23 Mai, 2018

Raquel entre a elite mundial júnior

João BastosAgosto 23, 20177min0

Raquel entre a elite mundial júnior

João BastosAgosto 23, 20177min0

Começa hoje na cidade de Indianapolis a 6ª edição dos Campeonatos do Mundo de Juniores, a competição que acontece de dois em dois anos e que juntará os melhores nadadores sub-18 do Mundo. Entre eles há uma portuguesa: Raquel Pereira


De 23 a 28 de Agosto o futuro da natação mundial desvenda-se nos VI Mundiais de Juniores. Depois das edições do Rio de Janeiro 2006, de Monterrey 2008, de Lima 2011, do Dubai 2013 e de Singapura 2015, é agora a vez de Indianapolis receber uma competição que nunca se disputou na Europa.

A partir da 3ª edição que os mundiais de juniores se disputam no mesmo ano dos mundiais absolutos, havendo vários nadadores que se conseguem apurar para ambos. No caso concreto da edição de 2017, são os nadadores que estiveram nos mundiais de Budapeste, há um mês, que se tornam os grandes cabeças de cartaz.

Confronto de jovens titãs

Nesse sentido, mais do que nomear os nadadores que poderão ser os grandes destaques da semana de competição na cidade americana, vamos antever quais os duelos mais imprevisíveis entre nadadores que, apesar de muito jovens, já contam com um currículo invejável:

Nicolo Martinenghi (ITA) vs Michael Andrew (EUA)

O norte-americano Michael Andrew é o principal nome destes Mundiais e propõe-se a fazer algo inédito na história da competição. O nadador de 18 anos vai nadar os 50 metros de todas as quatro técnicas, os 100 bruços e os 200 estilos, para além das estafetas norte-americanas (que são 5, contando estafetas masculinas e estafetas mistas).

Na técnica de bruços vai encontrar um adversário muito difícil de transpor. O italiano Nicolo Martinenghi é o recordista mundial júnior dos 50 e 100 metros bruços, campeão europeu de juniores em ambas as provas e semifinalista no mundial de Budapeste.

O palmarés do italiano não intimidará Andrew que, para além de Martinenghi, é o único júnior no mundo a nadar 100 bruços abaixo do minuto.

Michael Andrew | Foto: Swimming World Magazine

Regan Smith (EUA) vs Polina Egorova (RUS)

Regan Smith é a nova coqueluche norte-americana. Aos 15 anos já tem no currículo uma final num mundial. A nadadora mais nova da comitiva dos Estados Unidos em Budapeste foi 8ª na final dos 200 metros costas, numa prova onde bateu o record do mundo de juniores nas meias finais e depois perdeu-o na final, para Kaylee McKeown, da Austrália (que não vai estar presente em Indianapolis).

Polina Egorova foi bi-campeã da Europa de Juniores (100 e 200 costas), aproximando-se muito do máximo mundial de juniores na prova de 100 metros.

As duas vão, certamente, protagonizar grandes duelos nos 100 e 200 costas, com o favoritismo a cair para a russa na prova mais curta e para a americana na prova mais longa.

Regan Smith | Foto: SIPA USA

Michael Andrew (EUA) vs Kliment Kolesnikov (RUS)

Mais uma vez o norte-americano envolvido em duelos de alto nível. Com o russo Kolesnikov serão dois, mas é o da prova de 50 metros costas que é mais aguardado. É que Andrew venceu a prova há dois anos em Singapura, mas Kolesnikov é o recordista mundial de juniores com 24.94.

Os dois voltam a encontrar-se nos 200 metros estilos, mas aqui a luta será a três, com o espanhol Hugo Gonzalez a repartir o favoritismo em partes iguais com o americano e o russo.

Kliment Kolesnikov | Foto: Swim Illustrated

Kristoff Milak (HUN) vs Egor Kuimov (RUS)

Esta é a história de uma nova rivalidade. Nos Europeus de Juniores de Netanya, no passado mês de Junho, Kristoff Milak fez uma marca inimaginável nos 200 mariposa. Os seus 1:53.79 constituíram record do mundo de juniores e ultrapassaram o tempo que Michael Phelps tinha com a idade do húngaro.

Naturalmente, Milak era também o grande favorito para levar a prova de 100, mas o russo Egor Kuimov superiorizou-se com o excelente tempo de 51.35.

Milak não perdeu muito tempo e nos Mundiais de Budapeste sagrou-se, de forma surpreendente, vice-campeão do mundo dos 100 mariposa com o novo record do mundo de juniores de 50.62.

O húngaro volta a ser favorito para o confronto, mas se há alguém que sabe contrariar o favoritismo de Milak é Kuimov.

Kristoff Milak | Foto: MTI

Rikako Ikee (JPN) vs Rebecca Smith (CAN)

Este vai ser o duelo mais vezes repetido ao longo destes campeonatos. Ao todo, a japonesa e a canadiana encontrar-se-ão três vezes em provas individuais.

Será nos 50 e 100 mariposa e 100 livres. Nas três Ikee é favorita, não fosse ela recordista mundial júnior nos 50 mariposa, campeã em título nos 100 mariposa e tivesse o melhor tempo de todas as inscritas nos 100 livres, mas apesar da qualidade da japonesa, Rebecca Smith está muito perto em todas as provas e pode vir a ser uma grande pedra no sapato de Rikako Ikee.

Rikako Ikee | Foto: Federação de Natação de Singapura

Raquel Pereira entre as melhores do mundo

Depois de uma edição de 2015, em Singapura, onde Portugal teve a maior delegação de sempre em Mundiais de Juniores (com 8 nadadores), dois anos volvidos e temos a mais pequena delegação de sempre, apenas com a presença de Raquel Pereira, nadadora do Sport Algés e Dafundo.

A brucista portuguesa já é uma repetente, tendo feito parte da equipa de Singapura com apenas 15 anos de idade.

Agora, mais experiente, Raquel vem à procura de entrar na galeria dos melhores nadadores portugueses nesta competição.

No conjunto das últimas 5 edições, Portugal já esteve representado em 4 finais. Duas logo na primeira edição, quando Diana Gomes foi 6ª nos 50 metros bruços e 4ª nos 100 metros bruços, aquela que é até hoje a melhor classificação portuguesa em Mundiais de Juniores.

Em 2013 foi Florbela Machado, na prova de 1500 metros livres, que ficou entre as 8 melhores do mundo, classificando-se no 6º lugar.

Finalmente, na última edição, João Vital chegou à prova decisiva nos 400 estilos, quedando-se pelo oitavo lugar.

Raquel Pereira vai ter um programa de provas bastante preenchido, estando inscrita nos 50, 100 e 200 metros bruços e ainda 200 metros estilos.

A sua melhor posição na start list, e também a prova onde ela tem maiores hipóteses de chegar à final, é o 7º lugar nos 200 bruços, com o seu record nacional júnior de 2:29.23. Nas outras provas está colocada no 13º lugar aos 100 bruços, no 22º lugar aos 200 estilos e no 28º lugar aos 50 metros bruços.

Os 50 bruços são logo a abrir o Mundial, seguindo-se os 100 bruços na sexta-feira, dia 25, os 200 estilos no sábado (26) e, finalmente, a sua melhor prova no último dia (segunda-feira, dia 28).

Foto: Luís Filipe Nunes


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter