Veja um pouco do que aconteceu no UFC 232, antes e depois das lutas!

Renan BrunacciJaneiro 8, 20194min0

Veja um pouco do que aconteceu no UFC 232, antes e depois das lutas!

Renan BrunacciJaneiro 8, 20194min0
Não poderia ser diferente! O ultimo UFC do ano de 2018 foi tudo aquilo que um bom fã de MMA poderia esperar! Turbulento do começo ao fim este UFC 232

O ultimo UFC do ano começou com polémicas muito antes do próprio dia da luta.

O UFC 232, ultimo de 2018, aconteceu no Sábado(29), em Inglewood, Califórnia (EUA), mas originalmente esse evento seria realizado em Las Vegas, Nevada no mesmo dia.

ENTENDA…

Faltando apenas 06 dias para a realização do evento, o presidente da organização, Dana White, anunciou que o ultimo evento do ano, mudaria de local! De Nevada para a Califórnia.

Toda essa mudança, aconteceu após um imbróglio de Jon Jones, protagonista maior do evento, com a Agência Americana Antidoping(USADA).

Bones Jones testou positivo em um exame por uso de Turinabol, a mesmo substância encontrada em seus exames em 2017, que lhe rendeu uma suspensão de 15 meses.

Segundo a USADA, entende-se que por conta do baixíssimo percentual da substância encontrada, o Turinabol presente ainda refere-se ao caso do ano de 2017, deduzindo que Jon não voltou a utilizar a substância.

Com isso, a Comissão Atlética de Nevada pretende investigar o caso, não liberando então, a licença para que Jones enfrentasse seu rival na data já confirmada pela organização. Então, para evitar o cancelamento da luta mais esperada do ano, Dana resolveu levar o evento até o The Forum, na região metropolitana de Los Angeles.

O DIA DA LUTA…

No mesmo dia de sempre, mas em Estado diferente, o evento ocorreu, e foi MUITO BOM. Quase todas as lutas foram de tirar o fôlego, mas devo destacar as duas principais lutas.

No co-main event da noite, aconteceu tudo o que eu, pelo menos, não esperava…

AMANDA NUNES X CRIS CYBORG

As casas de apostas e a história no UFC deixavam subentendido, que Amanda teria muitos problemas pela frente, e não por eu desconfiar do talento dela, mas sim, pela brutalidade e histórico de Cris.

Cyborg é a lutadora mais temida, sempre do UFC. A tentativa de casar a luta entre as duas brasileiras, não é recente, mas por diversas vezes elas recusaram.

Mas foi o ano da Leoa, Amanda Nunes, que terminou com chave de ouro. Nunes derrotou Cyborg em poucos segundos, arrancando o cinturão dos penas da compatriota e, assim, tornando-se a primeira mulher campeã de duas categorias(galo e pena) no Ultimate.

A luta começou como esperava-se, de forma intensa. Cyborg foi a primeira a conectar um golpe, mas Amanda absorveu bem e foi pra cima, disparando vários socos contra Cris, que chegou a dobrar o joelho duas vezes antes de ser brutalmente nocauteada. E tudo isso, em apenas 51 segundos.

MAIN EVENT – JON BONES X ALEXANDRE GUSTAFSSON

Após todas as polemicas e provocações antes da luta, eles finalmente lutaram. Jon Bones Jones x Alexander Gustafsson.

Gustafsson fez o que era esperado dele, deu bastante trabalho, usando a estratégia ideal. O sueco usou o boxe para deixar Jones desconfortável e distante. Com isso, tivemos 10 minutos de muito equilíbrio.

Com o tempo passando, Jones precisava de alguma maneira encurtar a distância, para levar a luta ao solo com mais prioridade, já que em pé, estava claro que poderia ficar ruim para ele. Jon Jones muito inteligente, começou a dar pisões nos joelhos e chutes baixos, fazendo com que o sueco sentisse os golpes diminuindo assim, a movimentação.

Foi então que Bones venceu a luta. ”Clinchou” levando a luta para o solo, caindo por cima em posição de controle. Jones foi ganhando terreno, passou a guarda, e quando Gustafsson deu-lhe as costas, foi questão de tempo para a chuva de socos acabar com a luta, que foi interrompida brevemente pelo árbitro Mike Beltran.

Com isso Jones reconquista a torcida, a organização e o cinturão dos meio-pesados.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter