Os representantes portugueses nos Crossfit Regionals

Cláudia Espirito-SantoMaio 7, 201811min0

Os representantes portugueses nos Crossfit Regionals

Cláudia Espirito-SantoMaio 7, 201811min0
O Fair Play foi saber quem são os nossos representantes nos Crossfit Regionals! Uma antevisão ao lado luso dos Meridian Regional a realizar em Madrid

Findo o Open 2018, chega o momento da verdade… vamos aos CrossFit Regionals!

Está confirmada a presença de quatro atletas portugueses nos Meridian Regional em Madrid.  Uma oportunidade única de conhecer melhor os nossos atletas e ver o melhor do CrossFit Nacional num dos maiores palcos da modalidade.

De uma competição que começou com centenas de milhares de pessoas passámos para 9 Regionais distribuídos por 3 fins de semana com os 20 melhores atletas femininos e masculinos de cada Região a disputar uma das 5 posições que os vai permitir ir a um dos maiores espectáculos de força, tenacidade, capacidade e resiliência do ser humano, os CrossFit Games.  Nesta competição os atletas devem estar preparados para o inesperado e acima de tudo confiantes que seja qual for o desafio vão fazer tudo por tudo para superá-lo.

E temos portugueses apurados para os Meridian Regionals a decorrer em Madrid de 1 a 3 de Junho na Caja Mágica.

É o terceiro ano que os Regionals vão estar presentes no país vizinho, sendo que nos anos anteriores o Regional Europeu era apenas um e este ano temos o continente subdividido em 2 regiões ( https://fairplay.pt/modalidades/crossfit/crossfit-regionals-duas-regi/ ). Francisco Godinho, atleta apurado para o Meridian Regional partilha a sua perspectiva sobre a nova divisão da Europa “Recordo-me que foi algures entre o final de Outubro e o início de Novembro que foi partilhada a informação de que o sistema de apuramento para os “CrossFit Games 2018” iria sofrer alterações – A Europa seria dividida em dois.

Esta divisão iria criar sem dúvida uma aproximação dos atletas portugueses aos Regionais de Crossfit, contudo, mesmo com as zonas de Norte e Sul em competições distintas, a ida de um atleta português não era tão evidente quanto nos poderia parecer inicialmente. Com a concorrência nórdica de parte, a Espanha, França e os países de leste continuariam a ocupar lugares na tabela de qualificação. Contudo, não existia dúvidas que entre 2017 e 2018 a evolução dos atletas portugueses tem vindo a ser cada vez mais notória e por isso, com a possibilidade de um apuramento, seria difícil como atleta não apostar tudo na Competição que define o “Fittest on Earth”.”

Verifica-se efectivamente que o investimento dos atletas Portugueses valeu a pena já que nunca tivemos uma presença tão forte de atletas Lusos num Regional. Os atletas individuais já estão confirmados e temos quatro atletas de origem portuguesa na competição que apura os melhores atletas do mundo para a grande final dos CrossFit Games no Alliant Energy Center em Madison, Wisconsin nos Estados Unidos. A representação feminina do nosso país já participa nos Regionais há alguns anos e vale a pena conhecer um pouco melhor.

(Quadro de qualificação Mundial das Masters 40-44 com comprovativo de aceitação ou rejeição para presença nos Regionais da sua zona)

Ana Caldas veterana dos CrossFit Regionals

Ana Caldas é uma veterana dos CrossFit Games e uma das poucas presenças lusas recorrentes nos Regionais.  Esta será a sua sétima qualificação para os Regionals em individual, contudo será a quarta participação nesta categoria já que nas outras três optou por ir em Equipas. Além da sua prestação geral ser extraordinária (ficou em sétimo lugar no Open 2018 na Elite feminina da zona Europe South), é preciso clarificar que Ana Caldas pertence efectivamente à categoria Master 40-44 anos, onde no Open, a nível mundial ficou em quarto lugar, e na nossa região em primeiro.

É a primeira atleta portuguesa com presença confirmada nos CrossFit Games na categoria Master 40-44 devido ao seu 10º lugar Mundial nos Online Qualifier (fase subsequente ao Open de qualificação dos atletas de categoria Master).  Mais extraordinário se tornam os resultados quando percebemos que a atleta é uma das 7 mulheres (participaram acima de 20.000) dessa categoria que se qualificaram para os regionais em Elite.

Ironicamente os Regionais não faziam parte do objectivo inicial da nossa atleta,

“Este ano os regionais não faziam parte dos meus objectivos. Acabei por aceitar o convite para os regionais precisamente por ser na Europa e mais próximo de Portugal o que possibilita parte da minha família poder vir. Além do que se não aceitasse Portugal ficaria sem representação feminina, e e claro que não poderia deixar isso acontecer, ainda mais porque pela primeira vez teremos “meninos” na arena! Cada regional que participei foi uma experiência diferente, mas estes vão ser sem duvida especiais, e possivelmente os meus últimos.

Quanto a preparação, acho que bastante diferente da maioria das miúdas com quem vou competir. Logo após o open tive o AGOQ, e visto que o meu objetivo era qualificar-me na categoria 40-44, foi nessa altura que cheguei ao meu pico. Estou agora numa fase de recuperação e manutenção para tentar manter o máximo possível a forma até aos regionais.”

Como Ana Caldas refere,

“vamos ter “meninos na arena”” e o facto é que os atletas masculinos vão ter uma presença sem duvida impactante já que contamos com Pedro Bartolo da CrossFit AlphaDen, o atleta Fittest em Portugal 2017, João Ferreira da CrossFit OPO, que apesar de ter vários desafios de saúde ao longo do Open conseguiu o apuramento e Francisco Godinho, atleta Competitor’s Program que anteriormente falou sobre o impacto da nova divisão da região Europa para os atletas do nos país.

Chegar até aqui não é fruto de sorte, amizades nem juízes brandos.  Chegar aos CrossFit Regionals é fruto de muito trabalho, sacrifício e acima de tudo coração.  É fruto da capacidade de cada atleta levar o seu corpo mais longe, de fazer shutdown à pequena voz interior que questiona a sua capacidade quando parece impossível fazer mais uma repetição e ouvir o som da sua vontade de ferro de ultrapassar todos os obstáculos.  Chegar aos Regionais é o fruto de um objectivo traçado, um treino focado, uma alimentação regrada, uma equipa de treinadores e família que apoia e sabe o que está a fazer mas acima de tudo… uma vontade pessoal inigualável de vencer.”.

Ana Caldas após vencer os Alpha Games em 2017

Pedro Bartolo, atleta CrossFit Alpha Den

Pedro Bartolo refere sobre o Open,

“Senti me super bem.  Todos sabemos que sao 5 semanas muito importantes para quem tem aspirações a ir aos Regionais, e nessas 5 semanas, no meu caso, foi passar o maximo de tempo com a família e amigos mais próximos, e no momento certo por em pratica todo o ano de preparação.   Quanto a ir aos Regionais, no meu caso, vejo isso como recompensa pessoal, por todo os sacrifícios que passei. Fico orgulhoso de poder ir representar esta comunidade , nao vamos ser apenas 4 na arena, cada um de nos leva um pouco dessa comunidade”.

Pedro Bartolo, atleta CrossFit Alpha Den

João Ferreira – atleta CrossFit OPO e parte da Equipa Box PT

Já para João Ferreira o desafio foi diferente e houve bastantes situações inesperadas,

“Não sei bem descrever como correu o Open, porque tudo o que poderia ter acontecido de inesperado, aconteceu (problemas de saúde e outros contratempos). Mesmo não tendo sido o Open perfeito, acabou por ser bastante positivo, tanto pelos resultados como pela experiência que ganhei por ter passado por essas coisas numa altura destas.”

Sempre a pensar de forma positiva, João Ferreira adianta a sua meta nos Meridian Regionals este ano,

“O objetivo fundamental dos Regionais este ano, sendo o meu primeiro ano, é aproveitar ao máximo cada segundo que lá vou passar, divertir-me a competir, dar o meu máximo em cada WOD e desfrutar disso não estar demasiado vidrado em como cada resultado se traduz na leaderboard (isso deixo para próximas épocas) e sair de lá com uma experiência positiva! 

Ter pessoas a apoiarem-me, seja presencialmente nos Regionais ou no meu dia a dia, é importante para mim porque significa que as pessoas acreditam no trabalho que eu tenho desenvolvido. Serve tanto como uma forma de “ganhar mais energia” – querer dar mais de mim nos WODs numa competição por exemplo – como para mostrar o meu trabalho e tudo o que tenho vindo a treinar. Vai ser incrível e um enorme orgulho ter uma multidão de Portugueses a apoiar os atletas nacionais em competição nos Regionais!!”.

João Ferreira – atleta CrossFit OPO e parte da Equipa Box PT

Francisco Godinho – atleta Competitor’s Program

Francisco Godinho não é excepção no sentimento de extremo orgulho em representar o seu país no Meridian Regional e refere sobre toda a sua preparação,

“Ao longo de 2017 participei em várias competições a nível nacional onde fiz excelentes resultados, e a nível internacional que me permitiram perceber o meu nível de fitness face a outros atletas – fatores sem dúvida determinantes na evolução do meu “mindset”.

Quando iniciei a minha preparação para o Open 2018, após um período de “offseason” em Agosto, foquei-me apenas em ser consistente – na minha programação de treino, no trabalho, na minha vida. Essa consistência, ou esse equilíbrio, tanto mental como físico, penso que tenham sido fundamentais para os meu resultados do apuramento. Assim como o apoio dos meus coaches Bruno Militão e Artur Sayal da Competitors Program sempre determinantes ao longo de todo o processo. Quando se deu o início da temporada das cinco semanas que levaria o Open, procurei dar única e exclusivamente o meu melhor em todos os ”WODS”, mas acima de tudo fazê-lo de forma constante.

Posso dizer que fiquei surpreso quando vi na leaderboard os meus resultados após o primeiro e o segundo WOD – mas nada mudou, eu sabia que era possível. É uma honra e uma enorme responsabilidade juntamente com atletas fortíssimos como Pedro Bártolo e João Ferreira poder representar as cores da nossa bandeira e finalmente marcar a presença com o nosso país nos Regionais de CrossFit. – “It always seems impossible till it’s done”.”

No Meridian Regional 2018 Portugal vai fazer história porque pela primeira vez tem 4 atletas em Elite a representar a nação. É a nossa oportunidade de viver verdadeiramente o sentido de Comunidade e apoiar os nossos atletas.

É a nossa oportunidade de estar juntos no nosso desporto no momento em que se atingiu um patamar totalmente diferente e onde todos os factores podem fazer a diferença.  A presença unida dos Portugueses nos Meridian Regionals (já referimos que é em Madrid, a 6 horas de carro e 30 euros de avião, não já?) a apoiar os nossos atletas feminino e masculinos vai levá-los mais longe do que alguma vez pensaram ser possível.  Porque a força da Comunidade e os Resultados da União são inexplicáveis.

Está nas nossas mãos enquanto apaixonados por este desporto transportar os atletas que representam a nossa bandeira a um nível que nunca sonharam ser possível.  Chegou o momento de mostrar a nossa fibra, a nossa alma Lusa… e para isso é só ir ao link e comprar os bilhetes 😉

https://www.cuetoems.com/cfregioneu_2018/Tickets.aspx?l=MERD95BE957

Assistir ao Meridian Regional é uma oportunidade única de ver os exemplos de tenacidade portugueses a pisar uma arena repleta de guerreiros à altura.

Vais ficar de fora?

#onenationcrossfitportugal

Francisco Godinho – atleta Competitor’s Program

Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter