sistema , que difere dos atuais usados por clubes de futebol. Você não encontrará o time em nenhuma bolsa de valor, e durante a centenária história da franquia somente cinco foram as vezes em que novas ações foram colocadas no mercado, todas do mesmo tipo, ordinária. Só que diferente das ações ordinárias negociadas na bolsa, caso os Packers sejam vendidos, os donos das ações não receberão nada. A compra da ação tem caráter apenas administrativo: ela te dá o direito de votar a constituição de uma mesa diretora de 45 membros, cuja função é selecionar um comitê executivo de sete pessoas, que essas sim irão administrar o time.

Aí podemos perguntar – para que serve a ação do time se ela não gera dinheiro? Simples, ela existe para evitar o que aconteceu com os Raiders, citado no início do texto. A última venda de ações, em 2011, aconteceu para financiar uma reforma no estádio da equipe. Se fossem outros times, o financiamento nasceria de renúncias fiscais da cidade e do Estado, e caso o governo não aceitasse o acordo, a chance do time sair da cidade era enorme.  É por conta do modelo de negócios dos Packers que eles continuam em Green Bay, a menor cidade a ser sede de uma equipe profissional nos Estados Unidos.

ações dos Packers

Modelo da NFL e o sucesso do Green Bay Packers

Outro ponto que mantém os Packers competitivos é o sistema de divisão de lucros da NFL, que distribui o dinheiro igualmente entre as equipes, uma vez que negociações de direito de TV e uniforme são feitas em conjunto.

Além disso, há o mecanismo de teto salarial, em que todos times tem o mesmo dinheiro para contratar jogadores, impedindo que times de cidades maiores tenham mais dinheiro para contratar jogadores. Dessa maneira, o Chicago Bears, arquirrival dos Packers e time da terceira maior cidade dos Estados Unidos, não necessariamente vai ser um time melhor que seu rival de Wisconsin mesmo tendo uma arrecadação maior de vendas de produtos licenciados.

Outro ponto curioso é que, através dos Packers, se descobre o faturamento anual da NFL. Por ser propriedade pública, os Packers precisam fazer prestação de contas, e é através dela que se descobre o faturamento anual da liga.

Atual QB e estrela do time

Curiosidades

Os torcedores normalmente são conhecidos como Cheeseheads (Cabeças de queijo). Esse termo é comumente usado como referência às pessoas do estado de Winsconsin em geral (por causa da sua produção de queijo). Os torcedores dos Packers tomaram os insultos e criaram até um chapéu em forma de queijo que usam durante os jogos do time.

Chapéu usado pelos torcedores de Green Bay

A franquia possui dois Super Bowls, o de 1996 (XXXI) e 2010 (XLV).

Em quase nove décadas do time, foram formalmente aposentados 6 números. Todos os seis são membros do Pro Football Hall of Fame e seus números e nomes podem ser vistos na fachada verde da enzone norte do Lambeau Field, assim como no átrio do estádio. Muito provavelmente o n° 12 de Aaron Rodgers, atual quarterback da equipe, deve ser o próximo a entrar nesta lista.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter