24 Mai, 2018

A Guerra aberta dos Rookies: o top-5 dos melhores jovens

João FerreiraNovembro 7, 20177min1

A Guerra aberta dos Rookies: o top-5 dos melhores jovens

João FerreiraNovembro 7, 20177min1
O Top-5 dos Rookies da atualidade, bem como os dois jogadores que até agora têm desiludido os adeptos NBA.

Todos os anos existe uma certa expectativa para perceber como é que se adaptam os rookies ao ritmo de jogo explosivo da NBA. Existem sempre desilusões e existem sempre surpresas e podemos dizer que este ano não tem sido muito diferente. No entanto, as surpresas têm sido maiores que as desilusões e como tal temos que as destacar. Rookie a rookie, vamos perceber melhor como está o panorama atual.

Primeiro, e antes de falar dos melhores jovens jogadores, temos que destacar as desilusões do rookies. Na nossa opinião existem dois jogadores de quem se esperava mais mas até agora não demonstraram todo o seu talento: Lonzo Ball e Josh Jackson. Estes dois jogadores, 2ª e 4ª pick do draft de 2017 têm tido um início péssimo da sua carreira da NBA, principalmente devido às expectativas que recaíam sobre estes. Lonzo tem tido dificuldades por duas razões: a pressão social imposta muito pelos comentários que o pai tem feito nos meios de comunicação social e pela pressão que os seus adversários têm feito sobre este. Josh Jackson é o típico caso de equipa errada para um jogador cheio de talento. É uma pena vê-lo em Phoenix.

Mas passemos aos melhores rookies.

Ben Simmons

O jogador do futuro. Infelizmente, no seu primeiro ano da NBA, não pode mostrar o seu talento devido a uma lesão contraída ainda na Summer League. Agora, Ben Simmons tomou a NBA de assalto e podemos ver todo o seu trabalho e talento a florescer.

Um jogador possante, que tem no seu ataque ao cesto o ponto mais forte tal como uma visão de jogo acima da média, e que faz com que a equipa de Philadelphia não se ressinta da lesão da 1ª pick do Draft deste ano.

rookie, que já conta com dois triplos-duplo, é, neste momento, o melhor rookie, tanto a nível estatístico (com 18 pontos por jogo, 8.2 assistências por jogo e 9.8 ressaltos por jogo) com uma média assombrosa, mas também a nível de influência do jogo da sua equipa. Sem este jogador, é factual que os 76ers não contariam com metade das vitórias que já possuem, mesmo com a influência de jogadores como Joel Embiid e J.J. Reddick.

Esperamos que Ben Simmons continue a demonstrar todo o seu talento ao longo dos próximos anos. 

Kyle Kuzma

Não era muito expectável que este rookie tivesse uma posição de tanto relevo nesta altura da fase regular. O jovem, que foi escolhido na posição nº 27 do draft deste ano pelos Brooklyn Nets e que foi logo trocado para os Lakers na trade que levou D’Angelo Russell e Timofey Mozgov para Brooklyn.

Um jogador muito ofensivo, mas com uma boa capacidade de defesa, tem no ataque ao cesto uma extraordinária capacidade, tal como um lançamento de 3 pontos bastante fluído e seguro, tornando-se assim uma peça fundamental na manobra ofensiva da equipa em reconstrução dos Los Angeles Lakers.

O jogador começou a época como jogador na rotação, mas as suas grandes exibições “forçaram” o treinador de L.A. a colocar o rookie no 5 inicial. Neste momento o jogador conta com média de 15.7 pontos por jogo, 5,7 ressaltos por jogo e 1.4 assistências por jogo. 

É, por isso, o 2º melhor rookie até ao momento. Vamos ver o que o futuro lhe reserva.

Lauri Markkanen

O jogador finlandês é visto como um futuro franceies player para a equipa em reconstrução dos Chicago Bulls. O jogador, que foi trocado na noite do Draft (foi a escolha nº7) para a equipa de Illinois para levar para Minnesota o All-Star Jimmy Butler, tem na sua aproximação ao cesto e os seus afundanços o principal perigo.

A verdade é que o jogador tem confirmado o seu talento. É o jogador a mais na equipa dos Bulls, que são por muitos considerados, a pior equipa da NBA. É verdade que estão em penúltimo na Conferência Este, mas a mítica equipa do touro deve muito ao rookie finlandês.

O jovem, que leva um média de 16.3 pontos por jogo e 9 ressaltos por jogo, é um dos nossos destaques pela importância que ganhou em Chicago e que irá possibilitar-lhe mostrar todo o seu valor.

O próximo franchise player de Chicago (Foto:Chicago Tribune)

Dennis Smith Jr.

O jovem que pegou de estaca. Uma posição tão fulcral como point-guard, que tem como principais funções comandar e organizar o ataque da sua equipa, e não havia jogador melhor para jogar nesta posição que Dennis Smith Jr.

Um rookie, que faz em muito lembrar Nate Robinson, é um portento físico e um poço de energia. Um jogador entusiasmaste e bastante completo com uma capacidade de passe, de lançamento triplo e mais próximo do cesto, uma visão de jogo, tudo acima da média.

Um dos melhores jogadores mas que, infelizmente, não tem conseguido influenciar, de todo, os resultados da sua equipa (Dallas Mavericks). Apesar da média de 13.3 pontos por jogo, 4.6 assistências por jogo e 3.1 ressaltos por jogo, os Mavs não conseguem superar as outras equipas.

É, assim, evidente para nós que Dennis Smith Jr. é o jogador que encaixa que nem uma luva na manobra da equipa de Dallas. Agora é importante que os dirigentes da equipa dos sul dos Estados Unidos percebam que têm nas suas fileiras o jogar à volta do qual têm que construir uma equipa competitiva.

Olhos postos no futuro (Foto: ESPN)

Jayson Tatum

O último jogador do top-5 mas que podia, perfeitamente, estar mais acima na “classificação”. O jogador, que começou a NBA logo como titular, tem vindo a confirmar todas as expectativas que nele recaíam. A 3ª pick do draft deste ano tem sido um dos jogadores mais importantes em Boston, mesmo tendo que repartir os holofotes com jogadores já estabelecidos na NBA como Kyrie Irving, Al Horford ou Jaylen Brown.

É um jogador com um físico extraordinário, que tem no confronto fisico uma forte característica, bem como o lançamento de 3 pontos. Um dos rookies, se calhar, o rookie mais entusiasmastes e com mais futuro na NBA.

As médias atuais demonstram que esse futuro pode ser brilhante (13.6 pontos por jogo, 6.3 ressaltos por jogo e 2 assistências por jogo).

Será o ROY? (Foto: GettyImages)

 


One comment

  • Cristiano Silva

    Fevereiro 4, 2018 at 7:10 pm

    Boa análise no geral. Concordo com TOP 5. Relativamente ao Lonzo Ball, penso que estejam a analisar erradamente. Não sendo uma estrela, verifico nele muito basket, como comprovam as estatisticas (ressaltos, assistencias, desarmes, roubos de bola).

    Reply

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter