NFL Playoffs: O que esperar da Divisional Round?

Miguel Veloso MartinsJaneiro 11, 20207min0

NFL Playoffs: O que esperar da Divisional Round?

Miguel Veloso MartinsJaneiro 11, 20207min0
Com a Wild Card Round concluída, está na hora da Divisional Round. Na primeira semana de playoffs da NFL, 4 equipas garantiram um lugar na Divisional Round, onde agora terão de defrontar as 4 melhores equipas da AFC e NFC. Descobre tudo o que precisas de saber sobre os jogos deste Sábado e Domingo.

 

Minnesota Vikings @ San Francisco 49ers – 11 de Janeiro às 21:35

Kirk Cousins teve um dos melhores jogos da sua carreira na melhor altura possível. Cousins liderou os Minnesota Vikings a uma vitória inesperada contra os Saints na semana passada. Grande parte das previsões indicavam que os Saints teriam a vantagem e que estavam próximos de voltar a lutar pelo título. No entanto, os Vikings mostraram que mereciam o seu lugar nos playoffs e entraram em força no Wild Card Round.

Agora deverão defrontar a equipa com o melhor record da NFL, os San Francisco 49ers. Cousins terá de novamente calar as más línguas esta semana, provando que é mais que um underdog e que o seu sucesso não é acidental. Cousins e os Vikings terão uma tarefa difícil ao defrontar a melhor defesa contra o jogo aéreo da liga, sendo que, a flexibilidade de rodar entre o jogo de passe e corrida terá enorme importância para garantir uma vitória de Minnesota.

Grande parte do sucesso do ataque dos Vikings durante a temporada surge também do jogo de corrida de Dalvin Cook. Na semana passada, Cook demoliu a defesa dos Saints, a segunda melhor defesa contra a corrida, por isso, esta semana, deverá ter um jogo fácil contra uma defesa dos 49ers que se encontra em décimo-sétimo nesse departamento.

A defesa dos Vikings teve um jogo fenomenal contra os Saints, mas esta semana será um enorme desafio. Jimmy Garoppolo tem um grande número de alvos a seu dispor e isto vai sem dúvida afetar a capacidade de Minnesota controlar o ataque dos 49ers. O target favorito de Garoppolo é George Kittle, sendo que a defesa dos Vikings (especialmente Harrison Smith) deverão controlar o tight end, mas isto poderá causar aberturas para Kyle Jusczyk atacar. Muita da responsabilidade irá assim recair nos braços dos linebackers Anthony Barr e Eric Hendricks para ajudar Harrison Smith.

Vikings @ 49ers vai ser um jogo imperdível com um confronto de duas equipas com ataques explosivos e defesas dominantes. Os 49ers têm a vantagem pelo seu ataque ser mais consistente e uma defesa mais qualificada.

 

Tennessee Titans @ Baltimore Ravens – 12 de Janeiro às 1:15

Os Titans surpreenderam com uma vitória contra os New England Patriots, campeões da temporada anterior. Pela primeira vez desde 2010, Tom Brady e os Patriots não vão jogar no AFC Championship. Este pode ser o final de uma era da NFL, acabando pelas mãos dos Titans que não inspiravam grande confiança dos analistas.

Agora os Titans têm um novo desafio na Divisional Round contra os Baltimore Ravens, uma equipa que parece pronta para se tornar numa nova dinastia da NFL. Os Ravens são comandados pelo backup quarterback Ryan Tannehill que apenas passou a bola quinze vezes contra os Patriots. Tannehill fez o suficiente para dar oportunidades a Derrick Henry de dominar a partida. Henry teve um jogo incrível, destruindo a linha defensiva da equipa de New England com 182 jardas de corrida e um touchdown. Derrick Henry tem se provado um dos principais candidatos para o prémio de MVP.

Henry precisa de fazer muito mais se quer levar os Titans ainda mais longe nos playoffs. Os Ravens têm a quinta melhor defesa contra a corrida, sendo que Tannehill terá provavelmente de ter mais importância no ataque, e isto pode significar o fim da estadia dos Titans nos playoffs.

Lamar Jackson está a ter uma temporada digna de MVP, liderando o melhor ataque da liga. Jackson foi uma peça integral no jogo de corrida dos Ravens que liderou a NFL. Baltimore tem a vantagem neste confronto e será uma surpresa se os Titans derem a volta a estas previsões.

 

Houston Texans @ Kansas City Chiefs – 12 de Janeiro às 20:05

Os Texans e Chiefs defrontaram-se em Kansas City na sexta semana da época regular, resultando numa vitória da equipa visitante 31-24. Este resultado do inicio da temporada não nos parece no entanto ser alguma indicação de como este jogo se irá desenrolar. Na sexta semana da época, os Chiefs estavam em desvantagem devido a lesões. Tyreek Hill e Patrick Mahomes estavam ainda a recuperar e Eric Fisher, Sammy Watkins e Chris Jones estavam lesionados.

Bastante mudou desde desta partida e os Chiefs parecem estar muito mais preparados para receber os Texans em casa. A linha ofensiva dos Texans deixou que Deshaun Watson sofresse 7 sacks na semana passada contra os Buffalo Bills. Isto são ótimas noticias para a defesa de Kansas City. Os Texans estiveram a perder durante grande parte da partida, vencendo o jogo em prolongamento. Sim, Houston mereceu vencer, mas apenas o conseguiram fazer porque, o ainda inexperiente, Josh Allen e o ataque dos Bills cometeram enormes falhas.

Os Texans não podem contar que o mesmo ocorra em Kansas City, Patrick Mahomes continua a ser um dos melhores QBs da liga com um arsenal de receivers fenomenal. Se Houston quer ter alguma hipótese de vencer o jogo tem de proteger Watson ao máximo.

Deshaun Watson é um talento incontornável da NFL neste momento. O jovem QB faz lembrar o seu adversário Patrick Mahomes, executando jogadas incríveis todas as semanas e mostrando uma visão de jogo fenomenal. Este confronto tem tudo para ser imperdível e repleto de momentos extraordinários a cada drive. Os Texans vão dar luta, mas os Chiefs são sem dúvida os favoritos para avançar às semifinais.

 

Seattle Seahawks @ Green Bay Packers – 12 de Janeiro às 23:40

Provavelmente um dos jogos mais esperados destes playoffs, Seahawks vs Packers é um confronto clássico da NFC. A última vez que estas equipas se defrontaram nos playoffs foi em 2014, tendo terminado com uma vitória dos Seahawks em prolongamento. Podemos esperar o mesmo nível de espetáculo e competitividade este ano.

Os Seahawks têm sido exemplares fora de casa e aparentam prontos para usar o seu estatuto de underdog em seu favor. Existe uma energia confiante à volta da equipa e das suas hipóteses muito devido a um jogador: Russell Wilson. Wilson tem sido perfeito esta temporada, sendo uma das principais razões para os Seahawks ainda estarem a jogar em janeiro. A performance do QB de Seattle poderá ser afetada esta semana devido às condições climatéricas.

No outro lado do campo, podemos dizer que Aaron Rodgers e o ataque dos Packers regrediram um pouco desde o jogo de 2014. Rodgers está a ter uma temporada complicada com algumas das piores estatísticas da sua carreira. No entanto, isto não significa que o jogo de Rodgers já não tem a mesma magia, apenas que já não é tão consistente como antes. O QB veterano continuou a ter algumas jogadas fenomenais que nos relembram do seu talento e do seu lugar na história da NFL, mas simplesmente não vemos este nível tão regular como no passado.

O ataque dos Packers tem, no entanto, sido reconhecido pelo seu jogo de corrida. Aaron Jones tem tido uma temporada de sonho e será mais importante do que nunca esta semana. Está previsto que o Lambeau Field vai estar coberto por neve e as condições climatéricas poderão afetar o jogo de passe de ambas as equipas. O ataque dos Packers parece ter a vantagem nestas circunstâncias, mas não podemos esquecer que os Seahawks têm um elemento surpresa e imprevisível. Seattle trouxe de volta o lendário (e reformado) Marshawn Lynch para os playoffs e este provou-se extremamente util na semana passada.

Este desafio será decidido pelo jogo de corrida e pela defesa que aproveitar mais as falhas do QB adversário. Não devemos esperar um grande espetáculo aéreo neste confronto, mas sabemos que este vai ser um jogo que vai ficar para a história da NFL. Qualquer um pode vencer esta semana e, existir prolongamento é quase garantido.

 

 


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter