Kawhi Leonard-DeMar DeRozan: era estritamente necessário?

João FerreiraJulho 27, 20184min0

Kawhi Leonard-DeMar DeRozan: era estritamente necessário?

João FerreiraJulho 27, 20184min0
Uma das trocas mais controversas desta free agency mandou Kawhi para Toronto e DeMar DeRozan para San Antonio. Abalou tanto que já surgiram rumores de Kawhi não querer ir para Toronto. Vamos ver o que o futuro reserva.

Provavelmente, uma das trocas que mais chocou nesta free agency. Se por um lado, é injusto para um jogador que sempre deu tudo por Toronto, como DeMar DeRozan, é uma forma de Kawhi se conseguir impôr numa Conferência, onde falta uma super-estrela, tirando Kyrie Irving de créditos firmados (Giannis e Simmons estão em desenvolvimento).

A troca que abalou a NBA. A seguir à mudança de LeBron James para Los Angeles, esta foi a troca que mais mexeu com o futuro a curto prazo da melhor liga de basquetebol do mundo.

Kawhi Leonard: o desejo de rumar para outras paragens

O desejo de Kawhi Leonard sair de San Antonio já era conhecido. Aliás, os escassos jogos protagonizados pelo small forward foram o primeiro indicador que algo não estava a correr bem. Era conhecido o desejo de Kawhi de evoluir numa equipa na qual estivesse rodeado de grandes talentos sem nunca perder o estrelato de melhor jogador da equipa. 

Com uma média de carreira de 16.3 pontos por jogo, 6.2 ressaltos por jogo e 2.3 assistências por jogo, foi na parte defensiva que Kawhi se destacou com 1.8 roubos de bola por jogo e 0.7 bloqueios por jogo, daí a alcunha de The Claw. Tudo isto faz com que Kawhi seja considerado um dos, senão o melhor, Two-Way Players da NBA.

Por outro lado, estranho é que Kawhi não tenha chegado a um acordo com os Spurs para o colocarem no franchise em que ele pretendia. Fica a clara ideia de que Kawhi não sabia da troca para os Raptors daí até se ter falado da possível recusa do norte-americano em jogar pela equipa canadiana.

A expressão de confusão diz tudo (Foto:ESPN)

Lakers, Philadelphia, Celtics eram equipas que muito desejavam Kawhi e que só teriam a ganhar com a sua inclusão no roster, tal como Kawhi só tinha a ganhar em ir para estas equipas. Equipas que estão a crescer a nível de talento dos mais jovens, (caso dos Lakers com Ingram, Kuzma, Ball, e a inclusão do King James, caso dos 76ers com Simmons, Embiid, Fultz, caso dos Celtics com Tatum, Jaylen Brown, Kyrie Irving) e que têm reais ambições em ganhar as suas respectivas Conferências (excetuando os Lakers que ainda parecem ter um percurso mais longo pela frente).

DeMar DeRozan

Percurso injusto para um jogador que deu, e que parecia disposto a continuar a dar, o seu máximo em Toronto. Um jogador que amava a cidade como ninguém e que era amado pela cidade como ninguém. Penso que é seguro dizer que nenhum canadiano da cidade de Toronto ficou contente com esta troca.

Passando para o nível desportivo, penso que os Raptors deram um tiro no pé. Kawhi tem vindo a ter lesões recorrentes e é desconhecido a forma física do ex-Spurs.

Por seu lado, DeRozan estava numa forma ascendente. Este ano foi, sem dúvida, um dos anos de maior evolução para DeRozan, principalmente porque melhorou uma das poucas áreas do jogo em que tinha dificuldade: o lançamento de 3 pontos. 

É verdade que DeRozan não teve a influência nos playoffs que se pensava que conseguiria ter. No entanto, isso foi culpa da Direção do franchise canadiano. DESPEDIR O COACH OF THE YEAR??? Onde é que já se viu? Dois tiros nos pés! Faz com que Toronto agora ande manco. Pode ser, volto a frisar, pode ser, que com Kawhi a coisa vá ao sítio até porque não deixa de ser uma equipa temível: 

C- Jonas Valanciunas PF- OG Anunoby SF- Kawhi Leonard SG-Delon Wright PG- Kyle Lowry.

Popovich vai trabalhar este jogador e torná-lo um dos melhores da liga. (Foto:ESPN)

Veremos o que o futuro reserva para os dois franchises e para as duas equipas.

Mas deixo uma pergunta:

Era esta a única troca possível por Kawhi?


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter