Regressos e regressos: os jogadores que voltaram a casa

João FerreiraJunho 21, 20203min0

Regressos e regressos: os jogadores que voltaram a casa

João FerreiraJunho 21, 20203min0
O regresso da NBA está aí à porta e com ele recordamos alguns jogadores que tiveram regressos aos locais onde foram felizes mas não foram muito bem recebidos.

Numa altura em que regresso é a palavra de ordem na NBA, relembramos alguns casos de jogadores que abandonaram as suas equipas, sendo a sua principal estrela, e depois não foram propriamente bem recebidas.

Há exemplos para todos os gostos: desde jogadores que passaram a ser conhecidos como serpentes, por se terem juntado a uma das melhores equipas da NBA, de sempre, com o único intuito de ganhar um título da NBA, até a jogadores que ficaram para sempre na história e no próprio ADN do franchise.

Comecemos, então, pelo mais recente.

Kevin Durant (Oklahoma City Thunder para Golden State Warriors)

A troca que abanou com todos os predicados e com todas as fundações da NBA. A troca que construiu uma das melhores equipas de sempre da NBA e que deixou Russell Westbrook sozinho num frachise de OKC completamente desmantelado.

A saída foi muito conturbada, mas podemos dizer que o regresso de Durant a Oklahoma foi bem pior. Uma guerrilha durante o jogo com o seu, até então, melhor amigo, apupado por todos os jogadores e adeptos no pavilhão, camisolas queimadas no exterior do pavilhão, cartazes a chamarem a Durant de sellout, ou seja, vendido.

Apesar de um completo martírio a nível psicológico, Durant não se deixou afetar e acabou por “meter” 35 pontos. Um jogador á parte que ficou com uma cidade a odiá-lo.

LeBron James (Cleveland Cavaliers para Miami Heat)

Corria o ano de 2010 quando o King anunciou, em plena televisão nacional, que se iria mudar de armas e bagagens para um rival natural da equipa de Ohio, para os Miami Heat, franchise que já contava com Dwayne Wade e com Chris Bosh e que via agora a equipa ficar cada vez mais composta.

Naturalmente, a revolta em Cleveland foi de tal ordem que quase foram organizadas fogueiras apenas para queimar a cava dos Cavs que, nas costas, tinha o 23 referente a LeBron.

O jogo de regresso foi tudo menos calmo. Adeptos expulsos por se meterem com adeptos que tinham a camisola de LeBron vestida, adeptos que acabaram expulsos do pavilhão por atirarem objetos para o court, contra LeBron, e mesmo um adepto que tentou agredir LeBron com uma toalha quando este se tentava sentar no banco de suplentes, já para não falar dos constantes assobios que LeBron sofria quando tocava na bola, fizeram o jogo tornar-se quase uma batalha dentro de um jogo.

LeBron e os Heat saíram vitoriosos desse jogo por uma margem elevada e, mais tarde, LeBron recusou-se a pedir desculpa a Cleveland por ter saído da equipa.

A história deu muitas voltas e LeBron acabou por voltar aos Cavs, tendo sido campeão.

Mais exemplos

Ao longo dos anos passados temos assistido a muitos mais casos de regressos que não correram de feição para os jogadores, muito por atitudes que estes tomaram aquando da saída dos seus franchises de sempre.

Ray Allen (quando saiu dos Boston Celtics), Shaquille O’Neal (quando saiu muito mal dos Lakers), Vince Carter (quando saiu dos Raptors para os Nets), representam todos casos específicos de como não sair de uma equipa, passando de estrela máxima para alguém completamente detestado nos franchises.

 


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter