Diário de Helsínquia – #Dia1

João BastosJulho 5, 20187min0

Diário de Helsínquia – #Dia1

João BastosJulho 5, 20187min0
Os campeonatos da Europa de Juniores de natação iniciaram-se em Helsínquia. Portugal participa nos Europeus com uma dezena de nadadores

A selecção nacional júnior de natação está a competir de 4 a 8 de Julho na capital finlandesa de Helsínquia, nos campeonatos europeus do escalão. Com uma delegação de 10 nadadores, os jovens lusos vão à conquista da Europa e o Fair Play acompanhará diariamente a Odisseia dos portugueses.


O primeiro dia de competições dos Campeonatos da Europa de Juniores saldou-se por dois recordes nacionais da categoria, uma meia-final e seis recordes pessoais para os oito nadadores portugueses que entraram em acção no dia de hoje.

Fazemos o resumo dos seus desempenhos:

Tiago Cordeiro

O nadador do Benfica foi o primeiro português a competir e abriu a sua participação nos 50 metros mariposa, uma prova à medida para se ir ambientando à competição, já que a sua especialidade (200 metros mariposa) será nadada no dia de amanhã.

Tiago foi o 59º classificado (em 62), no tempo de 26.49, um novo recorde pessoal, que o deverá motivar para o dia de amanhã onde parte com o 23º melhor tempo de entrada com a marca de 2:02.90.

Foto: Luís Filipe Nunes/FPN

Ana Sousa

Na terceira prova do programa chegou o primeiro recorde nacional. Ana Reis Sousa, nadadora do Clube de Natação do Litoral Alentejano, nadou na 3ª série, inscrita com o tempo de 57.87, uma marca que estava a apenas 4 centésimos do recorde nacional júnior-16 anos na posse de Letícia André (a nadar na mesma série).

Ana partiu muito rápida e pela primeira vez na carreira passou abaixo de 28 segundos aos 50 metros (27.74). Na segunda metade de prova a portuguesa conseguiu manter o bom ritmo e terminar no tempo de 57.11, novo recorde nacional júnior-16 anos, melhor do que o máximo júnior-17 anos (57.63).

Por apenas dois lugares Ana Sousa falhou o acesso à meia final. Foi 22ª classificada mas quatro nadadoras que ficaram à sua frente foram as terceiras dos seus países.

Ana Sousa ainda nadou os 800 metros livres no final da sessão e aí o resultado já não foi tão positivo (21ª em 21 nadadoras com o tempo de 9:22.27. Tem de recorde pessoal 9:02.99), mas quando nadou as eliminatórias da prova ainda podia ter a possibilidade de vir a ser repescada para nadar a meia final dos 100 metros livres na sessão da tarde tendo-se resguardado na prova mais longa.

Foto: Luís Filipe Nunes/FPN

Letícia André

A nadadora do Benfica e Ana Sousa já se encontraram muitas vezes em diferentes provas nas piscinas portuguesas. Também nos palcos europeus se encontraram hoje para nadar os 100 metros livres.

Na mesma série (série 3) e a nadar na pista 3, Letícia partia com o estatuto de recordista nacional júnior-16 anos com a marca de 57.83 realizada no X Meeting Internacional de Lisboa.

A sua passagem aos 50 metros foi praticamente igual à que fez aquando do seu recorde (28.37 vs. 28.31), e mesmo os segundos 50 metros não foram muito longe (29.70 vs 29.52), o que resultou num tempo final apenas um pouco acima do seu melhor. Realizou 58.07 e foi 43ª classificada (em 66 nadadoras). Perdeu o seu recorde nacional para a sua companheira de treino no Centro de Alto Rendimento mas a proximidade ao seu melhor tempo mostrou que está em forma para o que ainda lhe falta nadar.

Foto: Luís Filipe Nunes/FPN

Filipe Santo

Terceiro nadador do Benfica a entrar em acção. O fundista português iniciou a sua participação finlandesa nos 400 metros livres e entrou com os “dois pés direitos” quebrando uma importante barreira psicológica na prova, a dos 4 minutos.

Filipe tinha de recorde pessoal o tempo de 4:01.66, feito nos nacionais da 1ª divisão, em Março deste ano, e entrou hoje no grupo dos sub-4 ao nadar em 3:59.39. Esta marca valeu-lhe o 35º lugar final (em 57 nadadores) e a boa indicação para aquela que é a sua principal prova, os 1500 metros livres, uma prova que será nadada amanhã e onde o português parte com o 14º melhor tempo de inscrição.

Foto: FPN

José Paulo Lopes

Nos 400 metros livres masculinos Portugal voltou a ter dois representantes. Depois de Filipe Santo ter nadado na 2ª série, o nadador do Sporting de Braga, José Paulo Lopes, nadou duas séries depois.

Lopes está inscrito para nadar os 200 e 400 estilos, os 400 e 800 livres e era nos 400 metros livres que partia com a sua pior posição na start list (29º lugar). No entanto a classificação final de José Paulo foi bem melhor que a posição inicial. O português fez uma prova fantástica e bateu o recorde nacional júnior-18 anos (que já era seu) por dois segundos exactos.

Nadou em 3:54.78 vencendo a sua série e classificando-se no 15º lugar final. Uma excelente entrada do português que amanhã nada os 200 metros estilos, uma prova onde parte com o 7º melhor tempo e a melhor posição de entrada de toda a equipa portuguesa, aspirando, naturalmente, a chegar à final da prova.

Nos 400 metros livres passou a ser o 2º melhor português de sempre, apenas superado pelo recordista nacional absoluto Jorge Maia.

Foto: Luís Filipe Nunes/FPN

Jorge Silva

O nadador do Sporting de Braga, tal como o seu companheiro de equipa, está a cumprir a sua segunda participação em campeonatos da Europa de Juniores e iniciou o seu programa de provas nadando os 200 metros bruços.

À partida era o 32º colocado na lista de entrada com o tempo de 2:23.25, que não é o seu recorde pessoal. Esse é 1 segundo abaixo, feito há dois anos.

Jorge foi o 4º classificado da 2ª série e nadou no tempo de 2:23.64, equivalente ao 35º lugar final.

Amanhã volta à piscina de Helsínquia para nadar os 200 metros estilos na última de quatro séries.

Foto: Luís Filipe Nunes

Rafael Simões

Terceiro nadador do Sporting de Braga a entrar em acção e, à semelhança do seu companheiro de equipa, nos 200 metros bruços.

Rafael vinha inscrito com o seu recorde pessoal de 2:18.50 que lhe dava a 18ª posição de entrada, ou seja, com boas possibilidades de atingir a meia-final. E o jovem português não falhou essa possibilidade e inclusivamente melhorou o seu recorde pessoal nadando em 2:18.45 e classificando-se em 5º lugar na 3ª de 5 séries. Na geral foi o 14º das eliminatórias garantindo o acesso à meia final.

Na prova da tarde nadou a 1ª semifinal e desde logo nadou mais rápido do que da parte da manhã passando em 1:06.52 aos 100 metros (1:07.16 de manhã) e concluindo a prova novamente com novo recorde pessoal: 2:18.21 foi o tempo final que lhe valeu a mesma posição que da parte da manhã, ou seja, 14º lugar.

Rafael volta a nadar na 6ª feira, na prova dos 50 metros bruços.

Foto: Luís Filipe Nunes/FPN

Alexandra Frazão

A última portuguesa da manhã a competir em Helsínquia foi a nadadora do CASPAE, Alexandra Frazão na prova de 800 metros livres.

Alexandra nadou na 2ª de 3 séries com o seu tempo de entrada de 8:54.79, um tempo que a júnior de primeiro ano veio determinada a bater e pela primeira vez passou aos 200 metros abaixo de 2:10 (2:09.89), mantendo o bom ritmo também nos 400 metros continuando a fazer a sua passagem mais rápida de sempre em 4:25.10 e na segunda metade da prova esteve sempre abaixo do seu recorde pessoal, excepto nos últimos 50 metros, que acabaram mesmo por impossibilitar essa melhoria. Marcou 8:56.09 e foi a 10ª classificada na prova, a melhor classificação dos portugueses até ao momento.

Alexandra volta a nadar na 6ª feira, na primeira de duas séries de 1500 metros livres femininos.

Foto: Luís Filipe Nunes/FPN

 


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter