Mundial sub-18 de andebol feminino: na luta pelo 13º lugar

Ana CarvalhoAgosto 6, 20224min0

Mundial sub-18 de andebol feminino: na luta pelo 13º lugar

Ana CarvalhoAgosto 6, 20224min0
Derrota contra o Egipto e empate ante a Croácia ditaram que Portugal caísse na luta pelo 13º lugar do Mundial de andebol de sub-18 e contamos o que se passou

Depois do incrível apuramento para o Main Round, conseguindo assim um lugar na primeira metade da tabela do Campeonato do Mundo de andebol feminino de Sub18, Portugal deparou-se com dois adversários difíceis, o Egipto e a Croácia, que levaram a equipa Portuguesa à luta pelo 9º lugar.

O primeiro jogo opôs Portugal ao 1º do Grupo D, a equipa do Egipto, um jogo que a armada lusitana se via obrigada a vencer se ainda queria aspirar a chegar a um lugar nos ¼ de final. O jogo foi bastante equilibrado do início ao fim, mas Portugal nunca conseguiu estar em vantagem, correndo sempre atrás do resultado. Tal como já havíamos referido, o estilo de jogo da equipa do Egipto é muito rápido, com muitas tentativas de penetração aos 6m, mas com pouca organização tática.

Num jogo bastante anárquico taticamente, Portugal entrou no ritmo de jogo frenético do Egipto, fazendo ataques muito rápidos, o que levou a um elevado número de falhas técnicas (24) e a uma baixa eficácia de ataque (50%). De referir que a qualidade do jogo foi muito baixa, com demasiados erros não forçados de parte a parte (48 falhas técnicas entre as duas equipas), incluindo uma equipa de arbitragem pouco segura e que não conseguiu liderar corretamente um jogo deste calibre.

Muitas das figuras habitualmente em destaque na equipa portuguesa estiveram aquém do seu habitual desempenho, destacando-se Luana Jesus com 3 golos em 4 tentativas e Luciana rebelo que ofensiva se mostrou uma mais-valia no jogo (7/10 golos), mas defensivamente acabou por ser um elemento menos competente, sendo um elemento mais permeável e muito fácil de desequilibrar pelo ataque egípcio. Infelizmente, no final o resultado foi favorável à equipa do Egipto (24-22), que com esta vitória se conseguiu apurar para as 8 primeiras equipas do Mundial.

Portugal com esta derrota, e com o resultado do outro jogo do grupo deste Mundial de andebol, onde a Dinamarca venceu a Croácia (29-23), ficava dependente do resultado do último jogo do grupo para saber para quais lugares iria lutar nos dias finais da competição.

No dia de ontem (5/08) Portugal defrontou a seleção da Croácia, uma equipa fisicamente forte, mas totalmente ao alcance da seleção nacional. O equilíbrio entre as duas equipas foi notório desde o início do jogo, e mesmo quando Portugal se encontrou em vantagem de alguns golos, se percebia que o jogo poderia ainda assim cair para qualquer uma das formações.

O resultado final ditou um empate a 28 bolas (15-12 ao intervalo favorável para Portugal), atirando equipa portuguesa para a luta pelo 13º lugar. Portugal apresentou o seu habitual 6:0 bastante agressivo, iniciando o jogo com Carmen Figueiredo e Joana Semedo como defensoras centrais. Luís Santos fez algumas alterações ao seu 7 inicial, dando lugar a Mariana Silva como organizadora do jogo. Esta é uma atleta que tem vindo a ter uma prestação bastante positiva neste Mundial, sendo uma alternativa válida a Constança Sequeira.

Este foi mais um jogo pautado por muitos erros não forçados de ambas as equipa (35 falhas técnicas), provavelmente justificadas pela utilização de uma nova bola e pela proibição da utilização de resina, uma nova regra que está a ser testada nesta competição. Sendo esta uma ferramenta que desde cedo as atletas estão habituadas a utilizar, a adaptação a uma nova bola sem utilização da resina (uma substância que ajuda a agarrar melhor a bola), poderá justificar o elevado número de falhas técnicas que se tem vindo a registar nos jogos do Mundial.

Luana Jesus, que tem vindo a ter uma prestação bastante consistente, voltou a estar em destaque, sendo uma arma importante na ponta esquerda, local muito procurado para finalização da equipa portuguesa.

Na baliza, Rita Guimarães esteve bastante segura, conseguindo aliar as defesas com excelentes passes para contra-ataque, uma das melhores armas da equipa nacional. Constança Sequeira com mais uma exibição de luxo foi a jogadora mais em destaque da equipa liderada por Luís Santos, tendo uma eficácia de 77% (10/13), sendo considerada a MVP do jogo pela IHF (Federação Internacional de Andebol).

Depois do dia de folga, Portugal irá defrontar a equipa do Brasil e dependendo do resultado desse jogo terá a última jornada contra as equipas do Irão ou Montenegro, lutando pela 13ª neste Mundial de Andebol de Sub18.

Calendário jogos de Portugal no Main Round

07/08 Brasil-Portugal 15h00
Definição de lugar – dia 08/08 horário e adversário dependentes do resultado do jogo de dia 07/08


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter