Diário de Helsínquia – #Dia5

João BastosJulho 8, 20185min0

Diário de Helsínquia – #Dia5

João BastosJulho 8, 20185min0
Os campeonatos da Europa de Juniores de natação decorrem em Helsínquia. Portugal participa nos Europeus com uma dezena de nadadores

A selecção nacional júnior de natação está a competir de 4 a 8 de Julho na capital finlandesa de Helsínquia, nos campeonatos europeus do escalão. Com uma delegação de 10 nadadores, os jovens lusos vão à conquista da Europa e o Fair Play acompanhará diariamente a Odisseia dos portugueses.


Terminaram os campeonatos da Europa de Juniores e Portugal fechou com chave de ouro com a presença na segunda final em toda a competição e mais dois recordes nacionais.

Estiveram em acção no último dia 8 portugueses.

Filipe Santo

Portugal foi aos 400 estilos masculinos com uma verdadeira armada. Dos 5 nadadores masculinos portugueses só Rafael Simões não nadou essa prova.

Filipe nadou com o melhor tempo de entrada na 2ª de 5 séries graças ao seu tempo de 4:33.37. O nadador do Benfica esteve desde o início a nadar acima dos seus melhores parciais mas foi no percurso de bruços que mais se afastou do seu melhor. No entanto fica o registo positivo de ter acabado a prova nuns impressionantes 58.95 no percurso de crawl. Apenas 1 nadador do top-10 português de sempre conseguiu fazer melhor parcial nesse percurso (Bruno Ramos – 58.91).

O tempo final foi de 4:36.81 e a classificação foi o 27º lugar, melhorando o 32º que trazia de inscrição.

Foto: FPN

Tiago Cordeiro

Tiago teve uma despedida aziaga de Helsínquia, uma vez que acabou desclassificado na sua última prova (também os 400 metros estilos).

Alinhava na mesma série que Filipe Santo, mas na pista 7, com o tempo de inscrição de 4:36.17. Caso não tivesse sido desqualificado teria marcado perto do seu melhor (4:36.88).

Da participação de Tiago Cordeiro, destaque para três novos recordes pessoais nas cinco provas que nado, no entanto aspiraria a mais na sua principal aposta, os 200 metros mariposa.

Foto: Luís Filipe Nunes/FPN

Jorge Silva

O terceiro português a entrar em acção nos 400 metros estilos masculinos. O nadador do Braga estava inscrito com o seu recorde pessoal estabelecido nos Europeus de Juniores do ano passado quando fizera 4:32.61, sendo-lhe atribuída a pista 8 da série 3.

Este ano o jovem nadador não se exibiu ao mesmo nível do ano passado e terminou longe do seu melhor. Marcou 4:42.16 e terminou no 36º lugar final.

Foto: ANNP

José Paulo Lopes

Já era o maior destaque luso destes Europeus mas reforçou estatuto com o seu brilhante desempenho nos 400 estilos.

José Paulo vinha com o 11º tempo de inscrição devido ao seu recorde pessoal de 4:25.30, mas a forma que tinha exibido nos 200 estilos fazia acreditar que iria melhorar esse tempo e que podia mesmo chegar ao recorde nacional júnior-18 anos de João Vital de 4:22.25.

Assim foi. A nadar na combativa 5ª e última série, José Paulo aproveitou a forte concorrência para marcar 4:21.42, um novo recorde nacional que lhe abriu as portas para a final classificando-se no 4º lugar das eliminatórias.

Na parte da tarde o português abriu mais forte na mariposa nadando abaixo de 1 minuto (59.66, de manhã fez 1:00.22) e fez praticamente o mesmo parcial de costas da manhã (1:07.08 à tarde, 1:07.00 de manhã). Foi em bruços que fez pior do que nas eliminatórias (1:15.09 à tarde vs 1:14.19 de manhã) e apesar de ter sido o nadador mais rápido da final no percurso de crawl (59.86. De manhã 1:00.01) não chegou para melhorar de novo o recorde nacional. Terminou com o tempo de 4:21.69 dando-lhe o 6º lugar final.

José Paulo Lopes sai da Finlândia com um balanço altamente positivo: 2 finais e 3 recordes nacionais. Certamente que a próxima vez que representará as cores nacionais será a nível absoluto…e não deverá demorar muito.

Foto: Luís Filipe Nunes/FPN

4×200 metros livres femininos

A participação portuguesa (nas eliminatórias) terminou com uma prova colectiva: os 4×200 metros livres femininos, uma prova onde a queda do recorde nacional era mais ou menos anunciada, isto porque estavam presentes excelentes especialistas da distância.

O recorde júnior foi estabelecido nos Europeus de 2016, em Hodmezovasarhely, por uma equipa composta por Tamila Holub, Inês Henriques, Raquel Pereira e Madalena Azevedo que o fixaram em 8:28.70.

A equipa deste ano era composta por Letícia André, Ana Sousa, Alexandra Frazão e Luísa Machado.

Letícia abriu com 2:05.00, Ana fez o segundo percurso em 2:03.91, Alexandra nadou em 2:06.53 e Luísa fechou a estafeta em 2:09.12, resultando num tempo final de 8:24.56, novo recorde nacional júnior por mais de 4 segundos e o 11º lugar final.

É de destacar que das quatro nadadoras que compuseram a estafeta, 3 ainda são juniores de primeiro ano, pelo que se pode esperar que Portugal volte a ter uma estafeta de 4×200 metros livres femininos de grande nível na próxima edição dos Europeus de Juniores e, quem sabe, aí chegar à final.

Foto: FPN

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter