Pode uma boa defesa ser campeã numa NBA de ataque?

Rui MesquitaDezembro 21, 20188min0

Pode uma boa defesa ser campeã numa NBA de ataque?

Rui MesquitaDezembro 21, 20188min0
Os OKC Thunder têm a melhor defesa da NBA, mas será isso suficiente para entrarem na luta pelo título?

A NBA é, hoje, uma liga claramente de ataque. Os números de offensive rating (ORtg, pontos marcados por cada 100 posses de bola) das épocas 2016/2017, 2017/2018 e 2018/2019 são os mais altos de sempre! E o número desta época é mesmo o mais alto da história. A forma como as equipas trabalham, cada vez mais focadas no ataque leva a isso mesmo. O uso cada vez maior do lançamento de triplo é outro motivo para esta subida do ORtg. Para se ter uma ideia, esta época tem 109,7 de ORtg, um valor muito superior aos 102,9 registados em 2003/2004.

Com isto, surge a ideia de que para uma equipa ter sucesso nesta “NBA moderna” é preciso atacar bem e lançar muito de triplo. Mas neste momento há uma equipa a tentar desafiar essa ideia: os OKC Thunder. Os Thunder não atacam bem, lançam pouco de triplo e, ainda assim, são segundos no Oeste. Então o que coloca a equipa de Oklahoma na frente? Defesa, claro!

A MELHOR DEFESA DA LIGA

Olhando para o defensive rating (DRtg, pontos permitidos por cada 100 posses de bola do adversário), os Thunder são a melhor defesa da Liga. 102,84. Mas este não é o único indicador! Os Thunder são a melhor equipa em roubos de bola, segundos em menos triplos permitidos e primeiros em mais turnovers do adversário. Uma defesa de topo, assente em vários pilares.

Esta filosofia começou com a aquisição, através do draft de jogadores longos e atléticos como Andre Roberson, Terrance Fergunson e Hamidou Diallo e as trocas por Jerami Grant e Paul George. Isto permite, agora, que os Thunder tenham uma defesa capaz de trocar todos os match-ups e ainda assim manter-se equilibrada. Todos os jogadores conseguem defender qualquer posição e até Steven Adams tem melhorado a defender no perímetro.

Westbrook é o líder em roubos de bola da liga (Foto: SB Nation)

A defesa dos Thunder baseia-se também na ajuda do “lado fraco” (weak side). Isto significa que o portador da bola adversário terá sempre um segundo defensor se tentar penetrar no garrafão. Para além disso, a defesa do post-up adversário tem sido muito eficaz. Contra jogadores como Durant, Blake Griffin ou Anthony Davis, quando estes tentam jogar de costas para o cesto, os Thunder têm alternado entre uma defesa com um homem e uma double team. Isto complica a ação ofensiva pela imprevisibilidade da defesa.

Para além de todo isso há a qualidade de todos os jogadores a defender. Paul George é um dos melhores defensores da liga e todos os outros conseguem roubos de bola ou cortes que destabilizam o ataque adversário. São a quinta equipa que mais turnovers causam. Tudo isto sem Andre Roberson, um jogador exímio a defender.

A ÚLTIMA DEFESA CAMPEÃ

A última vez que a melhor defesa da liga foi campeã foi em 2016/2017. Os Golden State Warriors tiveram o DRtg mais baixo da Liga mas foram também o segundo melhor ataque da NBA. Por isso não podemos dizer que foi uma defesa que venceu esse campeonato.

O campeão mais próximo do que os Thunder têm feito, ergueu o título no ano de 2007-2008. Nesse ano, os Boston Celtics foram campeões com a melhor defesa da Liga e apenas o décimo melhor ataque. Nessa equipa “moravam” Kevin Garnett, Paul Pierce e Ray Allen. Para além de Rondo, Perkins e um banco de respeito.

A última grande defesa campeã (Foto: Sports Illustrated)

Esta defesa dos Celtics era assente em pilares diferentes desta dos Thunder. Em 2008, Garnett e Perkins dominaram o garrafão e a grande força da defesa era essa, a proteção do jogo interior. Kevin Garnett foi inclusive eleito o melhor defensor da Liga nessa época. Os Celtics não conseguiam tantos roubos de bola e permitiam mais triplos. Estas diferenças são fruto da evolução da NBA. Se o ataque é mais assente no jogo exterior e em lançamentos de triplo, a defesa assentará em roubos de bola e limitação de lançamentos exteriores.

AS DIFERENÇAS E AS LIMITAÇÕES

A principal diferença entre essa incrível de Boston e esta dos Thunder é o ataque. Com Garnett, Pierce e Allen, os Boston tinham imensas soluções e uma consistência ofensiva invejável. Os Thunder, pelo contrário, têm jogos ofensivamente bem conseguidos (quando Westbrook ou George tomam conta do jogo) e jogos miseráveis do ponto de vista ofensivo.

Westbrook está a recuperar de uma lesão e ainda não recuperou a forma de lançar. Está com a segunda pior % acerto de triplos da carreira (24,5%) mas é também a segunda época em que faz mais lançamentos de triplo por jogo. Ainda assim é uma das épocas em que Westbrook faz menos lançamentos por jogo, tudo isso pela maior preponderância de Paul George.

George está a lançar mais do que alguma vez lançou (mesmo quando jogava “sozinho” em Indiana). As suas percentagens de acerto estão muito boas e está a fazer mais pontos por jogo do que nunca. Ajudam as 10,4 assistências por jogo de Westbrook mas a capacidade de lançamento de Paul George é incrível.

Schroder foi uma das grandes adições ao banco de OKC (Foto: 247Sports)

O problema de OKC é que, para além das duas estrelas, têm poucas opções ofensivas. Adams está cada vez mais envolvido (leva 16,2 pontos por jogo) mas é ainda pouco. A ofensiva é, por vezes, estática e dependente de isolation de Westbrook ou George. O banco está muito melhor do que o ano passado. As adições de Schroder e Noel tornam a segunda unidade mais fluída e eficaz mas faltam lançadores. Abrines e Patterson não estão a lançar como seria esperado e isso faz dos Thunder a equipa com pior % de lançamento de triplo.

Assim, se as defesas são igualmente boas, vemos diferenças gritantes nas ofensivas dessa campeã equipa de Boston e esta equipa de OKC.

CONCLUSÃO: TEREMOS CAMPEÃO?

A NBA neste momento parece seguir uma lógica única: são 5 contra 5 e no fim ganham os Warriors. A equipa de Oakland é a clara favorita à vitória final. Com 4 jogadores de topo, a equipa de Curry e Durant defende bem (com Thompson e Green tudo fica mais fácil) e ataca como ninguém. O lançamento de triplo é algo natural em Golden State e o movimento com e sem bola é fluído e bem trabalhado.

Steven Adams é um pilar defensivo e cada vez mais uma arma ofensiva (Foto: Getty Images)

Assim, esta época será muito complicado qualquer equipa bater os Warriors numa série de 7 jogos. Apesar disso, há equipas determinadas em quebrar essa tendência. Enquanto os Rockets tentam competir no sistema ofensivo, os Thunder competem com a sua defesa. Limitando o poderio ofensivo do adversário e apostando na transição, podem ter uma palavra a dizer. Neste momento, talvez os Thunder sejam mesmo a equipa melhor preparada para tentar bater os campeões em título. Têm um estilo totalmente distinto, tão diferente desta NBA que pode surpreender os Warriors.

Na próxima época, se os Warriors ficarem enfraquecidos, quem sabe os Thunder entrarão no novo grupo de favoritos. Este ano, apenas com um pequeno milagre a equipa de OKC conseguirá chegar ao título. Quem sabe se uma defesa de elite não pode, nesta NBA de ataque, ser milagrosa. O Big-3 de Boston que o diga!


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter