A Selecção Nacional senior de Ginástica Acrobática no Campeonato do Mundo 2018

Sofia GoulartMaio 31, 20184min0

A Selecção Nacional senior de Ginástica Acrobática no Campeonato do Mundo 2018

Sofia GoulartMaio 31, 20184min0
O Campeonato do Mundo já foi mas o Fair Play conta-vos como correram as provas à Selecção Nacional de Ginástica Acrobática no escalão sénior! Lê e confirma!

No passado mês de Abril, entre os dias 13 e 15, decorreu o Campeonato do Mundo de Ginástica Acrobática na idade de Antuérpia, na Bélgica.

Portugal fez-se representar pelos seguintes atletas de vários clubes e distribuídos pelas várias categorias:

Par Feminino – Mariana Candeias I Marta Nunes – Ginásio Clube Português

Grupo Feminino – Isis Coutinho I Ana Pratas I Ana Fontes – Associação Académica de Coimbra

Grupo Masculino – Miguel Silva I Henrique Silva I João Pereira I Henrique Piqueiro – Acro Clube da Maia

Par Misto – Bruno Tavares I Beatriz Ferreira – Sociedade Euterpe Alhandrense (O par misto acabou por não competir, em virtude do base ter sofrido uma lesão durante um treino antes da competição.

RESUMO DAS PRESTAÇÕES

A seleção lusa começou muito bem a fase de qualificações, indispensável para poder almejar um lugar nas finais. Numa competição onde havia muitos grupos e pares, e com as bancadas do pavilhão praticamente cheias, o apoio e as ovações aos ginastas faziam-se sentir, mas a pressão também existia.

Nos pares femininos, Mariana e Marta, naquele que é o seu primeiro ano a competir no escalão sénior, somaram nesta fase preliminar 80.390 pontos, o que lhes valeu um lugar a disputar a final (apenas 6 pares passavam). Assim, na final, o par realizou um bom exercício de combinado, com um total de 27,030 pontos, tendo-se classificado na sexta posição da tabela.

Não esqueçamos que a Mariana e a Marta alcançaram uma medalha de bronze no último campeonato da Europa, com o seu exercício de dinâmico, quando ainda competiam no escalão júnior, tendo também obtido o bronze numa das etapas da Taça do Mundo de 2018. Cá estamos para acompanhar as futuras prestações destas ginastas.

Foto: Sérgio Mateus – Federação Portuguesa de Ginástica

Nos grupos masculinos, entrou em ação a quadra masculina há muito conhecida dos adeptos portugueses desta modalidade da ginástica. O grupo maiato entrou com o pé direito na competição, com um ótimo exercício de equilíbrio. Seguiram-se umas prestações do mesmo calibre, tendo o grupo conseguido, na fase qualificativa, um total de 87,280 pontos, passando às finais em 3º lugar. Na final, demonstraram o seu valor, com um excelente exercício combinado, que somou 29.860 pontos, a sua melhor nota até ali obtida, tendo conseguido o 4º lugar.

Esta foi uma competição muito renhida, entrando para a história pelo facto de todos os grupos masculinos que conseguiram um lugar no pódio, somaram mais de 30 pontos, inédito até ali. Há também que referir que este, à semelhança do par feminino português, este é o primeiro ano no escalão sénior desta quadra, que se vestiu de prata no Europeu de 2017 e bronze no Mundial de 2016. O futuro avista-se risonho!

Foto: Sérgio Mateus – Federação Portuguesa de Ginástica

Nos grupos femininos, Portugal fez-se representar por três ginastas conimbricenses, estreantes nestas lides. As jovens ginastas competiram naquela que é uma das categorias mais disputadas, e com mais trios em prova.

No primeiro dia, no exercício de dinâmico, sofreram uma pequena falha na receção de um elemento, mas isso não afetou o resto da competição. Na fase de qualificação, alcançaram um total de 80.565 pontos, classificando-se na sétima posição de acesso à final (num total de 8 disponíveis).

Uma vez na final, o trio realizou um bom exercício combinado, com uma pontuação de 27.570 pontos, valendo-lhes o 7º lugar na final geral.

Foto: Sérgio Mateus – Federação Portuguesa de Ginástica

Mais uma vez, foi um orgulho ter assistido à prestação dos ginastas portugueses. Apesar de alguns dos atletas serem ‘’novatos’’ em competições internacionais, a verdade é que Portugal é, cada vez mais, uma referência no panorama internacional da ginástica acrobática. Estamos ‘’à altura dos grandes’’, porque já o somos. Com uma seleção com vários elementos novos, ficamos a aguardar a próxima competição. Uma das próximas edições da Taça do Mundo é em Lisboa. Lá estaremos!


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter