Final da Conferência Oeste: Rockets vs Warriors, uma final antecipada

Rui MesquitaMaio 13, 20187min0

Final da Conferência Oeste: Rockets vs Warriors, uma final antecipada

Rui MesquitaMaio 13, 20187min0
As duas melhores equipas da NBA defrontam-se na final do Oeste e quem vencer tem o título praticamente garantido!

Houston Rockets (65-17) e Golden State Warriors (58-24) são os resistentes no Oeste que lutam pela presença na Final da NBA. São as duas melhores equipas da liga e, por isso, esta série é uma final antecipada. Os campeões da temporada passada são favoritos, mas terão o maior desafio dos últimos 3 anos. É a primeira vez, desde 2014, que Steve Kerr defronta uma equipa com um melhor record.

Se Houston é a melhor equipa que esta dinastia dos Warriors já encontrou, também é verdade que esta é a melhor equipa dos Warriors. Um banco de luxo (sim, tal como Houston) e 4 all-stars no seu pico.

Com 4 allstars, os Warriors são, sem dúvida, a melhor equipa da liga (Foto: The Big Lead)

ATAQUE: A DIFERENÇA ENTRE DOIS GIGANTES

Estas duas equipas são duas das mais eficientes de sempre no ataque. Os Warriors tiveram 113.9 de Offensive Rating (ORtg) na fase regular (ORtg mostra a produção ofensiva de uma equipa por cada 100 posses). Desceram esse número para 111.8 nos playoffs, não deixando de ser um número incrível. Os Rockets passaram de 114.8 na fase regular para 115.2 nos playoffs, números estratosféricos.

Duas equipas tão eficientes e tão focadas em conseguir triplos, o seu sistema deve ser muito parecido, certo? Bem, não. Os sistemas são os mais diferentes possíveis. A única coisa em comum é a obsessão com os lançamentos de três onde Houston foi ainda mais longe. Durante a época regular, Golden State lançou 28.9 vezes de triplo por jogo e Houston 42.3.

Os Rockets baseiam a sua ofensiva nas suas duas estrelas: James Harden e Chris Paul. Os texanos baseiam-se em screens de Capela e penetrações de um dos bases. Se o screen resultar o adversário tem que escolher o que parar: a chegada ao cesto de Harden/Paul ou o lançamento exterior de Ariza ou Eric Gordon. É uma ofensiva muito estática com a isolation de Harden como arma secundária.

Com estes dois, os Rockets têm sempre um construtor de jogo de elite em campo (Foto: Rockets Wire)

Por outro lado, o ataque dos Warrios é basquetebol em movimento. São a equipa com mais assistências na liga e com mais soluções. Não dependem de pick-and-rolls e isolations como os Rockets. Os 5 jogadores em campo movem-se, fazendo múltiplos screens e passes até a bola chegar ao melhor lançamento possível.

São duas ofensivas completamente distintas e são as duas a opção certa. Ambas usam as forças dos seus principais jogadores e, por isso, são extremamente eficazes.

TRANSIÇÃO: VELOCIDADE E INOVAÇÃO

Se no ataque organizado as equipas são muito diferentes, na transição são parecidas. Ambos adoram atacar rápido em transição. Com jogadores velozes agressivos, conseguem imensos pontos desta forma. A grande “inovação” que estas equipas trazem é o lançamento de três em transição. O portador da bola ataca o cesto e dois outros ocupam o seu lugar na linha de triplo.

Apesar da sua qualidade, Golden State é a 2ª equipa com maior percentagem de turnover em transição da liga: 15.1%. Ainda assim são terceiros em pontos por posse em transição. Em primeiro lugar: Houston Rockets. A equipa de Mike D’Antoni é letal na transição e por isso veremos se quererão impor um ritmo mais alto no jogo. É arriscado, devido à qualidade da transição dos Warriors mas potencia uma das suas armas. Decisões difíceis para D’Antoni.

O lançamento de triplo tem, nestas duas equipas, o seu expoente máximo (Foto: African Sports Monthly)

DEFESA: A CEREJA NO TOPO DO BOLO

Duas equipas tão perfeitas ofensivamente poderiam ser desleixadas na defesa, mas não é verdade. Estas são as duas melhores equipas em Deffensive Rating (DRtg) nas duas primeiras rondas dos playoffs. Mas qual delas levará a melhor?

Quando Steve Kerr põe em campo o seu Hamptons 5 (Curry-Thompson-Iguodala-Green), a defesa dos Warriors é incrível. 5 jogadores capazes de trocar em todos os screens e de defender qualquer adversário. Draymond Green já mostrou o quão bem consegue defender bases adversários e Durant é muito rápido para ser batido na chegada ao cesto.

Defensivamente o único problema dos Warriors será Steph Curry. Houston tentará trocar sempre que possível para o match-up Harden-Curry para explorar a debilidade defensiva de Cury. Não que Curry seja mau defensor, simplesmente é o pior dos 5! Mas com Iguodala em campo os Warriors são muito rápidos e fortes a forçar os match-ups que querem.

Capela e Draymond Green são os dois pilares defensivos das suas equipas (Foto: House of Houston)

Por seu turno, Houston tem em Capela uma das maiores forças defensivas. É com o pivot que os texanos defendem melhor, assentes na sua proteção do garrafão. É claro que a mobilidade de Capela pode ser um problema, mas a defesa só funciona com ele. Os Warriors tentarão provocar match-ups de Curry ou Durant com James Harden e explorar a sua débil defesa. Cabe aos Rockets manter Chris Paul com Curry o maior número de vezes possível e tentar parar Durant com quem o conseguir. Entre Ariza, PJ Tucker e Mbah a Moute, Houston tem vários “corpos” para pôr em frente do astro rival. Será suficiente? É esperar que Durant tenho 4 noites más durante a série.

DETALHES E UMA CONCLUSÃO

A batalha do Oeste é, como demonstrado acima, muito equilibrada. Tudo se pode resumir a pequenos detalhes e, como sempre na NBA, detalhes há imensos! Na história da liga apenas 20 equipas venceram 65 ou mais jogos na fase regular e 15 delas venceram o título no final. Os Rockets venceram 65 jogos está temporada. Com Paul-Harden-Capela a jogar, os Rockets têm um record de 50-5! São 50 vitórias em 55 jogos quando têm os 3 jogadores aptos.

Os detalhes do lado dos Warriors são simples: experiência e… experiência. Esta equipa de Golden State é muito experiente nestas andanças e isso é um dos maiores pontos a seu favor. Steve Kerr disse: “O campeonato mais difícil de ganhar é sempre o primeiro, depois já sabes como fazê-lo”. Para além disso, desde a chegada de Durant nenhuma equipa parece capaz de parar os Warriors.

O primeiro jogo da série será o mais importante. Aí, os Warriors poderão tirar a vantagem dos Rockets ou os texanos mostrarem os problemas que podem causar. De seguida o terceiro jogo será crucial pois será onde os treinadores terão mais tempo para fazer ajustes. Aí se verá o que Kerr e D’Antoni podem trazer para a série e que diferença farão.

Os dois treinadores, com os seus sistemas, poderão fazer a diferença no final (Foto: Slam)

Mesmo com a imprevisibilidade da série e com tudo o que pode acontecer, temos a nossa previsão. Os Warriors continuam a ser a melhor equipa da liga e têm os melhores jogadores. Isso deverá ser suficiente para levaram de vencida a série mais equilibrada no Oeste dos últimos anos. Com tudo o que referimos:

Warriors vencem em 6 jogos!


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter