5 jogadores em destaque na primeira ronda dos Playoffs

João PortugalAbril 23, 20196min0

5 jogadores em destaque na primeira ronda dos Playoffs

João PortugalAbril 23, 20196min0
Alguns jogadores foram destaque na 1ª ronda dos playoff da NBA com Eric Bledsoe a surgir em força nesta nossa análise. Concordas com as nossas escolhas?

A primeira ronda dos playoffs está quase a terminar. Já tivemos duas vassouradas, dos Bucks e dos Celtics, ambas algo expectáveis, que vão originar uma das meias-finais de conferência mais aguardadas.

Neste artigo pretendo enaltecer cinco jogadores, role players, que tiveram, até ao momento (os dois jogos desta madrugada já não contaram), um impacto acima do esperado nas suas séries. Não vale a pena escrever um texto destes com Curry, Harden, Leonard, Giannis e Embiid. E também já não vou escrever sobre o mais que óbvio Most Improved Player of the Year, Pascal Siakam, que é uma estrela e tem sido o segundo melhor Raptor nos primeiros jogos, mesmo à frente de Kyle Lowry.

Portanto, indo ao que interessa, o role players que mais me surpreendeu nos playoffs até agora foi Torrey Craig, dos Denver Nuggets. Craig é um extremo que não foi draftado na classe de 2014, andou quatro anos pelo hemisfério sul e regressou à América para jogar na formação da G-League dos Nuggets, tendo conseguido um two-way contract, que se transformou num vínculo a tempo inteiro esta temporada. Acabou de ser fundamental num importante triunfo sobre os Spurs, que devolveu o home court advantage a Denver.

Não só é um bom ressaltador e um defensor competente para o seu tamanho e posição, como está a ser um atirador letal, exactamente o que lhe é pedido para a sua role em court. Já marcou 13 dos 20 lançamentos a que teve direito, sendo que tem 9 em 13 triplos acertados. Os seus 87,5% de eFG% são, naturalmente, incomportáveis daqui para a frente, mas vão garantir-lhe a presença no top8 da rotação de playoffs de uma das melhores equipas da NBA. Isto é o que oferece um jogador que assinou um contracto de uns meros 4 milhões de dólares por dois anos.

Foto: Getty Images

Em segundo lugar nos jogadores que mais me surpreenderam, pela positiva, está o jovem poste dos Brooklyn Nets, Jarrett Allen. Aos 20 anos, na sua estreia na post season, comporta-se como uma maturidade bem acima do esperado.

Os Nets não têm conseguido oferecer grande resistência, colectivamente, na defesa, mas Allen é dos que foge mais a este paradigma. Tem sido altamente competente nas oportunidades para marcar que vai tendo, estando 15-24 FG, e já conta com 11 assistências.Esta é a grande razão pela qual, mesmo estando num processo de rebuild, vale a pena fazer o “push” para alcançar os playoffs, mesmo que a eliminação na primeira ronda seja quase inevitável. Esta experiência contra um dos melhores bigs da NBA, Joel Embiid, numa série de sete jogos onde se aprendem coisas específicas ao nível estratégico, de ajustes a fazer, que jogadas privilegiar, tem um valor incrível para um jovem que poderá ser o poste titular de uma equipa com presenças constantes nos playoffs, durante mais de uma década.

Foto: Getty Images

A minha terceira escolha acontece porque desprezei em demasia o valor que Marc Gasol poderia ter contra os bigs dos Orlando Magic. O que é certo é que o veterano poste espanhol tem sido magnífico.

É o jogador com o melhor defensive rating dos playoffs, sendo que os Raptors sofrem apenas 89 pontos por 100 posses de bola com Gasol em court. Tem mostrado uma excelente capacidade física para lidar com o monstro sérvio Nikola Vucevic, que destruiu Toronto na regular season, mas que nas quatro partidas realizadas até ao momento, foi reduzido a uns banais 12,5 ppg e 8,3 rpg, lançando uns míseros 40% de 2pt. Sem exageros, esperava mais ou menos que Vucevic estivesse com o dobro destas médias por jogo, a lançar mais perto dos 60% de 2pt.

Na próxima ronda, com quase toda a certeza, acontecerá um aguardado Raptors vs Sixers, o que significa que Gasol defrontará o poste em melhor forma no momento, Joel Embiid. Será possível que mantenha este nível defensivo soberbo, a que, ainda por cima, soma 6 triplos marcados em 10 somente tentados? Ou a alternativa vai ser Serge Ibaka com predominância dos minutos na posição 5?

Foto: Getty Images

De seguida, decidi colocar PJ Tucker, dos Houston Rockets, não porque tenha dúvidas do valor deste veterano com 13 temporadas como profissional, mas surpreende-me o aumento de produtividade e a importância que ganhou na parte ofensiva, nesta fase da sua carreira. Tucker, que está a ter uma utilização muito semelhante à temporada transacta, aumentou os pontos por jogo de 9 para 13, duplicou as assistências, começou a lançar muito mais e tem mantido a eficácia.

A pergunta que fica é, será que este maior protagonismo de PJ Tucker aconteceu só porque os Utah Jazz não podiam ter desiludido mais do que apresentaram nestes quatro jogos, ou o veterano forward vai ser mais do que um corner shooter contra os Warriors? É que o seu principal adversário directo vai deixar de ser Joe Ingles e passará a ser, deixa cá ver os meus apontamentos…. Kevin Durant.

Foto: Getty Images

Para finalizar, outra agradável surpresa para mim tem sido Eric Bledsoe. Sempre fui um admirador das suas qualidades e, por ventura, é injusto colocá-lo nesta lista com outros jogadores que têm muito menos usagem que o base da melhor equipa da regular season, os Milwaukee Bucks. Em minha defesa, Bledsoe é a terceira opção dos Bucks, quando está nos seus melhores dias. Na sweep contra os Pistons marcou quase 20 pontos por partida, mas é a relação em court com Giannis Antetokounmpo que vejo evoluir semana após semana.

É certo que na próxima ronda, o adversário directo de Bledsoe vai ser Kyrie Irving e, ainda mais importante, os ataques ao cesto em que esteve brilhante contra Detroit, vão ser parados por Al Horford, que não integrou este meu top5 porque é uma estrela e para mim não é surpresa nenhuma que tenha sido o melhor jogador numa série. Quais serão os role players a explodir nas meias-finais de conferência?

Eric Bledsoe (Foto: Getty Images)

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter