Os maus exemplos que Zion Williamson tem que ter em conta

João FerreiraSetembro 29, 20193min0

Os maus exemplos que Zion Williamson tem que ter em conta

João FerreiraSetembro 29, 20193min0
Todos os anos o Draft define quem são os jogadores mais promissores para as equipas. Este anos foi Zion Williamson. A verdade é que ser a primeira pick não é um garante de sucesso e neste artigo iremos abordar os maus exemplos.

O Draft deste ano já passou e com ele foi revelada a primeira pick : Zion Williamson. O antigo jogador de Duke era já há muito apontado como a primeira opção e acabou por ser escolhido pelo New Orlean Pelicans.

A verdade é que o jogador se lesionou no 1º jogo da Summer League, e, por precaução, não voltou a jogar nesta liga que testa, normalmente, os mais novos nas andanças do top do basquetebol mundial.

A verdade é que ser escolhido como primeira  pick não é um garante de sucesso na NBA. Existem bons e maus exemplos de como lidar com a pressão de ser, segundo os  franchises, o jovem jogador mais promissor desta liga.

Neste artigo iremos abordar os maus exemplos que Zion Williamson deve ter em conta como primeira  pick.

Markelle Fultz ( drafted by Philladelphia 76ers )

Markelle chegou à NBA com um hype completamente fora do normal. Depois de ter estado relativamente bem em apenas um ano de College e numa equipa muito abaixo das restantes, chegou a uns 76ers que vinham criando uma perspectiva de futuro inacreditável, com Embiid e Simmons em primeiro plano, ambos primeira pick no seu ano.

A verdade é que Markelle sempre esteve abaixo das expectativas e foi várias vezes alvo de chacota por parte dos adeptos da NBA devido à sua forma muito estranha de lançar.

Tudo isto depois de se ter lesionado no ombro, tendo feito com que o jogador fosse afastado dos courts durante praticamente a sua época toda de rookie. Jogou apenas 14 jogos, com uma média de 7.7 pontos por jogo, até ter sido trocado para Orlando, onde é neste momento suplente.

 

Anthony Bennet (drafted by Cleveland Cavaliers)

Enorme pobreza de espírito. A primeira vez que um Canadiano foi escolhido como primeira pick e é este o resultado.

Anthony Bennet foi escolhido pelos Cavaliers, e a partir do Draft a sua carreira foi sempre a cair. 4 equipas em 4 anos (Cavs, Timberwolves, Raptors e Nets) até que teve que emigrar para a liga turca, para o Fenerbache. Neste momento, está a tentar relançar a carreira na G-League.

Um triste percurso de um jogador que nunca demonstrou aquilo que os olheiros pensaram ver nele. Nos 4 anos, Bennet registou uma média de apenas 15 minutos por jogo, e uns tristíssimos 4.4 pontos por jogo e 3.1 ressaltos por jogo.

Estamos perante aquela que é, para muitos, a pior primeira pick de sempre.

Mas o que é isto? (Foto: ClutchPoints)

Estamos perante dois dos casos mais recentes de quando as primeiras picks não funcionam. Claro que existem muitos mais casos como Greg Oden (2007) ou Kwame Brown (2001), mas decidimos focar aqueles que são mais recentes.

Nota: Focamos apenas aqueles que são estritamente as primeiras picks.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter