Concorde-se ou não, aí vêm as liguilhas

José NevesJunho 26, 20203min0

Concorde-se ou não, aí vêm as liguilhas

José NevesJunho 26, 20203min0
Fruto do cancelamento dos campeonatos nacionais referentes à temporada 2019-20, o mês de setembro marcará o arranque oficial de 2020-21 com as liguilhas que definirão as subidas e descidas de divisão.

Apesar de muitas opiniões críticas a esta competição de intervenientes directos, as liguilhas avançaram mesmo e estão já sorteadas, com os 22 emblemas envolvidos nesta fase preliminar da época já conhecedores do trajecto que terão de percorrer para chegar à promoção, à descida, ou à manutenção na divisão em que competiram em 2019-20.

Física abdicou, Famalicense é o “intruso”

No que à liguilha de apuramento para a 1ª divisão diz respeito, as três formações que terminaram a época em zona de descida (Paço de Arcos, Tigres e Física), iriam supostamente juntar-se aos líderes da segunda divisão (Marinhense a norte e Tomar a sul), e ainda ao vencedor de uma pré-eliminatória entre os segundos classificados do segundo escalão (Famalicense e Parede).

Uma pré-eliminatória que não vai ser realizada uma vez que a Física abdicou da participação na prova, preferindo iniciar a época directamente na 2ª divisão. Assim, Famalicense e Parede garantem vaga na liguilha, sendo que no caso da equipa minhota, trata-se da única formação da zona norte do país em prova, tendo como adversários cinco equipas da zona centro/sul.

O sorteio já realizado ditou que Tigres, Parede e Marinhense partem com a vantagem de jogar três das cinco partidas no seu pavilhão, deixando Tomar, Paço de Arcos e Famalicense em situação contrária, realizando três jogos fora de portas.

Uma situação que acontece uma vez que a liguilha não será realizada a duas mão. As seis formações jogam entre elas em cinco jornadas, não havendo lugar a 2ª volta.

Na outra liguilha as contas são mais complexas

Na liguilha de acesso à segunda divisão as contas são mais complicadas, até porque o número de vagas e de participantes é maior, apesar de algumas equipas terem igualmente abdicado do direito de participar na prova. Aqui existem provas pré-preliminares, onde 9 formações entram, e apenas 4 seguem para a fase derradeira.

Assim, na fase pré-preliminar norte, Paredes, Marco, Maia e Lavra, entram em rinque no Pavilhão de Paços de Ferreira para realizar as três jornadas, em três dias consecutivos.

Na zona centro esta mesma fase conta apenas com duas formações, o Mealhada e o Cucujães, que irão realizar uma única partida entre elas no Pavilhão de Albergaria-a-Velha.

Na zona sul entram em pista três equipas, no Pavilhão do CRIAR-T, no Seixal, são elas Boliqueime, Vilafranquense e Marítimo (da Madeira). Com a diferença de que, aqui, o segundo classificado apura-se igualmente para a fase seguinte.

Na segunda e derradeira fase a liguilha será disputada nos mesmos moldes da competição de acesso à 1ª divisão, cinco equipas na zona norte (Limianos, Fânzeres, Acad. Feira, Póvoa e o vencedor da pré-preliminar norte), e seis equipas na zona sul (Sintra, Sesimbra, Campo Ourique, os vencedores das pré-preliminares centro e sul, e ainda o 2º classificado da pré-preliminar sul)

Nesta derradeira fase, seis formações garantirão acesso à segunda divisão, três na zona norte e outras tantas a sul.

As liguilhas foram o tema mais falado no meio desde o anuncio do cancelamento dos campeonatos nacionais. Seja a decisão mais justa, ou não, a verdade é que as 22 equipas que vão entrar nestas competições preparam plantéis para atacar a divisão acima, com vários jogadores com experiência de 1ª divisão a reforçar equipas da 2ª, e até mesmo da 3ª. O que significa que, com 13 equipas a terem de cair para a divisão abaixo, poderemos ter em 20-21 uma segunda e terceira divisões com níveis de qualidade nunca antes vistos.

(Foto de Capa: mediotejo.net)


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter