Uma segunda divisão com qualidade e talento de primeira

José NevesOutubro 16, 201813min0

Uma segunda divisão com qualidade e talento de primeira

José NevesOutubro 16, 201813min0
Para além do principal campeonato, também a segunda divisão de hóquei em patins arrancou no passado sábado. Um campeonato cada vez mais forte, e que promete esta época ser bastante bem disputado.

Nos últimos anos foram vários os talentosos jogadores estrangeiros que chegaram ao nosso campeonato, numa primeira fase os craques estrangeiros chegavam para reforçar os candidatos principais ao título de campeão nacional, mas nesta época temos também equipas como Juventude de Viana, Braga ou Oeiras a apresentar jogadores argentinos ou espanhóis nas suas formações. No total são 26 os jogadores estrangeiros a actuar na 1ª Divisão de Portugal, e excluímos desta contagem os jogadores portugueses internacionais por Moçambique ou Angola, casos por exemplo de João Pinto, do Sporting, ou Nuno Araújo, do Valongo.

Se esta política de contratações por parte das equipas é a mais correcta tendo em vista o futuro de algumas jovens promessas do nosso hóquei, nomeadamente de conjuntos como Sporting ou Oliveirense onde pelo menos metade do plantel não é português, é uma questão complexa que não iremos abordar neste artigo. A verdade é que, consequência de haver em 2018-19 tanto talento estrangeiro no nosso país, Portugal tem neste momento aquele que é para muitos o melhor campeonato do Mundo, e se assim for, Portugal terá também seguramente a melhor 2ª Divisão do Mundo.

Na 2ª Divisão Nacional podemos encontrar internacionais pelas camadas jovens portuguesas que levam várias épocas de 2ª Divisão, mas ainda não convenceram equipas da primeira, jogadores que rubricaram boas prestações na 1ª Divisão, mas acabaram despromovidos continuando assim a carreira no segundo escalão, jogadores mais experientes que já estiveram no topo, ganhando inclusive campeonatos nacionais, mas relançam agora a carreira na divisão secundária. Podemos encontrar tudo isto na 2ª Divisão Nacional, e são todos estes jogadores que certamente irão fazer com este campeonato seja tão emocionante como o do principal escalão.

Se todos os anos é comum vermos algum “tomba-gigantes” na Taça de Portugal, nesta temporada, com a qualidade que várias equipas desta 2ª Divisão apresentam, não ficando a dever muito a várias da primeira, é provável que tenhamos mais primodivisionários a tombar perante as formações da segunda.

Marinho é um dos jogadores que vai abrilhantar a 2ª Divisão (Foto: S Alenquer Benfica)

Zona Norte

Como é sabido a 2ª Divisão está dividida em duas zonas – Norte e Sul, jogando as equipas dos Açores nesta última – sendo promovidas à 1ª Divisão as equipas vencedoras de ambas as séries, e a vencedora do playoff que opõe ambos os segundos classificados, e despromovidos os últimos três conjuntos de cada zona.

Na Zona Norte são vários os conjuntos que se perfilam como candidatos à promoção, desde logo o Valença, equipa que não conseguiu alcançar a manutenção na divisão principal na temporada passada. O Valença desceu e perdeu alguns dos jogadores mais importantes, mas nem por isso ficou mais fraco, e aponta já para o regresso ao topo. Com jogadores no plantel que se destacaram nas últimas duas épocas pelos valencianos na primeira divisão, como Zé Braga e José Campos, o Valença reforçou a baliza com dois jovens guardiões oriundos do campeonato francês, Eduardo Leitão e Keven Correia. O primeiro dividiu a baliza do Saint Omer com Pedro Chambell, e conta com alguns jogos na 1ª Divisão portuguesa ao serviço do HC Turquel, o segundo é internacional francês, chega do Noisy le Grand, e foi uma das grandes revelações do último Campeonato da Europa de selecções na baliza gaulesa. Uma equipa do Valença que irá seguramente andar nos lugares cimeiros da tabela ao longo da época.

Keven Correia destacou-se na baliza da França no último Europeu (Foto: Arquivo Pessoal)

Em São João da Madeira, a subida de divisão esteve bastante próxima, mas esbarrou em Oeiras na 2ª mão do playoff de acesso à 1ª Divisão. Nesta temporada a Sanjoanense mantém grande parte da base da equipa das últimas épocas, jogadores como Pedro Cerqueira, José Almeida e Alex Mount – outra das grandes revelações do Europeu de selecções – continuam a liderar em pista uma equipa que tem em Tiago Rodrigues o principal reforço. Guarda redes campeão do Mundo de sub-20 por Portugal no ano de 2017, Rodrigues chega por empréstimo dos vizinhos da Oliveirense para aquela que será a sua primeira temporada de sénior. Um dos guardiões mais promissores do hóquei português, poderá ser peça fulcral na Sanjoanense.

O terceiro principal candidato ao primeiro lugar final é o Carvalhos. Presença habitual nos lugares cimeiros da 2ª Divisão, mas que ainda assim se tem apresentado sempre um degrau abaixo das equipas que acabam por garantir a promoção, o Carvalhos aposta forte nesta temporada no regresso ao escalão principal. A jogadores experientes como Ricardo Ramos e João Marques, junta-se um dos melhores marcadores da 2ª Divisão – Zona Norte da temporada passada, Márcio Fonseca ex. Juventude Pacense, um guarda redes que, apesar de ter sido relegado na temporada passada, se destacou na baliza do Valença na 1ª Divisão, Rodolfo Sobral, e um jovem proveniente dos sub20 da Oliveirense que no primeiro jogo oficial da equipa do Carvalhos, marcou 2 golos na vitória frente à Sanjoanense por 4-2, naquele que foi o jogo grande da jornada inaugural do campeonato. Uma equipa do Carvalhos que, e principalmente pelo grande reforço para a baliza, irá seguramente dar o salto de “outsider” para principal candidato à subida.

Rodolfo Sobral é outro dos nomes grandes no cartaz da 2ª Divisão (Foto: HoqueiPT)

Numa segunda linha surgem quatro formações que, com uma série de bons resultados, podem intrometer-se na luta pela promoção. O Famalicense é talvez, a melhor colocada dessas quatro para surpreender, contando com uma mescla de experiência e juventude. Rui Silva, um dos jovens jogadores de muita qualidade deste campeonato, perfila-se como um dos principais candidatos a melhor marcador da divisão. Com um trio de jogadores chegado do recém despromovido Infante Sagres, os quais se juntam a Tiago Pimenta e César Carvalho, jogadores com experiência de 1ª Divisão, a equipa do Famalicense será uma equipa a ter em atenção nesta temporada.

O HA Cambra foi 5º na temporada passada e para esta época mantém grande parte do plantel. O principal reforço, o avançado Gil Vicente que representou nas últimas duas temporadas Valença e Juventude Pacense, tendo em ambas ficado aquém das expectativas, surge agora em Cambra na tentativa de voltar aos golos e à primeira divisão. Num plantel com alguma experiência onde se destacam Daniel Bastos, Miguel Oliveira ou Alfredo Nogueira, e treinados pelo experiente técnico Fernando Almeida, o Cambra corre atrás das formações anteriormente analisadas, mas pode surpreender.

Em Espinho houve aposta forte em jogadores jovens provenientes da 1ª Divisão na época transacta, mas essa aposta resultou apenas num 4º lugar. Com grande parte desses jovens a regressar à divisão principal, o Espinho é esta temporada uma equipa mais experiente, com jogadores como Carlos Saraiva, André Pinto e o reforço Tiago Ferraz a liderarem a equipa espinhense em pista. Mais uma vez o Espinho deverá andar pelos lugares cimeiros, sendo que esta temporada surge com o estatuto de “outsider” na luta pela promoção.

Outra equipa que parte com menor favoritismo, mas com um plantel de qualidade é a Juventude Pacense. Vítor Hugo Moreira, jogador que à apenas duas temporadas brilhou ao serviço do Riba d’Ave na 1ª Divisão, deverá ser o homem-golo da turma pacense no campeonato, e o reforço José Cabral, ex. HC Marco, que na temporada passada foi o 2º melhor marcador do campeonato com 48 golos, pode dar um precioso contributo neste departamento.

Finalmente, e ainda que não possa entrar na luta pela subida de divisão, o FC Porto B surge também com alguns jovens que poderão em 2018-19 ser protagonistas da 2ª Divisão. Dinis Abreu, João Lima, o guarda redes Diogo Brandão, e o colombiano Andrés Castaño poderão levar o Porto B ao topo da classificação, juntando-se às formações acima referidas na  metade superior do campeonato

Rui Silva, do Famalicense, é uma das jovens figuras da 2ª Divisão (Foto: Famalicense AC)

Zona Sul

Na Zona Sul duas equipas apresentam reforços que fazem delas as principais candidatas ao primeiro lugar. O Alenquer e Benfica ataca a subida à 1ª Divisão com Marinho, internacional moçambicano que na temporada passada defendeu as cores do Barcelos. Marinho foi, à apenas duas épocas, o principal artilheiro do campeonato italiano, ao serviço do Follonica, é agora reforço de peso para o Alenquer. Mas não é o único, Tiago Losna, jogador que já passou por FC Porto – onde foi campeão nacional – e Sporting CP, é outro dos grandes reforços da 2ª Divisão Nacional, e do Alenquer. Uma dupla de jogadores que, juntamente com outros de qualidade como André Garção ou Alexandre Silva, fazem do Alenquer o principal candidato à subida.

Em Almeirim, os Tigres apresentam também eles vários reforços com várias épocas de 1ª Divisão. O técnico André Luís, que parte para a primeira aventura enquanto treinador principal de uma equipa sénior, tem ao seu dispor jogadores como Paulo Passos (Ex. SC Tomar) e Xavier Lourenço (Ex. Saint Omer). Dois elementos bem conhecidos do técnico, tendo os três passado ao serviço do HC Turquel. Também Filipe Bernardino que na temporada passada foi o melhor marcador do Grândola no principal escalão regressa a Almeirim, onde jogou na última passagem do clube pela 1ª Divisão. A juntar a este trio de jogadores com passado na primeira está Frederico Neves, internacional sub-20 português, e Anderson Luís, figura dos Tigres em temporadas recentes. Duas equipas – Alenquer e Tigres – que deverão protagonizar uma excelente luta pela promoção.

Xavier Lourenço chega de França, e já jogou na 1ª Divisão (Foto: Arquivo Pessoal)

Com plantéis menos recheados, mas ainda assim com qualidade suficiente para poder discutir os dois primeiros lugares da tabela, aparecem quatro formações.

Em Torres Vedras está uma equipa que nas últimas duas temporadas foi considerada uma das principais favoritas à subida, mas que em nenhuma delas alcançou esse objectivo. A Física vê esta época sair alguns dos elementos mais experientes da equipa adicionando mais juventude ao plantel, João Rodrigo Campelo, Marcelo Araújo e Vasco Martinho são reforços importantes para a equipa de André Gil, que apesar da época menos conseguida se mantém no comando da Física. De entre os jogadores que se mantém da época transacta o grande destaque deverá ser outro jovem de muita qualidade, André Gaspar. O jovem avançado de 23 anos parte para a 4ª época na 2ª Divisão, 3ª ao serviço da Física, e é um dos avançados mais regulares do campeonato. Nas três temporadas anteriores André Gaspar figurou sempre no top-10 dos melhores marcadores, com 38, 35 e 32 golos marcados, em 2015-16, 16-17 e 17-18 respectivamente.

André Gaspar é um dos melhores marcadores dos últimos anos da 2ª Divisão (Foto: AE Física D)

O Grândola, lanterna vermelha da última edição da 1ª Divisão, perdeu aquele que foi o seu principal jogador na temporada transacta, mas manteve grande parte da base da equipa que participou na 1º Divisão e que alcançou a subida à duas épocas. José Gonçalves e o jovem José Bernardo serão as figuras de uma equipa que vai certamente andar pelos primeiros lugares da tabela, e que vai tentar surpreender os dois principais favoritos na tentativa de regressar à 1ª Divisão.

O Parede vem de um 3º lugar na temporada passada, e apesar de ser uma equipa sem grandes nomes sonantes, alicerçada num conjunto jovem, apresenta-se novamente como uma equipa a ter em conta para esta época. Com o jovem André Inácio – melhor marcador do Parede na época passada – e o reforço Manuel Coimbra, oriundo da equipa B do Sporting, como possíveis figuras da equipa nesta temporada, o Parede deverá ser certamente uma das equipas mais interessantes de acompanhar esta época.

Por fim, outro possível “outsider” que vem também de uma época positiva, é a Juventude Salesiana. Com um 5º lugar na temporada passada, o conjunto da Juventude Salesiana mantém a esmagadora maioria dos jogadores, aos quais se juntou Hernâni Domingos, jogador que deixou a equipa do Estoril para reforçar os Tigres na temporada de 2017-18, tendo sido o terceiro melhor marcador do campeonato ao serviço da equipa de Almeirim. Está de regresso à Juventude Salesiana, e será um reforço muito importante para o técnico Luís Costa Duarte, juntando-se a outros jogadores de qualidade como André Ferreira ou João Morais. Uma equipa que não é grande candidata à subida, mas terá de ser tida em conta para os lugares cimeiros.

Tal como na zona norte, também a sul haverão duas formações que deverão andar pelos primeiros lugares, sem poder no entanto subir à 1ª Divisão. As equipas B de Benfica e Sporting apresentam-se com jovens que deverão ser nomes importantes para o futuro da modalidade, casos de Xavier Pinho, Facundo Navarro ou Gustavo Pato, na formação leonina, e de João Maló, Diogo David ou Miguel Fortunato nas águias.

João Maló é um dos jovens emergentes do hóquei português (Foto: HoqueiPT)

Um campeonato da 2ª Divisão que já arrancou e que promete uma época repleta de emoções, não só na discussão pelos três lugares de acesso à 1ª Divisão, como na fuga aos seis da despromoção. Uma 2ª Divisão fortíssima, numa das épocas mais competitivas da história da divisão. Um campeonato que, para os adeptos da modalidade, vai valer a pena acompanhar.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter