Tudo o que precisas saber para Competir em Equipa no Open 2018

Cláudia Espirito-SantoFevereiro 21, 201817min0

Tudo o que precisas saber para Competir em Equipa no Open 2018

Cláudia Espirito-SantoFevereiro 21, 201817min0
O Open de 2018 está aí à porta e tivemos uma Crossfiter a dar dicas importantes para competirem em equipa. Como? Lê o artigo e fica a saber!

Estamos a algumas horas do lançamento do primeiro WOD do Open de 2018.  A ansiedade começa a crescer e as especulações sobre o que poderá sair no 18.1 são mais que muitas e os atletas de topo portugueses aguardam mais ansiosos que nunca os desafios que estão para vir.  Portugal já esteve presente nos Regionais e mesmo nos CrossFit Games com atletas espectaculares, mas desta vez existe uma probabilidade da presença portuguesa poder aumentar bastante com a nova divisão da Região Europa.  Neste sentido, e por ser particularmente importante a decisão dos atletas participarem individualmente ou em equipa, pedi ajuda na elaboração da análise detalhada sobre o que implica a decisão de ir em Equipa e como garantir que a nossa Equipa cumpre todos os parâmetros necessários para participar nos Regionais deste ano.  Vale mesmo a pena ler 😉 

COMPETIR EM EQUIPA NO OPEN 2018

O Open está à porta, e a época de 2018 é particularmente entusiasmante para nós em Portugal pois, com a criação de uma nova região – Europe South – e com o nível dos nossos atletas nacionais a aumentar incrivelmente de ano para ano, é inevitável sentirmos que estamos cada vez mais perto de começar a deixar uma marca no “Sport of Fitness” durante a época oficial dos CrossFit Games.

Foto: Crossfit Games

Além das alterações feitas às regiões, foi também anunciada uma alteração muito importante – o formato das equipas passou de 6 (3 homens e 3 mulheres) para 4 (2 homens e 2 mulheres). Deste modo, parece ser cada vez mais possível para uma box portuguesa poder ambicionar levar uma equipa a competir nos Regionais. Como tal, é importante que todas as boxes e Team Managers tenham presente o regulamento oficial da CrossFit no que concerne a criação de equipas, regulamento esse que contém algumas nuances bastante complicadas que se devem ter em conta. A CrossFit leva este assunto muito a sério, e nós como Portugueses também queremos representar o nosso país da melhor forma possível, sempre com toda a integridade e dentro das regras.

Visto que até ao final do 18.1 ainda podem fazer alterações e adicionar elementos à vossa equipa, decidimos facilitar-vos um pouco esta tarefa e apresentar alguns pontos que devem ter em consideração caso queiram ter uma equipa formada com elementos da vossa box, e responder a algumas eventuais dúvidas que possam ter (para referência, podem consultar o Competition Rulebook de 2018 aqui: https://s3.amazonaws.com/crossfitpubliccontent/open/2018/CrossFitGames_Rulebook.pdf e ter particular atenção aos pontos 1.10 a 1.19).

Ponto 1 – ELIGIBILIDADE

Todos os elementos da equipa têm que OBRIGATORIAMENTE treinar predominantemente na mesma localização física desde 1 de janeiro de 2018.

Dúvidas frequentes:

O que querem dizer especificamente com “treinar predominantemente na mesma localização física”?

Durante TODA a época dos CrossFit Games, ou seja, a partir de 1 de janeiro de 2018 (ou antes) e até que a equipa seja eliminada da competição, todos os elementos da equipa devem treinar na localização física correspondente (a box dessa equipa) um mínimo de 3 dias por semana. Ou seja, mesmo que um grupo de atletas tenha o mesmo treinador, realize todos os dias a mesma programação, ou tenha por hábito participar em competições nacionais e internacionais em equipa, todos esses factores por si só NÃO SÃO suficientes para fazer de uma equipa elegível para competir no Open – é OBRIGATÓRIO que treinem na mesma localização física pelo menos 3 vezes por semana (em 3 dias separados), e essa localização física obrigatoriamente tem que ser a box associada à equipa. Podes encontrar um resumo dos critérios de elegibilidade aqui: https://games-support.crossfit.com/article/112-who-is-eligible-to-compete-on-a-team

O que é que pode acontecer se a minha equipa tiver atletas que não são elegíveis?

Ao utilizar um atleta não-elegível, TODA a equipa poderá ser desqualificada da competição, e alguns ou todos os atletas inscritos na equipa poderão também ser proibidos de competir como atletas individuais.

Okay, eu houve ali uns meses que não treinei nessa box, mas fora isso treino lá todos os dias o ano todo, por isso basicamente em média deve contar como treinando lá 3 dias por semana, certo?

NÃO! Segundo o regulamento oficial, os atletas NÃO PODEM fazer o somatório de todos os treinos de uma época para demonstrar que, em média, realizavam 3 treinos por semana na box da equipa durante essa época. Existem exceções para viagens temporárias ou estudantes, mas devem ser documentados no Training Log do atleta, e nesse caso o atleta deverá preencher um Early Declaration Form (disponível aqui: https://app.smartsheet.com/b/form/415758dcce80416dbd970261a6d6a03c).

Por exemplo: um atleta é estudante e por estar em casa durante as férias do Natal não conseguiu voltar a treinar na sua box no dia 1 de janeiro, mas tanto antes como após regressar à box cumpriu sempre a regra das 3x por semana – nesse caso, deverá preencher o EDF e contactar support@crossfitgames.com para justificar a sua ausência ANTES da época se iniciar, ou seja, antes do primeiro WOD do Open. A responsabilidade de garantir a elegibilidade de TODOS os elementos da equipa é do Team Manager.

O que é isso do Training Log? Então mas eu sou obrigado/a a registar todos os meus treinos? Eles nunca vão pedir isso, por isso nem vale a pena, e de certeza que mais ninguém faz isso…

Pelo contrário: se a tua equipa se qualificar para os Regionais, ou se a qualquer momento da época (incluindo durante o Open) surgir alguma dúvida em relação à elegibilidade da tua equipa, a CrossFit VAI PEDIR o Training Log de todos os atletas inscritos na equipa! No regulamento está estipulado que TODOS os atletas deverão estar preparados para fornecer documentação fidedigna e completa sobre os seus treinos semanais e mensais a partir de 1 de janeiro, principalmente aqueles atletas que facilmente suscitem questões sobre a sua elegibilidade (por exemplo: vivem muito longe da box, ou dão treinos regularmente noutra box que não a da sua equipa, ou caso se trate de um atleta que mudou de box recentemente, etc).

Devem manter um registo de TODOS os treinos, datas e horas em que foram realizados, e a localização onde foram feitos. Caso algum dos atletas não tenha essa documentação, poderá ser desqualificado, e causar a desqualificação de toda a equipa.

Que documentação é que a CrossFit me pode pedir para provar a minha elegibilidade?

A CrossFit irá pedir a seguinte documentação:

O teu Training Log (podes aceder ao TL oficial aqui: https://app.smartsheet.com/b/form/199d8d7af5834a9db499ea806240154f) atualizado e detalhado;

Provas fotográficas (por exemplo, fotos marcadas com data/hora e/ou “selfies” que mostrem características específicas da box em questão) de TODAS as sessões de treino desde 1 de janeiro de 2018 (aqui está um bom exemplo: https://s3.amazonaws.com/crossfitpubliccontent/traininglogselfie1.png);

Redes sociais: poderás, por exemplo, criar uma página dedicada nas redes sociais (Facebook, Instagram, etc.) onde publiquem um registo cronológico dos treinos de todos os elementos da equipa.

A minha box não é afiliada, também posso criar uma equipa?

Sim, claro! Em todo o caso, os elementos das equipas não-afiliadas devem também treinar na mesma localização física e obedecer aos mesmos requisitos que as equipas de boxes afiliadas.

Até quando podemos criar uma equipa?

O prazo para registo de elementos numa equipa é até ao final do 18.1 (segunda-feira às 17:00 da Califórnia, que corresponde à 01:00 de terça-feira em Portugal). Após esse prazo, um atleta que esteja inscrito numa equipa não poderá competir por outra equipa, mesmo que uma outra equipa da mesma box se consiga apurar para a fase de competição seguinte.

E se a minha box tiver mais do que uma equipa? Ou se eu for membro de uma box que tem várias localizações?

No caso de boxes afiliadas ou ginásios que queiram inscrever mais de uma equipa, isso é possível, desde que todos os membros de cada equipa treinem predominantemente nessa localização física, de acordo com as regras estipuladas. Os elementos NÃO PODEM trocar entre equipas da mesma box. Para boxes que tenham múltiplas localizações, CADA localização deverá ter a sua própria equipa. As equipas NÃO PODEM incluir elementos que treinem mais frequentemente na outra localização, mesmo que as localizações partilhem o mesmo nome, plano de pagamento ou programação.

Sou coach de uma box mas treino noutra box. Por que equipa é que devo competir?

Só porque dás treinos numa box, não significa que sejas elegível para competir por uma equipa dessa box. Terás que obedecer às regras estipuladas de elegibilidade descritas acima, ou seja, deves competir na equipa da box na qual treinas com maior frequência. Atletas que treinam numa box e dão aulas noutra box deverão ter MUITO CUIDADO para não levantar problemas sobre onde na realidade treinam com maior frequência, pois isso poderá causar problemas de elegibilidade à sua equipa, resultando na posterior desqualificação desse atleta ou mesmo de toda a sua equipa.

Ponto 2 – LEADERBOARD DE EQUIPAS

Dúvidas frequentes:

Como é que funciona a pontuação no caso das equipas? Em cada WOD, como é que sabemos qual vai ser o score da nossa equipa?

Apenas contribuem para o score da vossa equipa os DOIS melhores resultados masculinos e os DOIS melhores resultados femininos de todos os elementos da equipa na versão RX de cada WOD. Caso o WOD seja para um AMRAP, contará como score o número total de reps dos 4 melhores atletas (2M/2F) da equipa. Caso seja para tempo, contará a soma dos melhores tempos dos 4 melhores atletas (2M/2F) da equipa.

E se houver um empate com outra equipa?

A equipa que tiver melhor resultado geral ficará melhor classificada. Caso no final do Open haja um empate, o processo de desempate faz-se pela equipa que tiver tido o próximo “melhor” resultado, e assim sucessivamente, até se encontrar um fator de desempate. Regra geral, cada WOD será contabilizado por número de repetições ou por tempo total. Se num WOD duas equipas tiverem o mesmo resultado, irão partilhar o resultado e a mesma posição no ranking (e consequentemente os mesmos pontos).

No entanto, em casos de WODs “task-priority” (completar x repetições o mais depressa possível) que também tenham um time cap, o ranking irá ser baseado ou no tempo total ou no total de repetições, desta forma: se os 4 elementos da equipa terminarem o WOD, o score da equipa será o tempo total, e neste caso tempos iguais não serão desempatados. Se um ou mais elementos não completar o WOD dentro do time cap, o score da equipa passará a ser o número total de repetições completadas, e a equipa aparecerá no ranking abaixo de todas as equipas cujo score seja um tempo total, e acima das equipas que tenham completado um menor número de repetições.

Caso haja um empate nessas equipas com scores de número total de repetições, a equipa com o tempo total mais rápido (mais baixo) ficará melhor classificada – para tal, considera-se que o tempo dos atletas que não completaram o WOD é o tempo correspondente ao time cap. 

Num dos WODs estive doente e não submeti resultado (fiquei com 0), mas no WOD a seguir fiz o melhor resultado da minha equipa. Esse meu resultado ainda vai contar para o score da equipa, mesmo tendo tido um 0?

Se um elemento de uma equipa tiver um 0 num WOD (ou porque não fez o WOD, ou porque não conseguiu completar as repetições mínimas do WOD, etc.), pode ainda assim continuar a contribuir para o score geral da equipa nos restantes WODs do Open. Os seus scores anteriores, caso tenham sido contabilizados para a equipa, continuarão válidos. No entanto, um atleta que tenha 0 em todos os WODs do Open não poderá competir na equipa nos Regionais ou Games, mesmo que preencha todos os outros requisitos de elegibilidade da equipa.

Os meus scores contaram sempre para a minha equipa, mas eu qualifiquei-me para os Regionais em individual e quero ir em individual. O que vai acontecer ao ranking da minha equipa?

Os rankings das equipas só serão oficializados após o período de convites dos atletas Individuais ter terminado. Ou seja – após se decidir quais são os atletas que irão aos Regionais em Individual, a leaderboard de equipas será devidamente atualizada, sendo que os resultados de atletas que compitam em Individual será retirado da leaderboard de equipas e não será contabilizado para o score geral da equipa.

Quantas equipas vão aos Regionais?

Na nossa região (Europe South), serão convidadas 15 equipas para competir no Meridian Regional. Estas serão as 15 equipas melhor classificadas após a Leaderboard ser atualizada, ou seja, após terem sido retirados os scores de atletas que escolham ir aos Regionais em individual.

Contribuí com scores para uma equipa mas acabei por escolher ir aos Regionais em Individual, só que não me qualifiquei para os Games. No entanto, a minha equipa foi aos Regionais e qualificou-se para os Games! Ainda posso competir com eles?

Sim! Qualquer atleta individual dos Regionais que não se qualifique para os Games é elegível de se voltar a juntar à sua equipa para competir nos Games, caso esta se qualifique. Isto, claro está, se esse atleta tiver cumprido todos os requisitos de elegibilidade durante toda a época em questão.

A minha equipa qualificou-se para os Regionais! Quantos atletas podemos levar?

Podem inscrever 3 atletas masculinos e 3 atletas femininas; no entanto, apenas 2 atletas masculinos e 2 atletas femininas entrarão em competição nos Regionais (os atletas suplentes apenas poderão competir se a troca for feita ANTES do check-in ser feito nos Regionais). Apenas atletas elegíveis para competir em equipa poderão ir aos Regionais, e todos os elementos devem ter tido pelo menos um resultado válido durante o Open (RX ou Scaled), mesmo que esse resultado não tenha contribuído para a sua equipa. Um resultado de 0 não é considerado um score válido.

Todas estas e muitas outras questões estão exaustivamente explicadas no Competition Rulebook, pelo que, caso ainda tenhas dúvidas, aconselhamos que o consultes para esclarecer qualquer questão.

Quer estejas a participar em individual ou em equipa, com objetivos competitivos sérios ou apenas por diversão, nunca te esqueças de:

Gravar todos os teus WODs caso penses que tu ou a tua equipa poderão eventualmente qualificar-se para os Regionais (e ler com atenção todas as regras de gravação dos WODs e standards de cada WOD), e ter sempre um juiz com o Judges Course de 2018 a avaliar-te;

Arranjar um outro atleta inscrito no Open que te avalie cada WOD (caso treines numa box afiliada mas sem ambições de ir aos Regionais) – a parte boa é que poderás fazer o WOD a qualquer altura sem ser necessário gravar, desde que seja na tua box e com um juiz;

Não deixar a submissão do teu resultado e/ou vídeo para a última da hora, porque são as horas em que mais facilmente o site poderá estar “entupido” e “crashar”, e não vais querer falhar o prazo à custa disso;

TE DIVERTIRES! 🙂 O Open é a oportunidade ideal para te desafiares, ires além dos teus limites, e descobrires algo de novo sobre ti mesmo/a! Aproveita, e desfruta desta experiência incrível!

Será certamente um incrível orgulho para todos nós ter um ou mais atletas (ou quem sabe uma equipa!) a representar Portugal no Meridian Regional de 2018, e como para quem treina em Portugal isto ainda é um mundo algo “novo”, nunca é demais relembrar a importância de seguir à letra todas as regras ditadas pela CrossFit International. Todos queremos ver a bandeira de Portugal a chegar novamente aos Regionais, e com a Comunidade toda unida em prol desse objetivo comum, certamente que teremos uma época de 2018 de enorme sucesso!

Que este seja o melhor Open de sempre para todos nós! 🙂

Obrigada Marta Mancelos pelo teu insight e trabalho a fundo nesta matéria.  

Vai sem dúvida ser um ano inesquecível!

*Se ainda não te inscreveste no Open de 2018, vais muito a tempo 🙂

Foto: Crossfit Games


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter