Dubai CrossFit Championship 2019: antecâmara para os ‘Games

Tiago OliveiraDezembro 11, 20193min0

Dubai CrossFit Championship 2019: antecâmara para os ‘Games

Tiago OliveiraDezembro 11, 20193min0
Os CrossFit Games estão quase a chegar mas há ainda antes alguns eventos sancionados que podem prever o que pode vir a acontecer na maior competição desta modalidade! Fica a saber tudo sobre o Dubai CrossFit Championship

No primeiro ano com os eventos Sancionados expostos logo a seguir ao Open, importa olhar para o passado e para o Dubai CrossFit Championship que começou no dia 11 de dezembro e vai até 15 do mesmo mês que com o Wodapalooza eram as outras duas grandes competições paralelas aos Games. Sendo que o Dubai em Dezembro atraía mais atletas, uma vez que o Wodapalooza em Janeiro poderia condicionar o Open em Fevereiro.

Acontece que em anos anteriores o Dubai não previu nenhum vencedor dos Games, com a exceção a ser em 2016 e 2018 com Mat Fraser. So This is a trip down memory lane.

View this post on Instagram

Win a trip to come watch the Finals in Dubai in December! You have 3 more chances at being the weekly winner for the “Take Me to Dubai” Raffle. To enter: Register now for our Online Qualifier (Link in Bio) and get ready for week 3 of the DCCOQ and CrossFit Open. Your submission of your score and video for week 3 serves as your Raffle Ticket for this week’s drawing. We will pick a Male and a Female winner each week to win the expenses-paid trip to Dubai. Find more details on our website. #DCC19 #DubaiCrossfitChampionship #TakeMeToDubai #CrossFitGames @RogueFitness @reebokmena @emirates @jumeirahcreeksidehotel @dubaisc @assaultairbike @concept2inc @hyperice @511tactical @picsil_sport @gowod_mobilityfirst @wodproofapp

A post shared by Dubai CrossFit® Championship (@dxbfitnesschamp) on

Em 2015 nenhum dos vencedores dos Games (Ben Smith pelos homens e Katrin Davíðsdóttir pelas Mulheres) concorreu a alguma das outras duas provas. Aliás, a tendência dos atletas de topo era concentrarem-se apenas no Open, Regionais e Games. A exceção nesse ano de 2015 foi Sara que nem era atleta de topo. Sara percorreu o circuito de provas menores ganhando fama e reputação e rapidamente foi apontada como uma das favoritas ao pódio nos Games desse ano onde «apenas» conseguiu um terceiro lugar. Fun fact: apesar de Katrin ter ganho os Games não fez uma prova dominadora, Tia Clair deu luta, apesar de ser uma estreante. Nos homens Ben Smith apenas ganhou no último evento nos Games e acaba por levar o título mais apetitoso do mundo do «funtional fitness».

Em 2016 é o ano de exceção, porque apesar de Dubai ser a seguir aos Games, “contava” para a época seguinte e Mat ganha ambos. É o único vencedor de Dubai e Games no mesmo ano. Nas mulheres é Sara que ganha no Dubai em 2016, tendo sido terceira nos Games subsequentes, ou seja 2017, onde Katrin volta a ganhar numa prova renhida outra vez com Tia que volta a fazer segundo pela segunda vez que consegue um lugar nos Games.

Em 2017 BKG ganha no Dubai seguido de Travis Mayer nos homens. Nas mulheres é Annie e Laura Horvath a fazerem primeiro e segundo respetivamente.

Já em 2018 nos Games BKG não faz pódio e Travis Mayer nem sequer consegue ser apurado. E Annie consegue apenas um terceiro lugar nos Games de 2018. Já Laura da continuação à boa prestação e faz todo o percurso de provas menores ganhando fama e reputação, conseguindo nos Games de 2018 um espantoso segundo lugar. E é nesses jogos que Tia vence categoricamente sem qualquer margem de dúvidas não tendo feito qualquer prova paralela.

Ou seja, tirando o inevitável Mat Fraser nunca o pódio de Dubai previu qualquer desfecho nos Games.

Conversas à parte, CrossFit é desafios, desafios são os WODs:

20 minutos de time cap

100 burpees por cima do remo (deita no chão, salta para a posição de pé, salta por cima do remo)

Máxima distância no remo no tempo que sobrar


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter