Grand Prix de Portugal 2022 – Manual de sobrevivência

João CamachoJaneiro 27, 20225min0

Grand Prix de Portugal 2022 – Manual de sobrevivência

João CamachoJaneiro 27, 20225min0
É já este fim-de-semana o Grand Prix de Portugal de judo e João Camacho conta-te quem vai participar no maior evento da modalidade neste ano

Portugal entra no restrito conjunto de países com etapas do Circuito Mundial da Federação Internacional de Judo (FIJ). O Complexo Municipal dos Desporto da cidade de Almada recebe, a partir de sexta-feira dia 28, a elite do Judo Mundial, numa etapa que será bastante competitiva e que contará com mais de 320 Judocas, oriundos de 41 países.

Almada capital do Judo Mundial

O Judo tem marcado presença frequente em Almada, nomeadamente no complexo municipal dos desportos desta cidade. Pedro Soares, treinador responsável da equipa masculina portuguesa, sagrou-se neste exato local Campeão da Europa de Júniores, em 1994.

A primeira etapa do Circuito Mundial estava inicialmente previsto decorrer no Pavilhão Multiusos de Odivelas, mas a necessidade de prolongar a alocação desta infraestrutura à campanha de vacinação em curso, obrigou a encontrar alternativas e Almada acabou por ser a opção disponível.

Serão três dias de muito Judo, onde muitos dos mais distintos protagonistas deste desporto marcarão presença. Não me refiro somente aos atletas, que são as verdadeiras estrelas, mas a algumas das maiores referências mundiais deste desporto, alguns dos melhores árbitros do mundo, treinadores de excelência e muitos adeptos deste desporto, porque será permitido público mediante apresentação de teste negativo ou certificado de vacinação.

É a atual realidade, mas claramente são boas notícias, ainda temos na memória os Campeonatos da Europa de 2021, que decorreram em Lisboa, na Altice Arena. Foi desolador, ver uma infraestrutura desportiva desta dimensão, com as bancadas despidas de público.

Esta etapa está garantida até 2024 e ganha especial importância em 2023 e 2024, pois contará para qualificação Olímpica de Paris 2024, o que, certamente, elevará ainda mais a competitividade e excelência da mesma. Após 2024, a Federação Portuguesa de Judo tem o objetivo de tornar esta etapa num Grand Slam, competição de topo do Circuito Mundial, com um “prize money” mais elevado e a valer mais pontos para o ranking dos atletas.

A competição decorrerá entre a sexta-feira dia 28 de Janeiro, dia reservado às categorias mais leves, categorias femininas dos 48,52 e 57Kg, e masculinas 60 e 66Kg. No Sábado, dia 29, terão lugar as categorias femininas dos 63 e 70Kg, e masculinas dos 73 e 81Kg Por fim, no Domingo, dia 30, será a vez dos pesos pesados, categorias femininas dos 78 e +78Kg, e masculinas 90,100 e +100Kg.

O evento decorrerá sob um rigoroso protocolo de testagem, já bem conhecido destes atletas, treinadores, árbitros e staff, com um controlo rigoroso e com a implementação da famosa “bolha” de seguranças, para evitar surtos que coloquem em risco todos os intervenientes.

A competição será acompanhada em direto, eliminatórias (de manhã) e finais (a partir das 17:00), pelo canal Português SPORT.TV.

Foto: Sporttv

Equipa Portuguesa

Portugal, como pais organizador, tem uma cota de inscrição por categoria de peso até 4 atletas. Será uma oportunidade única para muitos Judocas Portugueses se mostrarem, mas há que ter os pés bens assentes na terra e reconhecer que poucos poderão aspirar a chegar longe na competição.

Com efeito, Portugal terá 34 atletas em ação, que se podem dividir em três grandes grupos. A Equipa Olímpica, com legítimas aspirações a chegar às medalhas, os que tentam a qualificação para os Jogos Olímpicos de Paris 2024 e as jovens promessas que começam a sonhar e a trabalhar com o objetivo Los Angeles 2028.

No que respeita à elite, Portugal tem duas baixas de Peso; Rochele Nunes e Bárbara Timo. Duas fantásticas atletas que têm todas as condições para garantir a qualificação para Paris 2024, mas que vêem a sua participação no Circuito Mundial de 2022 adiada. No que respeita aos “cabeças de cartaz” Telma Monteiro, Catarina Costa e Jorge Fonseca, como cabeças de série, poderão chegar longe. No entanto, esta é a primeira competição para o Campeão do Mundo Jorge Fonseca, desde a conquista do bronze Olímpico em Tóquio, há mais de seis meses, e claramente não estará no seu melhor momento de forma.

Também há que destacar Patricia Sampaio e Anri Egutidze, que gostam de brilhar em casa e são sérios candidatos às medalhas, respetivamente, na categoria feminina dos 78Kg e na categoria masculina dos 90Kg.

A etapa inaugural de Portugal será também o primeiro teste às recentes alterações das regras de arbitragem, em vigor desde o início de 2022 e que durarão durante o ciclo olímpico que terminará em Paris 2024. Certamente interessante a avaliação das mesmas, especialmente devido ao facto de algumas, no meu entender, poderem dar aso a diferentes interpretações, tal como escrevi no último artigo.

O Grand Prix de Portugal será uma oportunidade única de ver esta celebração do Judo. São poucos os países que têm o privilégio de organizar uma competição desta importância e com esta visibilidade. A não perder!
Estes serão os judocas Portugueses em ação:


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter