Fevereiro de loucos no UFC com regresso de “Spider” Silva ao octágono

Renan BrunacciFevereiro 12, 20194min0

Fevereiro de loucos no UFC com regresso de “Spider” Silva ao octágono

Renan BrunacciFevereiro 12, 20194min0
Neste mês de Fevereiro tivemos um aglomerado de eventos do UFC, com muitas estreias e retornos ao octógono. Vejo no Fair Play o que já aconteceu, e o que está por vir.

Mês de Fevereiro é o mais curto, mas nem por isso o mundo do MMA fica em baixa.

Neste mês tivemos dois eventos organizados pelo UFC, que deixaram os fãs ansiosos.

Começamos com o UFC Fight Night 144, que aconteceu no nordeste brasileiro, mais especificamente em Fortaleza, Ceará.

Nesse evento, esperamos por mais uma volta por cima do guerreiro José Aldo, que está em constante afirmação, após derrota devastadora que sofrera frente o irlandês Conor McGregor.

Aldo tinha pela frente um lutador brasileiro, cotado para ser um dos melhores dessa época o Renato Carneiro, também conhecido como Renato Moicano.

Moicano era o favorito, mas Aldo é, ainda, a estrela. E não fez por menos, trabalhou com calma, buscando o melhor momento para finalizar daquele jeito que os brasileiros conhecem.

Logo no primeiro minuto do segundo round, Aldo foi pra cima, e com a brutalidade que lhe é comum, nocauteou Renato, que nada pode fazer contra a avalanche de socos desferidos pelo ”Campeão do Povo”.

Um evento no Brasil e com muitos brasileiros dando show, como sempre.

Demian Maia, deu mais uma demonstração do que é ser um lutador de Jiu-Jitsu em meio aos lutadores de MMA. Demian nunca escondeu de ninguém que, seu jogo é no solo, busca sempre imobilizar os adversários e assim vencer suas lutas.

Dessa vez não foi diferente, com atuação impecável, o lutador brasileiro finalizou o norte-americano Lyman Good ainda no primeiro round.

Aos 2m38s o veterano encaixou um mata-leão em Lyman, que mais nada pode fazer a não ser bater 3 vezes. Com isso Maia encerra uma sequência negativa de 3 derrotas.

Tivemos também ainda nessa noite, o recordista em finalizações de toda a historia do UFC.

Charles do Bronx, que em Setembro de 2018 já havia quebrado o recorde que pertencia a Royce Gracie, fez questão de finalizar mais um adversário, e elevar ainda mais seu recorde que agora chega a treze vitórias só por finalizações.

Assim como Aldo, Charles finalizou David Teymur no começo do segundo round.

Detalhe, nenhuma dessas lutas foram a principal do evento, que ficou por conta da luta entre dois brasileiros em constante evolução, e que já haviam se enfrentado.

Marlos Moraes, peso-galo carioca, finalizou o pernambucano Raphael Assunção aos 3m17s do primeiro round, na luta principal, vingando uma contestada derrota por decisão dividida no primeiro encontro entre eles, em 2017.

No ultimo dia 10, tivemos o UFC 234: Whittaker vs. Gastelum.

Infelizmente a luta principal não aconteceu. Whittaker, teve uma hérnia no abdômen, e Israel Adesanya vs. Anderson Silva virou a luta principal na Austrália.

Não por menos, e não desejando o mal aos lutadores do evento principal, mas o Anderson Silva é sempre a luta principal.

Silva não venceu, mas deu um verdadeiro show em seu retorno ao octógono após dois anos afastado. Aos 43 anos, o ídolo do MMA foi derrotado por decisão unânime dos juízes pelo nigeriano. Adesanya é fã confesso de Anderson e é considerado a versão mais jovem do ”Spider”.

O nigeriano é tratado como uma das maiores promessas do MMA e, confirmando isso contra o ídolo mantendo-se invicto no desporte, com 16 vitórias. Humilde, Adesanya disse ao fim da luta que lutar o contra Anderson era como ”jogar basquete contra Michael Jordan”.

E o mês não termina por aí…

No dia 17 de Fevereiro, teremos o retorno da Lenda pesada, Caín Velásquez que, enfrenta Francis Ngannou. A família Gracie está de volta, nessa mesma noite teremos a estreia de Kron Gracie na categoria pena. Kron é nada mais nada menos que filho de Rickson Gracie e neto de Helio Gracie, o responsável pela história do Jiu brasileiro no mundo.

Veremos se sobrenome resolve os problemas que Kron irá encontrar dentro do Octógono.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter