E começou mais um ano de NBA!

João FerreiraOutubro 17, 20184min0

E começou mais um ano de NBA!

João FerreiraOutubro 17, 20184min0
Finalmente, a NBA começou e o FairPlay não poderia deixar passar os dois primeiros jogos da época. Aqui, analisamos os jogos que passaram e o que cada equipa que mostrou nestes jogos.

FINALMENTE!! O dia que todos os fanáticos, fãs e adeptos da NBA esperavam chegou! O início de uma nova época desportiva da melhor liga de basquetebol do mundo. O FairPlay não poderia deixar passar este dia em claro, e tal como fez o ano passado, analisamos aquilo que foram os dois primeiros jogos do ano.

Golden State Warriors vs Oklahoma City Thunder

Dos dois jogos, começamos pela Conferência Oeste, um jogo que foi, claramente, uma disputa de inicio de temporada, em que o ritmo acelerado, chegou a dar lugar a algumas decisões mal tomadas, com uma equipa de Golden State bem trabalhada, e com uma equipa de Oklahoma ainda a descobrir as melhores soluções dentro da equipa.

Começando pela equipa visitante, os Thunder viram-se privados da sua melhor arma de ataque, Russell Westbrook, que está a contas com uma lesão, e Andre Roberson, que também se encontra parado desde o ano passado devido a uma lesão, que embora não seja um jogador dos mais ameaçadores a nível de ataque, é um dos grandes defensores da NBA, sendo, assim, essencial para os OKC.

Em relação ao jogo propriamente dito, viu-se uma diferença significativa em relação ao primeiro jogo de OKC do ano passado. A equipa de Oklahoma começou a pensar mais o jogo, sem precipitar qualquer jogada, e sem lançar triplos em todas as jogadas. Nesta vertente, é essencial destacar a presença de um base muito inteligente a jogar como Dennis Schroder e a saída de um jogador que estava claramente a mais em OKC, Carmelo Anthony.

A verdade, é que a ideia que sai deste primeiro de muitos jogos, é que um BIG 4 com Schroder, Westbrook, George e Adams é mais perigoso que um com Carmelo Anthony.

Em relação aos bi-campeões da NBA, a equipa mostrou-se muito bem trabalhada, mantendo a base dos quatro jogadores que tornaram possível este título back-to-back.

A única dúvida neste jogo era quem iria jogar na posição de poste, sendo que DeMarcus Cousins ainda está lesionado, e Iguodala está cada vez mais lento. A aposta do FairPlay era Jordan Bell, que o ano passado tinha cumprido a espaços, mas Steve Kerr acabou por apostar em Damian Jones e a verdade é que o jovem jogador também foi importante na luta debaixo do cesto.

Curry e Durant estiveram a um nível avassalador, sendo que assim que Cousins estiver apto, percebe-se que os GSW vão arrombar com tudo aquilo que existe na liga. Não podemos deixar de considerar, também o muito bom banco que a equipa de Oakland tem com Quinn Cook, Jerebko, Iguodala, Livingston e Looney (uma segunda equipa melhor que muitas primeiras equipas de franchises da NBA).

Boston Celtics vs Philadelphia 76ers

Que jogo tão diferente do primeiro! Se um foi bem jogado e houve más decisões a espaços, este teve espaços que foram bem jogados.

Boston entrou com o melhor 5 possível, sendo que neste momento, é a previsão do FairPlay para ser o único 5 capaz de derrotar GSW nas Finais.

Hayward voltou depois de na época passada ter jogado apenas 5 minutos antes de partir a perna no jogo de abertura contra Cleveland, Kyrie também voltou de uma lesão que o afastou dos playoffs do ano passado, e por isso quem se mostrou melhor neste jogo foi Jayson Tatum. Um jogador cuja evolução tem sido meteórica e que este ano pode bem ser um dos melhores jogadores da NBA, num dos melhores franchises da NBA.

Acabou o jogo com 23 pontos e 9 ressaltos, mas aquilo que fez jogar, à falta de capacidade de liderança de um muito pouco confiante Kyrie, foi impressionante. A maior surpresa, pela positiva, deste jogo.

Outra grande surpresa foi a assertividade do banco de Boston. Os mais de 40 pontos vindos do banco, divididos por Marcus Morris (que jogo!!), Terry Rozier (outro grande jogo!), Marcus Smart e Baynes (já mete triplos) foram a grande vantagem aos 76ers.

Estes 76ers ainda têm muito que trabalhar!! Se o ano passado, a curiosidade estava em ver como é que a equipa se ia desdobrar, este ano o jogo dos 76ers foi muito previsível. Ben Simmons usou em excesso o ataque ao cesto e o 1 para 1 debaixo do cesto, permitindo à equipa de Boston o double-team. Joel Embiid esteve sempre muito longe do cesto o que não lhe facilitou em nada o seu jogo, defendido por um irrepreensível Al Horford.

Mas a maior desgraça dos 76ers foi a apatia de Fultz. Sem ritmo, sem lançamento, sem visão de jogo. Este primeiro jogo a titular não foi nada promissor e a continuar assim não deve demorar muito tempo até Redick assumir a titularidade ao lado de Ben Simmons no backcourt de Philly.

 

 


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter