Antevisão do campeonato nacional da primeira divisão. Parte 1

José NevesOutubro 9, 201920min1

Antevisão do campeonato nacional da primeira divisão. Parte 1

José NevesOutubro 9, 201920min1
No próximo fim de semana inicia-se o campeonato nacional da primeira divisão de hóquei em patins, e tal como sucedeu nas épocas anteriores, o Fair Play antevê a competição, e os 14 emblemas que a irão disputar.

Está prestes a arrancar a 80ª edição do Campeonato Nacional da 1ª divisão de hóquei em patins, e o Fair Play faz uma breve análise às 14 formações que irão batalhar entre si ao longo de 26 jornadas.

Numa época em que vário clubes do campeonato nacional da primeira divisão apostam na juventude e na formação, 2019/20 promete ser uma das melhores edições da história recente da 1ª divisão, com a luta pelo título e fuga aos lugares de despromoção a serem os pratos fortes da época, e com equipas de grande qualidade, individual e colectiva, em ambos os pólos da classificação.

Associação de Educação Física e Desportiva

2018/19: 2º lugar (2ª Divisão Sul)
Presenças na 1ª Divisão: 13
Melhor Classificação: 5º lugar (2011/12)
Treinador: André Gil
Jogador-Chave: Pedro Moreira

A formação de Torres Vedras regressa ao convívio dos grandes após três épocas no segundo escalão, tendo, para chegar à primeira divisão, batido a formação do Carvalhos no playoff de promoção por 4-3 em casa do adversário, registando um empate caseiro a 4 bolas na segunda mão.

Para a época que está prestes a iniciar, André Gil, técnico da Física, tem a difícil tarefa de manter a formação torreense no primeiro escalão, contando para isso com alguns reforços com experiência nacional e internacional.

Desde logo para a baliza chega Keven Correia (ex. Valença), número um da seleção gaulesa nas últimas provas internacionais, e um dos destaques desta jovem seleção no último Europeu e Mundial. Também para a defesa chega o argentino Mathías Arnaez (ex. Oeiras), jogador ainda jovem mas com passagens pelos três principais campeonatos europeus. Ainda que na temporada transacta tenha sido incapaz de, juntamente com os compatriotas Ezequiel Mena e Franco Ferruccio, manter o Oeiras no primeiro escalão, as boas épocas a nível individual realizadas pelos três sul-americanos traduzem-se em mudanças para emblemas que em 2019/20 disputam a 1ª divisão

Também de Oeiras chega o avançado Gonçalo Conceição, internacional pelas camadas jovens portuguesas, que não realizou uma temporada brilhante no clube da linha, mas poderá ser uma opção de rotação de grande valia para André Gil. Mas o principal reforço da Física, e o elemento que poderá ser determinante para que o emblema de Torres Vedras consiga alcançar os seus objectivos, é Pedro Moreira. Defesa internacional português, que nas passagens por FC Porto e UD Oliveirense ganhou tudo o que havia para ganhar, desde Campeonato Nacional a Taça Continental, chega à Física por empréstimo do clube de Oliveira de Azeméis, onde não figurou nas opções de Renato Garrido para a presente temporada.

A experiência que Pedro Moreira traz a uma equipa na sua maioria composta por jovens abaixo dos 25 anos, será uma enorme mais valia em rinque, e a qualidade que o defensor de 34 anos traz a uma equipa que luta pela manutenção, farão dele peça fulcral na Física versão 2019/20.

A Física de Torres Vedras será uma equipa a ter em atenção ao longo da época, com um trio defensivo de grande qualidade composto por Keven Correia, Mathías Arnaez e Pedro Moreira, e com João Rodrigo Campelo, Gonçalo Conceição e André Gaspar no ataque, jogadores jovens mas com provas dadas na formação e no segundo escalão, os torreenses têm um plantel equilibrado, e capaz de provocar algumas surpresas ao longo da época.

Pedro Moreira é reforço sonante da recém-promovida Física (Foto: AE Física D)

Hóquei Clube “Os Tigres”

2018/19: 1º lugar (2ª Divisão Sul)
Presenças na 1ª Divisão: 4
Melhor Classificação: 9º lugar (2011/12)
Treinador: André Luís
Jogador-Chave: Filipe Bernardino

Os Tigres de Almeirim serão, em 2019/20, o único representante ribatejano entre a elite. Na mesma temporada em que o Sporting de Tomar terminou despromovido ao segundo escalão, a equipa de Almeirim venceu a zona sul da 2ª divisão, regressando assim ao escalão máximo do hóquei português após 4 temporadas a disputar a divisão secundária.

As últimas épocas em Almeirim não foram fáceis, com o clube a passar por dificuldades financeiras que por pouco não o levaram à 3ª divisão nacional, na temporada anterior à subida ao primeiro escalão, em 2017-18, os almeirinenses terminaram o campeonato da zona sul da 2ª divisão como a primeira equipa acima da “linha de água”.

Foi após essa atribulada época que chegou ao clube André Luís, até então técnico adjunto do HC Turquel, clube onde fez todo o seu percurso no hóquei, enquanto atleta e treinador, nas camadas jovens e como adjunto no plantel sénior. Em 2018/19 chegou a Almeirim para abraçar o primeiro projecto enquanto treinador principal no escalão sénior, e a primeira época foi um enorme sucesso.

Para o novo e ainda mais desafiante desafio na primeira divisão, os Tigres viram partir duas das referências da época transacta, Xavier Lourenço, que rumou ao Turquel, e Paulo Passos, que ingressou no Tomar, reforçando-se exclusivamente por atletas oriundos da 2ª divisão.

João Maló, Diogo David e Miguel Feio chegam provenientes do Benfica, tendo na temporada de 2018/19 alinhado pela equipa B encarnada e pela de sub20, do rival dos encarnados chega António Estrela, que alinhou igualmente pela equipa B e de sub20 do Sporting. Por fim, o mais experiente dos reforços, Hernâni Domingos chega da Juventude Salesiana, regressando ao clube que representou em 2017/18.

Perante várias caras novas, e saídas importantes, Filipe Bernardino terá esta temporada uma maior preponderância no balneário dos ribatejanos. O elemento da equipa com mais experiência na 1ª divisão foi, juntamente com Xavier Lourenço e Paulo Passos, uma das principais figuras na temporada passada, e será um elemento importante no balneário e em rinque, passando essa experiência a um plantel composto quase na totalidade, por jogadores que se estreiam entre a elite.

Os Tigres de Almeirim vivem ainda na ressaca do período difícil que passaram recentemente, mas conseguiram compor um plantel equilibrado, com várias opções para todas as posições, e com vários jovens sedentos de mostrar que pertencem ao “melhor campeonato do Mundo”.

João Maló, António Estrela, Miguel Feio e Diogo David são jovens com passagens pelas melhores formações do país, e pelas seleções nacionais de jovens, sendo hoquistas com qualidade acima da média para a sua idade. E ainda que a tarefa dos Tigres seja bem difícil, a qualidade e irreverência destes quatro reforços podem ser preponderantes na possível conquista da manutenção.

Filipe Bernardino é o jogador do actual plantel com mais épocas ao serviço dos Tigres (Foto: HC “Os Tigres”)

Associação Desportiva Sanjoanense

2018/19: 1º lugar (2ª Divisão Norte)
Presenças na 1ª Divisão: 30
Melhor Classificação: 3º lugar (1984/85)
Treinador: Vitor Pereira
Jogador-Chave: Xavier Cardoso

Campeão da 2ª divisão nacional pela 3ª vez no seu historial, a Sanjoanense chega à primeira divisão com o objectivo de se manter entre os grandes do hóquei português, e à partida, e no plano teórico, dos três emblemas que alcançaram a promoção é aquele com melhores perspectivas de o conseguir.

Com jogadores de grande valia no plantel, e um treinador que por mais do que uma ocasião mostrou saber a chave para alcançar o sucesso em São João da Madeira, a Sanjoanense poderá ser uma das agradáveis surpresas desta edição do campeonato.

Tendo conseguido manter quase a totalidade dos elementos mais importantes que conquistaram o nacional da 2ª divisão, a única excepção foi o guarda redes Tiago Rodrigues, emprestado pelos vizinhos da Oliveirense, que reforçou o campeão FC Porto na presente temporada.

De chegada estão três jovens talentos oriundos das equipas B e de sub20 de dragões e leões. Do Porto chega o internacional sub20 por Portugal João Lima, e do Sporting, o guarda redes Tiago Freitas, filho do técnico dos leões, e o prodígio argentino Facundo Navarro.

Mas o jogador que poderá ser o mais importante na manutenção vem do outro grande de Lisboa. Em 2018/19 Xavier Cardoso voltou a casa, e à Sanjoanense, após a saída precoce do Benfica, já com a época em andamento, tendo sido preponderante no alcance da promoção. Agora, e após a boa época realizada no segundo escalão, o Benfica resgatou o jovem defesa/médio português, deixando-o esta temporada em São João da Madeira por empréstimo.

Apesar da tenra idade, o hoquista de 24 anos leva já várias épocas em grande nível na 1ª divisão ao serviço do Valongo, onde completou a formação, e as boas épocas ao serviço dos valonguenses valeram-lhe, na temporada passada, a mudança para a Luz. Uma mudança que durou muito pouco tempo já que, após a 1ª jornada do campeonato, foi comunicada pelos encarnados a rescisão de contrato por problemas de adaptação.

Com um plantel com vários jogadores de grande qualidade, onde para além de Xavier Cardoso se destacam o internacional inglês Alex Mount, José Almeida e Pedro Cerqueira, e com três jovens talentosos reforços, a Sanjoanense parte para a época 2019/20 com o objectivo da manutenção, mas poderá acabar por ser uma das maiores surpresas do campeonato nacional.

Xavier Cardoso será um dos destaques no regresso da Sanjoanense ao primeiro escalão (Foto: AD Sanjoanense)

Hóquei Clube de Turquel

2018/19: 11º lugar
Presenças na 1ª Divisão: 18 (8ª consecutiva)
Melhor Classificação: 4º lugar (1992/93)
Treinador: João Simões
Jogador-Chave: Vasco Luís

O HC Turquel prepara-se para a 8ª época consecutiva na 1ª divisão nacional, algo inédito na história do clube, e se a época passada foi, das sete anteriores em que o clube alcobacense disputou o principal campeonato, aquela onde alcançou a manutenção mais tardiamente, em 2019/20 os responsáveis e os adeptos esperam uma época mais tranquila.

Para esta temporada registam-se saídas importantes na “Aldeia do Hóquei”, João Souto, avançado que reforçou o Turquel a meio da temporada passada, e que bastante importante foi para manter o clube entre a elite, saiu para o Sporting, Pedro Batista, jovem da casa que estava emprestado pelo Benfica, é reforço do Paço de Arcos, Luís Silva regressou a casa, ao vizinho Biblioteca IR que milita na segunda divisão, e Daniel Matias colocou um ponto final na carreira.

Para suprir estas saídas, João Simões conta com a prata da casa. Xavier Lourenço é a chegada mais sonante, jogador que completou toda a formação no emblema alvinegro, chega proveniente dos Tigres de Almeirim, e João Lomba, experiente defesa, ex. Marinhense, são as duas únicas contratações do Turquel para 2019/20.

De resto o plantel terá um maior contributo dos jovens da formação turquelense, Daniel Passos, Gonçalo Santos e Lucas Ferreira estarão às ordens de João Simões, apesar de dividirem a época entre seniores e juniores. Tiago Mateus e Zé Costa, outros dois produtos da formação que na temporada de 2018/19 foram opções com pouca utilização para o técnico do Turquel, terão esta época a oportunidade de dar um maior contributo à equipa, sendo que Tiago Mateus, avançado de apenas 21 anos, poderá mesmo ser uma das grandes revelações deste campeonato.

E no meio de tanta juventude, tal como sucede em outras equipas do campeonato da manutenção, a voz da experiência dentro do plantel ganha uma maior importância na liderança da equipa, e é aqui que entram jogadores como André Pimenta, André Moreira, Diogo Almeida e Vasco Luís.

Este último é desde a ascensão à equipa principal à mais de uma década, o principal artilheiro do conjunto turquelense, tendo apenas na temporada passada, e pela primeira vez desde a subida à primeira divisão, perdido o estatuto de melhor marcador da equipa para João Souto. O capitão será mais uma vez preponderante na procura pelo sucesso do Turquel, não só dentro de pista como fora dela, sendo um dos líderes de uma equipa que começa um processo de renovação.

O HC Turquel tem estado cada vez mais próximo dos lugares de despromoção, tendo na época passada feito a pior época em termos classificativos desde que regressou à primeira divisão, em 2012/13, o que levou também a que pela primeira vez falhasse a qualificação europeia. Com a perda de alguns elementos importantes em épocas recentes, o clube poderá ter nos jovens da sua formação que agora chegam à equipa principal, uma nova geração capaz de contribuir para cimentar o Turquel como um clube de elite, e essa contribuição poderá começar já esta temporada.

Vasco Luís volta a ser uma das grandes figuras do HC Turquel (Foto: HC Turquel/Carmo Honório)

Associação Desportiva Valongo

2018/19: 10º lugar
Presenças na 1ª Divisão: 42 (14ª consecutiva)
Melhor Classificação: 1º lugar (2013/14)
Treinador: Miguel Viterbo
Jogador-Chave: Nuno Araújo

E por falar em renovação, eis mais uma equipa que na temporada que agora se inicia se irá apresentar com uma média de idades mais baixa que em temporadas recentes. O Valongo vem igualmente da pior classificação desta década, e tal como sucedeu no passado, inclusive no ano do inédito título de campeão, volta a apostar na formação.

Campeão nacional de sub20 na temporada transacta, bem como campeão nacional da 3ª divisão, com uma equipa B que utilizou a mesma base da equipa de juniores, o Valongo aposta nessa mesma base para, a partir desta época, se mostrar na primeira divisão.

Alguns destes jovens foram já utilizados em 2018/19, um deles, Carlos Ramos, esteve mesmo em plano de evidência aquando da vitória do Valongo diante do Benfica, a primeira da sua história no Pavilhão da Luz, marcando dois dos cinco golos com que os valongenses, desfalcados para essa partida, bateram as águias. Ainda assim, esta será a época em que alguns irão fazer parte das opções de Miguel Viterbo desde o arranque da temporada.

Com vários jogadores a dividir o seu tempo entre a equipa principal na 1ª divisão, e a equipa B, que disputará o nacional da 2ª divisão, como poderão ser os casos de João Pedro, Miguel Moura ou Rafael Bessa, o Valongo conta com apenas uma chegada, que se trata de um regresso ao “San Siro”. Guilherme Silva defendeu as cores do Valongo por duas temporadas, a primeira das quais por empréstimo do Benfica, tendo saído no verão passado para representar o SC Tomar. Incapaz de ajudar os nabantinos a manterem-se na primeira divisão, o avançado regressa a uma casa que bem conhece, sendo um dos jogadores mais experientes da equipa apesar dos seus 25 anos.

Uma equipa do Valongo onde o internacional moçambicano Nuno Araújo será uma das peças mais importantes no plano de jogo de Miguel Viterbo. O jogador mais experiente do plantel, e único acima dos 30 anos, é o jogador mais completo do plantel, sendo inclusive uma das primeiras escolhas da equipa nas bolas paradas. Tudo isso fará com que Nuno Araújo seja o esteio de uma equipa jovem e inexperiente a este nível.

Desde o título de campeão nacional que o Valongo se impôs como equipa de meio da tabela, sendo que na temporada passada lutou pela manutenção até final do campeonato. Com meia equipa composta por jogadores oriundos da equipa campeão nacional de sub20, o Valongo é uma das incógnitas para a nova temporada, mas a qualidade dos jovens promovidos à equipa principal poderá sobrepor-se à sua inexperiência, levando o Valongo a realizar uma temporada mais tranquila que a passada.

Nuno Araújo é o único resistente do Valongo campeão nacional (Foto: Manuel Azevedo)

Riba d’Ave Hóquei Clube

2018/19: 9º lugar
Presenças na 1ª Divisão: 13 (2ª consecutiva)
Melhor Classificação: 8º lugar (2 vezes)
Treinador: Hugo Azevedo
Jogador-Chave: Hugo Azevedo

O Riba d’Ave conseguiu alcançar na temporada passada um feito que não conseguia desde 2001/02, a manutenção na primeira divisão. Com um arranque de temporada fulgurante, a equipa minhota surpreendeu, averbando apenas 4 derrotas no final da 1ª volta. Na 2ª volta os resultados pioraram, e o momento da equipa foi baixando, ainda assim os pontos averbados nas primeiras rondas foram suficientes para garantir a manutenção na 1ª divisão.

Da base da equipa da temporada transacta, o veterano Bruno Pinto é a única baixa, reforçando-se o Riba d’Ave com dois internacionais jovens portugueses, Luís Melo, oriundo do Valongo, e Dinis Abreu, ex. FC Porto B.

E os reforços não são os únicos internacionais jovens por Portugal no plantel do Riba d’Ave, Diogo Casanova, Diogo Seixas, Pedro Freitas e Tomás Pereira são outros dos nomes que defenderam as cores nacionais em Campeonatos do Mundo de sub20 no passado. A aposta na juventude do Riba d’Ave é notória, com apenas o treinador/jogador Hugo Azevedo a fugir à regra, com os seus 36 anos. De resto, todo o restante plantel do Riba d’Ave varia entre os 24 e os 19 anos.

E por tudo o que ainda dá à equipa, e por ser o veterano num balneário de jovens, Hugo Azevedo será o jogador-chave da equipa em 2019/20. O experiente jogador deu, na temporada 2018/19 um dos maiores contributos para que o Riba d’Ave chegasse à tão desejada manutenção, tanto no banco de suplentes como dentro de pista, e esta temporada espera-se que o contributo do treinador/jogador seja novamente fundamental.

O Riba d’Ave contruiu, ao longo das últimas três épocas, uma base de jovens de grande valia capaz de obter resultados no longo prazo, e bater o record de épocas consecutivas na 1ª divisão, que é de 4 temporadas entre 1976-77 e 1979-80. Partindo para já para a 2ª temporada na elite, esta poderá ser a época de afirmação do Riba d’Ave como clube que veio para ficar entre os grandes do hóquei em patins português.

Hugo Azevedo é treinador/jogador do Riba d’Ave (Foto: Riba d’Ave HC)

Associação Juventude de Viana

2018/19: 8º lugar
Presenças na 1ª Divisão: 28 (7ª consecutiva)
Melhor Classificação: 2º lugar (2 vezes)
Treinador: André Azevedo
Jogador-Chave: Francisco Silva

Outra formação que lentamente prepara a próxima geração, contando com vários elementos de tenra idade, ao contraste do que era a realidade à não muitas épocas em que víamos uma Juventude de Viana com vários elementos acima dos 30 anos de idade.

Com a temporada de 2018/19 a ter um início complicado, tendo a turma vianense sido inclusivamente lanterna vermelha da tabela numa fase inicial de temporada, os resultados e as exibições acabaram por melhorar, e André Azevedo acabou por guiar a sua equipa a lugares mais habituais no miolo da tabela classificativa.

A Juventude de Viana apresenta-se então para a nova época com três reforços, e o mais velho dos três conta apenas com 20 anos. Trata-se de Gonçalo Neto, hoquista que na temporada transacta fez parte da equipa do Valongo campeã nacional de sub20, e da 3ª divisão nacional. Para além dele chegam igualmente a Moserrate João Pereira, de 19 anos, a título de empréstimo do Sporting, e Rodrigo Martins, de 17 anos. O jogador mais novo da 1ª divisão vem proveniente da equipa de sub17 do FC Porto.

É uma formação rejuvenescida, restando como elementos mais experientes Jorge Correia, Nelson Pereira, Francisco Silva e Luís Viana, este último será o jogador mais veterano do campeonato com 43 anos de idade. E numa equipa que apresenta equilíbrio no que diz respeito à experiência e juventude, Francisco Silva poderá voltar a ser o jogador em destaque dos vianenses esta temporada.

Um jogador completo, competente na hora de rematar à baliza, e igualmente uma das principais opções de André Azevedo para as bolas paradas, Francisco Silva, que em 2018/19 foi o principal goleador da equipa com 26 golos apontados no campeonato, deverá voltar a ser o destaque da equipa e um dos líderes em pista numa equipa que volta a participar na Taça WSE, e que pretende chegar o mais longe possível nessa competição.

A Juventude de Viana é um “habitué” nos lugares do meio da tabela, e em 2019/20 deverá mais uma vez ocupar uma posição tranquila nesta zona da tabela. Existe equilíbrio no plantel entre veterania e juventude, e será interessante de acompanhar o desenvolvimento dos três jovens reforços numa equipa que ainda conta com jogadores de enorme experiência, nacional e internacional, como Luís Viana.

Francisco Silva vem da melhor época da carreira em golos marcados (Foto: Paula Brites Cunha)

 

(Foto de Capa: Sporting CP)


One comment

  • João António Ramos de O. Sousa

    Outubro 9, 2019 at 9:56 pm

    Muitos parabéns pelo trabalho sobre a Antevisão do Campeonato Nacional de Hóquei Patins !
    Desconhecendo a base de informação da constituição das equipas, a da Física tema mais três jogadores não mencionados que são, Ricardo Miranda, João Lima, Vasco Martinho, Fábio Cambão .
    Acreditando que vai ser feita a correção, agradeço desde já a atenção.
    Cumprimentos
    João Sousa

    Reply

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter