[Bisca da Primeira Divisão Feminina] Sporting Clube de Portugal

João BastosMarço 14, 20186min0

[Bisca da Primeira Divisão Feminina] Sporting Clube de Portugal

João BastosMarço 14, 20186min0
Analisamos o naipe da equipa feminina do Sporting Clube de Portugal para ir a jogo na 1ª divisão nos próximos dias 17 e 18 de Março em Coimbra

O Campeonato Nacional de Clubes da 1ª divisão realiza-se em Coimbra nos dias 17 e 18 de Março. O Fair Play faz a análise das 12 equipas masculinas e das 12 equipas femininas que disputarão o título de clubes mais importante da natação nacional


A equipa feminina do Sporting Clube de Portugal há três anos consecutivos que sobe ao pódio para ocupar a terceira posição. Apesar de ter tido campanhas bem sucedidas, a equipa orientada pelo técnico Carlos Cruchinho quererá mais do que isso e legitimamente. O Sporting tem um forte legado (também) no lado feminino, uma vez que foi hexa-campeão nacional de clubes femininos entre os anos de 2000 e 2006.

Este ano faz parte do lote das equipas candidatas.

Ás – Inês Fernandes

Inês é uma das melhores velocistas nacionais. É mesmo a líder nacional do ano nas provas de 50 e 100 costas, 50 e 100 mariposa, mas em piscina curta. De resto, na última edição da 1ª divisão que se disputou em piscina curta (2012), Inês ainda cumpria o seu primeiro ano de júnior e mesmo assim venceu duas provas. Apesar de ser uma nadadora mais dominante na piscina curta (os seus excelentes percursos subaquáticos ajudam muito), na piscina longa também tem óptimos registos. Dado que o Sporting tem outras boas costistas, Inês dedicar-se-á à mariposa e livres. É das nadadoras portuguesas no activo com mais recordes nacionais na carreira. Ao todo, conta 55!

Foto: Luís Filipe Nunes

Rainha – Beatriz Viegas

Um adição de luxo a este plantel do Sporting. A sénior de primeiro ano ex-Tavira é, tal como Inês Fernandes, especialista da velocidade, mas este ano até tem progredido para distâncias um pouco mais longas, como os 200 livres. Fará uma dupla fortíssima com Inês nos 50 e 100 livres (provas onde é a recordista nacional júnior) e nos 50 mariposa e ainda garantirá um bom desempenho para o Sporting nos 200 livres. Também nas estafetas desempenhará um papel importante.

Foto: Luís Filipe Nunes

Dama – Mafalda Beleza

A mais experiente nadadora da equipa do Sporting prepara-se para fazer uns nacionais de alto nível, pelo menos a julgar pelo que já foi fazendo esta época. Há 5 anos que não nadava 400 estilos e este ano já melhorou os seus recordes pessoais nesta prova, quer em piscina curta, quer em longa. Para além de estilos, nadará ainda os 200 livres onde será duplamente importante para o Sporting que Mafalda esteja ao seu melhor – para a prova individual e para a estafeta – até porque, em teoria, a estafeta 4×200 livres é a menos forte do Sporting.

Foto: Aqualoja

Manilha – Anaïs Charro

Apesar de já ter representado o Sporting em inúmeras ocasiões, nunca o fez num nacional de clubes, pelo que é mais um reforço de luxo para o clube verde e branco. A portuguesa a residir em França chega aos nacionais de clubes já com três competições feitas em piscina longa este ano, o que é sempre uma vantagem. Ainda mais é porque nessas três ocasiões ficou muito perto dos seus recordes pessoais das suas provas preferidas (as de bruços). Pelo menos nos 50 e nos 100 bruços, o top-3 dever-lhe-á estar reservado.

Foto: Luís Filipe Nunes

Joker – Maria Belo

A júnior de primeiro ano é a revelação sportinguista desta época. Apesar de já ser uma nadadora de grande nível em juvenil, este ano tem subido patamares. O seu desempenho na piscina curta deixa antever que na primeira grande competição em piscina longa pode melhorar bastante os seus recordes pessoais. Está inscrita nas três provas de costas, mas não nos admiraríamos se durante a competição a júnior troque com Inês Fernandes passando a nadar os 50 e/ou os 100 livres, passando Inês a nadar os 50 e/ou 100 costas. Dito isto, Maria é também uma excelente nadadora de livres, fundamental nas estafetas.

Foto: Olhar by Pardal

Trunfos – Maria Moura, Filipa Peixeira, Leonor Fernandes e Sofia Dionísio

Começamos pelas mais novas. Maria Moura é juvenil-B e chegou este ano ao Sporting proveniente da GesLoures. Apesar da sua curta idade e apesar de ter chegado há pouco tempo, vai ser a nadadora que mais metros de provas individuais vai nadar. Não será de estranhar se aparecer escalada para os 4×200 livres. Filipa Peixeira é uma juvenil-A que já conta com recordes nacionais no currículo. É uma excelente costista que este ano já melhorou todas suas marcas em piscina curta. Estreia-se a nadar o nacional de clubes e a expectativa é grande. Leonor Fernandes, irmã mais nova de Inês, é uma júnior de primeiro ano que está a fazer uma época de alto nível, sobretudo no “seu” estilo de mariposa. Sofia Dionísio já tem vários nacionais de clubes no seu currículo. Vai formar dupla com Anaïs Charro nas provas de bruços e com Mafalda Beleza nos 200 estilos.

Prognóstico Fair Play

No ano passado o Sporting ficou no terceiro lugar mas muito perto (5 pontos) do segundo lugar do FC Porto. Para este ano prevê-se que a estas duas equipas se junte o Benfica numa disputa que pode, inclusivamente, ameaçar o Algés. Por isso, há que considerar que há 4 equipas candidatas ao título.

No que diz respeito ao Sporting, da época passada para esta, não conta com Carolina Guedes, a nadadora responsável pela única vitória do Sporting na edição do ano passado, nem com as irmãs Ranito. No lado das entradas, conta com Beatriz Viegas, Anaïs Charro e Maria Moura, o que permite concluir que, apesar das perdas serem significativas, o Sporting até está mais forte este ano.

E não é apenas pelas entradas que o Sporting se reforçou. Aliás, pensamos que a carreira do Sporting está mais dependente do que poderão fazer as jovens nadadoras que já estavam no clube e que se estreiam a nadar pelo Sporting, como Maria Belo, Filipa Peixeira e Leonor Fernandes. Estas três nadadoras têm estado em grande evidência esta época e se nos nacionais de clubes derem um salto qualitativo grande, o Sporting pode concretizar os seus melhores prognósticos.

A nossa previsão é que a equipa de Alvalade subirá mais um degrau, ou seja, será vice-campeão nacional de clubes femininos.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter