2ª Divisão Nacional de hóquei em patins entra na reta final

José NevesJunho 17, 20215min0

2ª Divisão Nacional de hóquei em patins entra na reta final

José NevesJunho 17, 20215min0
Com o campeonato da 1ª Divisão próximo da conclusão, a 2ª Divisão Nacional surge como um dos maiores pontos de interesse no final de época.

Já não falta muito para ficarmos a conhecer os elencos de 1ª, 2ª e 3ª Divisões para a temporada 2021-22. No campeonato da 2ª Divisão Nacional faltam apenas 8 jornadas para o término da fase regular, e as lutas pela subida ao escalão principal do hóquei em patins português, bem como a fuga à despromoção à divisão terciária, estão a entrar na sua fase decisiva.

Marinhense e Parede estão próximos de voltar à elite (Foto: SC Marinhense)

Zona Norte – “Déjà-vu” de 2019-20

A 2ª Divisão Nacional de hóquei em patins encontra-se numa fase bastante semelhante àquela em que se encontrava na temporada de 2019-20, aquando da paragem forçada pela pandemia. Em 19-20, com 19 jornadas disputadas, o Marinhense liderava com uma vantagem de 5 pontos para o Famalicense, então terceiro classificado atrás do Valongo B, que não contava para as contas da promoção.

Em 20-21 o mesmo Marinhense lidera o campeonato com 18 partidas já realizadas, e com uma vantagem de 7 pontos para o 2º classificado, a Académica de Espinho. Com ainda 8 partidas por disputar a equipa da Marinha Grande parece bem encaminhada para, desta vez, carimbar o regresso ao escalão principal.

Mais abaixo na tabela, e ainda na luta por um segundo lugar que dará acesso ao playoff de promoção, está a grande surpresa desta edição da 2ª Divisão – Norte, o Académico da Feira. Recém-promovido do terceiro escalão, o emblema feirense parece ser neste momento, o único capaz de retirar ao Espinho o lugar no playoff de acesso à primeira divisão.

Nos lugares de despromoção o destaque pela negativa vai para outro recém-promovido, o Mealhada. A equipa que venceu a sua série da prova preliminar desta temporada acabou por perder o seu principal artilheiro Tiago Jorge (que nos 5 jogos da prova preliminar marcou 13 golos), e surge já praticamente despromovido ao terceiro escalão com apenas 3 pontos averbados.

Na luta para escapar aos restantes dois lugares de despromoção encontram-se ainda sete formações, com o 7º classificado Valença a apenas 9 pontos do 12º, Infante Sagres. Para além do histórico emblema da invicta, também o Paredes se encontra abaixo da linha de água, mas muito pode ainda mudar nas oito jornadas que restam.

Classificação da 2ª Divisão Nacional – Norte (Fonte: hoqueipatins.pt)

Zona Sul – Parede lidera com vantagem interessante

Tal como o Marinhense a norte, também o Parede a sul tem, para já, uma vantagem que lhe permite algum conforto na corrida à 1ª Divisão Nacional. Com cinco pontos de vantagem para o mais direto perseguidor, mas com um jogo a menos, a formação de Pedro Gonçalves pode estar próxima de confirmar o regresso ao convívio entre os grandes da modalidade, onde já não marca presença desde a temporada 1992-93.

Na perseguição ao líder surge um trio de equipas que luta entre si pela vaga no playoff de promoção, isto se a equipa do Parede não abrir mão do primeiro lugar. Candelária, Biblioteca e Paço de Arcos têm todos reais chances de garantir a promoção, e prometem uma batalha a três intensa até final.

Se no caso dos picarotos e dos lisboetas a presença na luta pela promoção era já esperada, a equipa de Valado de Frades (Nazaré) é surpreendente. Tendo nas últimas temporadas consolidado o seu lugar no miolo da tabela da 2ª Divisão – Sul, o atual 3º lugar na tabela supera todas as expectativas iniciais, e faz alimentar o sonho de uma subida histórica à 1ª Divisão Nacional. Mesmo que essa subida não seja alcançada, e época 2020-21 ficará sempre na história do clube que tem como melhor resultado na 2ª Divisão, dois 6º lugares nas temporadas de 2011-12 e 2019-20.

A luta pela despromoção está neste momento reduzida a quatro emblemas, Grândola, Juventude Salesiana, Alverca e Vilafranquense. Com apenas 7 pontos a separar o mais bem classificado, Grândola, do lanterna vermelha, Vilafranquense, qualquer uma destas equipas pode ainda alcançar a manutenção no segundo escalão.

Sendo que existe ainda a possibilidade de serem apenas duas as equipas despromovidas, isto porque a formação d’Os Tigres de Almeirim, que nesta temporada competiu na 1ª Divisão, já informou que em 2021-22 não irá inscrever equipa sénior em qualquer escalão, deixando assim uma vaga na 2ª Divisão para a próxima temporada.

Classificação da 2ª Divisão Nacional – Sul (Fonte: hoqueipatins.pt)

(Foto de Capa: Ana Maria Fonseca / SC Marinhense)


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter