A incrível superioridade de Israel Adesanya na categoria peso-médio no MMA.

Renan BrunacciSetembro 29, 20203min0

A incrível superioridade de Israel Adesanya na categoria peso-médio no MMA.

Renan BrunacciSetembro 29, 20203min0
Um homem praticamente invencível! Aonde Israel Adesanya pode chegar no mundo das lutas? No último final de semana o nigeriano mostrou novamente perfeição no octógono do UFC.

A luta mais esperada de 2020 teve um mix de sabores. Todos esperavam o combate do século, pois os dois oponentes estava em linha de choque hà pelo menos 1 ano. Israel Adesanya e Paulo Borrachinha, vinham trocando farpas pelas rede sociais, e até mesmo em eventos do UFC aonde os dois ou algum dos dois participariam.

O gosto amargo fica para o brasil, país da onde vem Borrachinha, e talvez o maior numero de fãs da maior franquia de MMA do mundo, o UFC. Isto porque o brasileiro, desafiante ao cinturão peso-médio do Ultimate, foi completamente dominado, e nocauteado aos 3m59s do segundo round por Israel Adesanya, campeão da categoria.

Fonte: DAZN.

O Paulo perdeu pela primeira vez na carreira, enquanto “The Last Stylebender” anotou o 20º triunfo de sua invicta carreira.

A dúvida é: Como uma luta que parecia tão igual e equivalente, pode ter sido tão predominante por um lado só?

Os números do combate nos ajudam a entender um pouco a questão.

O primeiro número que chama a atenção é o de golpes. E a diferença grande entre os lutadores: Adesanya acertou quase 5x mais golpes que o rival.

E o que explica isso é o número que vem a seguir: 45 dos 55 golpes que Adesanya acertou foram conectados à distância. O nigeriano conseguiu fazer valer a principal vantagem que ele tinha: a envergadura. Com 2,03m no quesito, ele acertava Borrachinha (que tem 1,83m) muito antes de o brasileiro conseguir fazer qualquer coisa.

Com essa dificuldade, Borrachinha foi ineficiente como nunca havia sido em sua carreira no UFC. O brasileiro entrou na luta com a melhor média da história de 8,43 golpes desferidos por minuto em suas lutas. Bom, após a luta o brasileiro e seu empresário, começaram as desculpas pelo atropelo sofrido. E obviamente já estão a ”preparar” a revanche. Vamos ver se dessa vez ele tem tempo de usar a tal faixa-preta do Jiu Jitsu.

O main-event do UFC 253 também colocou um cinturão vago em disputa. E Jan Blachowicz assumiu o trono do peso-meio-pesado do UFC com um lindo nocaute aos 4m36s do segundo round, fazendo Dominick Reyes dançar no octógono antes de cair entregue. O polonês, de 37 anos, chega ao topo da categoria, que nos últimos nove anos teve apenas Jon Jones e Daniel Cormier como campeões.

E PARA FINALIZAR, DANILO MARQUES…

Apesar de fazer sua primeira luta no Ultimate, Danilo Marques, pupilo mais fiel de Demian Maia, mostrou calma para vencer Khadis Ibrahimov por decisão unânime (29-28, 29-28 e 30-27) pelo peso-meio-pesado (até 93kg). O brasileiro conseguiu se impor na luta agarrada para garantir o resultado positivo sobre o russo, que perdeu sua quarta seguida na companhia e não deve ter seu contrato renovado.

Fonte: Super Lutas.

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter