21 Mai, 2018

[Super Sprint] Primeiro teste dos internacionais em 2018

João BastosFevereiro 5, 20187min0

[Super Sprint] Primeiro teste dos internacionais em 2018

João BastosFevereiro 5, 20187min0
A selecção nacional absoluta de natação participou no Meeting Internacional de Uster com vista a avaliar o momento de forma dos nadadores portugueses

Culminando o estágio de 19 dias na Serra Nevada, os internacionais portugueses rumaram à Suíça para participar no 26º Meeting Internacional de Uster, nos dias 3 e 4 de Fevereiro. A competição foi a primeira da temporada em piscina olímpica e constituiu um importante momento de avaliação


A Federação Portuguesa de Natação definiu a participação no Meeting de Uster como um momento de “avaliação e controlo do estado de preparação dos praticantes” e como uma “experiência internacional de elevado nível”. Ambos os objectivos foram, naturalmente, atingidos, com algumas notas a destacar. Assim faremos, individualmente, para os 6 participantes portugueses no meeting suíço (e também para Guilherme Pina que participou no Trofeo Internacional de Natación “Granada Ciudad Universitaria”)

Victoria Kaminskaya

Foto: FPN

Começamos pela nadadora do Estrelas de São João de Brito uma vez que foi por intermédio do seu desempenho nos 400 estilos que Portugal subiu ao lugar mais alto do pódio em Zurique.

A portuguesa nadou a prova no tempo de 4:46.48, estabelecendo novo recorde do meeting e terminando confortavelmente na primeira posição com quase 7 segundos de vantagem sobre a segunda classificada. Este foi o pódio mais português, uma vez que a posição de bronze foi ocupada por Diana Durães.

Esta marca não chega para entrar no top-10 das melhores marcas da estilista nesta prova (é a 11ª melhor da sua carreira), mas não deixa de ser uma boa marca. Há exactamente um ano, já Victoria Kaminskaya tinha batido o recorde nacional desta prova em Antuérpia, mas na recta final da época não conseguiu manter a mesma forma. Este ano podemos esperar uma subida de forma de Victoria até aos Europeus, onde é candidata a chegar à final desta prova (como chegou nos Europeus de piscina curta).

Victoria ainda nadou os 200 estilos, onde foi 4ª classificada com o tempo de 2:16.70, os 200 mariposa, onde também foi 4ª, com 2:14.02 e os 100 mariposa, onde foi 18ª classificada com 1:05.98

Diana Durães

Foto: FPN

Muito boa a indicação que a benfiquista deu nos 400 metros livres. Foi 2ª classificada, atrás da britânica Holly Hibbott, com o tempo de 4:13.03, a sua segunda melhor marca da carreira e segunda melhor marca portuguesa de sempre (detém agora as 8 melhores marcas nacionais dos 400 metros livres). Registando 836 pontos, foi a marca mais pontuada da delegação portuguesa.

Nos 200 metros livres nadou em 2:03.73, passando a liderar o ranking nacional do ano, sendo protagonista de uma proeza que desenvolveremos mais pormenorizadamente num futuro artigo: vamos apenas no início de Fevereiro, mas esta já é a época com o melhor quarteto português de nadadoras de 200 metros livres de sempre: Diana Durães – 2:03.73 em Uster -, Tamila Holub – 2:03.99 em Austin -, Ana Sousa – 2:04.43 em Antuérpia – e Letícia André – 2:04.71 em Antuérpia. Todas as competições foram realizadas em 2018, com menos de um mês de intervalo entre a primeira e a última.

Diana nadou ainda os 400 estilos, como já referimos, nadando em 4:53.81 e trazendo o bronze, nadou os 200 mariposa em 2:21.53 (recorde pessoal nas eliminatórias com 2:20.62), classificando-se em 7º, nadou os 200 estilos em 2:19.59 e no 8º lugar e ainda os 100 costas no tempo de 1:09.19 (20ª classificada).

Gabriel Lopes

Foto: FPN

A prova de 200 metros estilos é a sua principal prova e foi onde obteve o seu melhor desempenho. Depois de vencer as eliminatórias, ficou com o 2º lugar da final, atrás do húngaro Benjamin Gatz.

O nadador do Lousanense nadou no tempo de 2:02.12, exactamente a mesma marca que fez há dois anos no Europeu de Londres, dando a indicação que este ano estará bem mais forte nos Europeus de Glasgow. Com uma marca destas nesta altura da temporada, a barreira dos 2 minutos pode estar próxima.

Nos 400 estilos voltou a qualificar-se com o melhor tempo nas eliminatórias mas na final ficou à porta do pódio, no 4º lugar, marcando 4:28.14. Finalmente nos 100 mariposa foi 8º nadando em 55.43.

Miguel Nascimento

Foto: Luís Filipe Nunes

O nadador do Benfica promete voltar a fazer capas de jornais em 2018. Foi o único que trouxe um recorde pessoal numa das suas provas prioritárias. Foi nos 400 metros livres, o que não surpreende tendo em conta o tempo que já fizera esta época em piscina curta. Miguel nadou em 3:56.10 e conquistou a medalha de prata.

Nos 200 metros livres não ficou muito longe do seu melhor tempo que é de 1:49.97. Nadou em 1:50.77 e foi terceiro classificado, posição que também obteve nos 200 mariposa com o tempo de 2:00.31. Nos 100 metros mariposa foi 10º classificado com 56.12 e ainda nadou as duas provas de estilos. Nos 200 metros foi 13º com o tempo de 2:11.23 e nos 400 metros foi 4º classificado nas eliminatórias com 4:34.41, abdicando de nadar a final.

Raquel Pereira

Foto: Luís Filipe Nunes

A nadadora mais jovem da selecção portuguesa teve um bom desempenho na sua prova principal, os 200 metros bruços, onde foi medalhada de bronze com o tempo de 2:31.57. Depois do fantástico recorde nacional que estabeleceu nesta prova, em piscina curta, é de esperar que venha a fazer um tempo bem melhor do que o que agora fez em Zurique, mas tendo em conta os seus registos em piscina longa, esta já foi uma marca bastante interessante (tem de recorde pessoal 2:29.23).

A nadadora do Algés foi a terceira portuguesa na final dos 200 metros estilos, classificando-se no 9º posto (1ª da final B) com o tempo de 2:19.97 e ainda participou nas eliminatórias dos 50 mariposa onde fez 29.29 e foi 20ª classificada.

João Vital

Foto: FPN

O nadador do Sporting, integrante do Centro de Alto Rendimento do Jamor, obteve o seu melhor desempenho na sua melhor prova, os 400 metros estilos. Vital foi medalha de bronze com o tempo de 4:25.72. Esta foi a sua 6ª melhor marca da carreira e muito próxima da que fizera em Janeiro do ano passado, ou seja, na mesma fase do ciclo competitivo.

João Vital nadou ainda os 200 metros costas onde foi 5º classificado na final nadando em 2:07.82, os 200 metros estilos onde foi 9º com 2:07.88 e os 200 mariposa onde foi 11º com a marca de 2:06.10.

De entre as três provas de 200 metros foi na de estilos que ficou mais próximo do seu recorde pessoal (pouco mais de 1 segundo).

Guilherme Pina

Foto: FPN

Uma vez que no Meeting de Uster não havia a possibilidade de nadar provas mais longas, o nadador do Sporting rumou a Granada para nadar os 400 e os 1500 metros livres.

Para o fundista que treina no CAR do Jamor, o teste não foi em piscina longa, mas em piscina curta. Venceu os 1500 metros livres com grande vantagem e com o tempo de 15:25.32. O teste em piscina longa fica adiado para o próximo fim-de-semana no Meeting Internacional de Lisboa.

Pina nadou ainda os 400 metros livres, chegando à prata no tempo de 3:57.56.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter