Não são meninas, são senhoras. Eles estão de volta

Rafael RaimundoFevereiro 27, 20193min0

Não são meninas, são senhoras. Eles estão de volta

Rafael RaimundoFevereiro 27, 20193min0
Perderam a final do campeonato da Europa de futsal feminino, mas foram umas senhoras em campo. No masculino, acreditamos que a luta está de volta.

Já passou cerca de semana e meia desde que a seleção de futsal feminino perdeu a final do campeonato da Europa frente à vizinha Espanha. O resultado final foi de 4-0 para a seleção hispânica, contudo ficou bem patente a qualidade da equipa portuguesa. Foram umas senhoras dentro de campo.

Quem assistiu ao jogo de certo se apercebeu de que o problema das portuguesas não foi a diferença de qualidade face à Espanha. Foi sim a falta de frieza na hora de finalizar, que aliado ao rumo dos acontecimentos – nomeadamente o evoluir do marcador -, culminaram num resultado que em nada espelha o que foi o jogo.

Por diversas vezes  a seleção portuguesa teve oportunidade para marcar, mas ora por desacerto ora por boas intervenções por parte da guarda-redes espanhola, Portugal raramente conseguiu ameaçar aquilo que foi o grande trunfo espanhol – a defesa.

Foi precisamente na defesa que o jogo se decidiu. Houve muito mérito das espanholas neste momento do jogo. Sem nunca pressionar muito para além da zona do meio campo e sempre protegendo a zona central – dando mais espaço para que a bola entrasse pelas linhas – a Espanha conseguiu manter sempre a baliza razoavelmente segura. Sempre numa linha de pressão mais baixa, mas sem nunca perder a intensidade com que disputavam os lances.

Talvez possa dizer-se que Espanha teve mais medo de disputar o jogo taco a taco, no entanto, acreditamos que tudo tenha sido parte de uma estratégia de uma equipa que respeita muito a seleção portuguesa.

No final, restou tristeza pela final perdida, mas um sentimento de grande confiança naquilo que é o futuro do futsal feminino em Portugal.

Eles – o verdadeiro Sporting de Nuno Dias – está de volta.

A equipa de Nuno Dias está perto de atingir o pleno de forma que caracteriza uma equipa treinada por Nuno Dias. Contra o Benfica, onde goleou, mostrou claramente que a equipa está a melhor. Podia dizer que o Benfica está mais fraco, mas não estaríamos a dizer a verdade. A verdade é que, após alguns meses de adaptação aos novos jogadores, a equipa está a jogar com mais dinâmica e com um estilo de jogo mais apelativo. O 6-1 ao Benfica foi a prova disso mesmo.

O resultado não reflete a diferença das equipas, é aliás um resultado que raramente acontece entre ambas, porém é também unânine dizer que o campeonato se deve voltar a discutir a dois. A equipa do Módicus está a baixar de forma, após meia época de excelentes resultados, e o Braga AAUM não está numa fase especialmente promissora, ainda que esteja a melhorar de rendimento.

Fotografia: Instagram Sporting futsal

Como já referimos antes, esta luta entre Benfica e Sporting está mais equilibrada do que nunca. Um Benfica que melhorou face aos anos anteriores e um Sporting que já não está no seu auge.

Se a luta na liga SportZone não foge ao que têm sido os últimos anos, na divisão abaixo podemos ter uma surpresa. Há várias temporadas a tentar subir ao principal escalão, mas a falhar a subida sempre por pouco, o Portimonense pode estar prestes a fazer história. A equipa do sul de Portugal tem um registo 100% vitorioso no final da primeira fase do campeonato e está ainda em prova na Taça de Portugal. Resta saber se, na 2ºfase do campeonato, a que apura as equipas que sobem, se consegue dar um passo há tanto esperado. Luís Fassy, melhor marcador do campeonato, e Filipinho, proveniente da Burinhosa, são as duas maiores estrelas da equipa.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter