10 Promessas da Natação Portuguesa

João BastosSetembro 9, 201712min0

10 Promessas da Natação Portuguesa

João BastosSetembro 9, 201712min0
O Fair Play faz o balanço da época 2016/2017 da natação portuguesa, no que diz respeito aos escalões de formação e elenca 10 nomes que deram nas vistas

Uma época bastante positiva nos escalões de formação com 51 novos recordes nacionais no somatório dos escalões infantis e juvenis. Entre muitos nadadores que poderíamos destacar, o Fair Play indica 10 sobre os quais recaem expectativas no que respeita às suas carreiras futuras na natação nacional


Alexandra Frazão (Individual)

A nadadora juvenil-A, que este ano competiu a título individual mas integrada na Fundação Beatriz Santos, teve uma época de alto nível.

Alexandra já dá nas vistas desde a categoria infantil-B, quando chegou ao record nacional da categoria nos 200 metros livres em piscina curta. Enquanto infantil-A continuou a senda dos bons resultados, voltando a bater o record nacional dos 200 livres em piscina curta, somando o record nacional em piscina longa.

Chegando ao escalão de juvenis, teve um primeiro ano mais discreto, mas este ano “explodiu” autenticamente, afirmando-se até ao nível de absolutos.

Voltou a bater o record nacional dos 200 livres da sua categoria, em piscina longa – 2:05.94 – e em piscina curta – 2:04.01 -, mas a sua grande marca da temporada veio no Open de Portugal, quando baixou dos 9 minutos aos 800 metros livres (8:59.54), um tempo que, não sendo record nacional, é abaixo do mínimo para o Europeu de Juniores da próxima época e faz dela a 10ª melhor portuguesa de todos os tempos, na prova.

Ana Sofia Pina (O Crasto)

Mais uma juvenil-A que esteve em grande plano em 2016/2017. A nadadora de Castro D’Aire tornou-se apenas na terceira juvenil portuguesa de sempre a baixar da barreira dos 5 minutos nos 400 estilos.

Tendo em conta que as outras duas são Diana Durães (recordista nacional juvenil-A) e Victoria Kaminskaya (recordista nacional absoluta), o feito de Ana Sofia Pina ganha uma relevância extra.

O que também é relevante é que as suas nove melhores marcas aos 400 estilos foram feitas esta época, o que evidencia a sua enorme evolução e indicia que é uma tendência a manter na época que está prestes a dar início, ou seja, a sua primeira como júnior.

Nos 200 estilos tornou-se na nova recordista nacional juvenil-A em piscina curta com os 2:18.48 feitos na Mealhada.Para além das provas de estilos, Ana Sofia é também uma excelente nadadora de 100 e 200 mariposa, 200, 400 e 800 livres, o que revela a versatilidade da nadadora de 15 anos.

Camila Rebelo (Louzan)

Juvenil-B – nascida em 2003 – que este foi das nadadoras portuguesas que mais recordes nacionais de categoria estabeleceu, nos escalões inferiores. Ao todo foram quatro – 100 e 200 metros livres em piscina curta e duas vezes aos 200 metros costas em piscina longa.

Mas aquela que pode ser considerada a sua melhor prova até é os 100 metros costas, uma prova onde não é recordista nacional da categoria (ficou a 47 centésimos em piscina longa e a 74 centésimos em piscina curta), mas na qual já ultrapassou os 700 pontos FINA em piscina longa.

Camila foi, de resto, a única juvenil-B em Portugal (e também considerando o sector masculino) que ultrapassou os 700 pontos. Fê-lo nos 200 livres em piscina curta, com os 2:04.38 do record nacional, e nos 100 costas em piscina longa, com 1:05.37.

Tendo em conta que na categoria superior (Juvenil-A) apenas 4 nadadoras e 2 nadadores ultrapassaram a barreira dos 700 pontos, dá para ter uma ideia do excelente nível que a nadadora de apenas 14 anos já apresenta.

Carolina Fernandes (Galitos de Aveiro)

Em Portugal já apareceram muitos talentos fora de série, nos escalões de formação…nenhum ao nível de Carolina Fernandes.

A nadadora tem apenas 11 anos, mas o seu nome já não é estranho a ninguém que acompanhe a natação nacional.

Terminou a época sendo recordista nacional infantil-B em piscina curta nas provas de 50, 100 e 200 livres, 100 e 200 costas, 100 mariposa e 200 estilos e ainda integrando a estafeta 4×100 livres do Galitos de Aveiro, e em piscina longa nos 50 e 100 livres, 100 costas, 100 e 200 mariposa e 200 estilos. Contando que em quatro provas bateu o record nacional por mais que uma vez, foram 18 os recordes nacionais que a nadadora do Galitos bateu esta época.

Carolina é um talento invulgar, mas na natação portuguesa já se viram vários fenómenos nos escalões de formação que depois não atingiram um patamar condizente no nível sénior. Esperemos que não seja o caso de Carolina Fernandes porque, e apesar de ainda ser infantil, podemos estar na presença de uma nadadora que pode vir a quebrar barreiras para a natação portuguesa.

Diogo Cardoso (Colégio Monte Maior)

Depois de uma época onde foi campeão nacional de longa distância com melhor marca juvenil-A de sempre, campeão nacional juvenil-A dos 1500 metros livres e campeão nacional juvenil na mesma prova, Diogo Cardoso já tinha feito o suficiente para vir parar a esta lista, mas foi o que fez no cair do pano que merece a maior nota de destaque.

No Festival Olímpico da Juventude Europeia, Diogo baixou pela primeira vez dos 16 minutos aos 1500 metros, marcando 15:52.62, um tempo abaixo do apuramento para o Europeu de Juniores da próxima época.

O nadador do Colégio de Monte Maior tornou-se no segundo juvenil português a nadar abaixo dos 16 minutos, apenas superado pelo recordista nacional Gustavo Santa. Entrou ainda no top-10 europeu do ano, na sua categoria (7º da Europa entre os nascidos em 2001) e foi o 6º melhor em Portugal, a nível absoluto, na época em que mais nadadores portugueses baixaram dos 16 minutos.

Francisca Mesquita (Colégio Monte Maior)

Os nadadores juvenis do Colégio Monte Maior tiveram uma recta final da época de luxo. Francisca Mesquita ficou fora da selecção nacional juvenil convocada para o FOJE, mas aproveitou da melhor maneira a sua participação no Nacional de Juvenis ao ser penta-campeã nacional.

Das 5 provas que venceu nesses campeonatos, em 4 estabeleceu novos recordes pessoais e em três tornou-se a líder nacional do ano no seu escalão (100 e 200 mariposa e 200 estilos).

Apesar de ausente de Gyor (onde decorreu o FOJE), Francisca nadou sempre melhor do que as nadadoras convocadas para nadar as provas que a nadadora de 15 anos nadou no Nacional (200 e 400 estilos).

Com tamanha progressão nesta fase final da época, podemos esperar que na sua primeira época de júnior possa vir o seu primeiro record nacional e eventualmente o apuramento para os Europeus de Juniores, que já não está longe.

Mariana Cunha (Fluvial Portuense)

A nadadora infantil-A do Fluvial Portuense é a nova recordista nacional da sua categoria nos 200 metros estilos, quer em piscina longa, quer em piscina curta. São dois os recordes que detém, mas podiam ser mais, já que a nadadora de 13 anos tornou-se na segunda melhor de sempre noutras três provas.

Mariana foi, a par de Carolina Fernandes, a nadadora infantil que mais vezes se sagrou campeã nacional com os quatro ouros conquistados em Loulé.

A nadadora do CFP terminou a época como líder infantil nacional do ano em 15 provas – 7 em piscina longa e 8 em piscina curta.

Rafaela Azevedo (Algés)

De todos os presentes nesta lista, Rafaela é a nadadora de maior currículo, e grande parte dele construído esta época.

A nadadora juvenil-A este ano até nem bateu nenhum record nacional, mas conseguiu subir um patamar, ou seja, ser convocada para a selecção nacional júnior, sendo ainda juvenil.A nadadora de 15 anos esteve presente em Netanya nos Europeus de Juniores a nadar os 50, 100 e 200 metros costas.

Nos 50 metros costas conseguiu a proeza de se tornar na 4ª melhor nadadora portuguesa de sempre, com os seus 29.80, um feito impressionante, tendo em conta que esta prova só é reconhecida nos escalões a partir de júnior.

Outro feito impressionante da algesina esta época foi o duplo ouro a nível absoluto, conquistado nos nacionais de Coimbra. Foi aos 50 e 100 metros costas.

Ricardo Rocha (Aquático Pacense)

As provas de costas, na categoria juvenil-B, apresentaram um nível muito elevado, sobretudo os 100 costas, prova na qual três nadadores entraram este ano no top-5 dos melhores juvenis B portugueses de sempre.

Foram eles, o campeão nacional juv-B, Martim Alfama (GesLoures) para o 5º lugar com 1:01.00, o vice-campeão nacional juvenil e vice-campeão nacional juv-B, Diogo Costa (Colégio Monte Maior) para o 3º lugar com 1:00.75 e o campeão nacional juvenil, Ricardo Rocha (Aquático Pacense), o segundo melhor nadador juvenil-B de sempre nos 100 costas com 1:00.62, apenas superado pelo recordista nacional, e único juvenil-B abaixo de 1 minuto, Diogo Sousa – 59.97.

Entre tanto talento na técnica de costas na sua categoria, Ricardo Rocha distinguiu-se como o líder nacional do ano nos 50, 100 e 200 metros costas em piscina longa e nos 100 metros costas em piscina curta.

Tiago Rodrigues (Luso)

O nadador infantil-A baixou por duas vezes o record nacional da categoria nos 100 metros livres em piscina curta, fixando-o, por ocasião do Open do Vale do Sousa, em 54.63.

Esteve ainda muito próximo de também conseguir o máximo nacional em piscina longa quando, nos nacionais de Infantis, ficou a 1 escasso centésimo do record nacional de David Ferro (55.53) que já dura há 19 anos.

Tiago teve uma evolução acentuada nesta época (mesmo tratando-se de um nadador infantil) não só nos 100, mas também nos 200 metros livres, prova onde foi o melhor nadador nos nacionais de Infantis mas não foi campeão nacional uma vez que nadou como extra-prova.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter