Medalhas lusas na Competição Europeia por Grupos de Idade 2019

Sofia GoulartNovembro 3, 20194min0

Medalhas lusas na Competição Europeia por Grupos de Idade 2019

Sofia GoulartNovembro 3, 20194min0
Portugal voltou a dar show na Competição Europeia por Grupos de Idade com a conquista de uma série de medalhas! Explicamos quais e como tudo se passou!

As palavras escolhidas para designar o presente artigo são insuficientes, caso quiséssemos descrever fidedignamente o desempenho brilhante que a seleção portuguesa de Ginástica Acrobática teve, na Competição Europeia por Grupos de Idade (CEGI), que decorreu na cidade de Holon, em Israel, entre os dias 24 e 27 de outubro.

A seleção portuguesa, com 24 atletas de vários clubes nacionais e distribuídos pelos escalões 11-16 e 12-18 anos, era constituída pelos seguintes ginastas:

Escalão 1116 anos

Pares Femininos: Carolina Carneiro/Joana Pinto (Acro Clube da Maia);

Pares Mistos: Luís Ferreira/Rita Rebelo (Ginásio Clube Português)

Grupos Femininos: Marta Nunes/Valentina Franchi/Sofia Lopes (GCP)

Leonor Malho/Íris Fernandes/Madalena Tomás (GCP)

Escalão 1218 anos

Pares Femininos: Mara Moura/Inês Semedo (GCP);

Matilde Couto/Mariana Machado (Acro Clube da Maia)

Par Masculino: Manuel Candeias/Francisco Semedo (GCP);

Par Misto: Gustavo Sousa/Catarina Bacelar (GCP)

Grupos Femininos: Mónica Lima/Margarida Malato/Yasmin Rodrigues(GCP)

Teresa Silva/Beatriz Ferreira/Maria Marvão (Gimnofrielas).

No primeiro e no segundo dia da competição, realizaram-se as fases de qualificações, nas quais foram executados os exercícios de equilíbrio e dinâmico. Os grupos e os pares portugueses, de ambos os escalões, apresentaram exercícios de grande qualidade, sem falhas graves a assinalar. Os esquemas apresentados foram pontuados com notas altas, facto que permitiu a passagem às finais nos lugares cimeiros, mas também augurava um bom presságio quanto à possibilidade dos ginastas portugueses trazerem uma medalha para casa.

E o bom presságio veio concretizar-se: na final de pares Mistos 11-16 anos, os ginastas Luís Ferreira e Rita Rebelo, conquistaram a primeira medalha para Portugal – de Prata – ao conquistarem 27,350 pontos, com o seu esquema de dinâmico.

No dia seguinte, no escalão 12-18, na final de pares Femininos, as atletas Mara e a Inês, executarem um ótimo exercício de Combinado (com elementos de equilíbrio e dinâmico), alcançaram a medalha de bronze, com um total de 27,350 pontos! Os nossos parabéns às jovens ginastas.

No mesmo dia, foi a vez do trio feminino (Mónica/Margarida/Yasmin) entrar em ação nas finais e reclamar o OURO! O trio, que dominou a fase de qualificação, obteve 27,950 pontos, num pódio disputado “taco a taco”, com o esquema de combinado, muito bem executado.

Para além destes excelentes resultados, há que destacar os resultados obtidos pelo par masculino português 12-18 anos, com um 4º lugar, e o obtido pelo trio no escalão 11-16, também um 4º lugar, mas que teve a mesma nota do trio russo que ficou com o bronze. O grupo português apenas não subiu ao pódio devido à regra de desempate existente no código internacional, relacionada com a nota de execução. Esta regra determina que, havendo uma situação de empate na pontuação obtida num determinado exercício, o critério de desempate será a nota de execução. Neste caso, como o trio russo teve uma nota mais elevada, assumiu ele a 3ª posição.

De salientar ainda que muitos dos grupos portugueses são recém formados, alguns deles com poucos meses de treinos. Muitos dos ginastas lusos estrearam-se nas grandes competições internacionais neste campeonato da Europa, pelo que, a avaliar pelo percurso feito nesta competição, estão todos de parabéns!  Em todos os escalões e especialidades em que participou, Portugal esteve presentes nas finais – sendo que, em algumas categorias, os grupos portugueses classificaram-se, durante as qualificações, em lugares que lhes permitiram ir à final. No entanto, devido à regra de “Um por país”, só um par/trio/grupo poderia continuar em competição.

Mais uma vez, Portugal voltou a (de)mo(n)strar a raça que tem, através do trabalho sublime e exemplar desenvolvido pelos ginastas, que se traduziu nestes resultados espantosos!

Aguardamos agora o desenrolar da competição nos escalões Júnior e sénior, no qual Portugal também está muito bem representado.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter