Ginásio ou Box?

Cláudia Espirito-SantoOutubro 27, 20175min0

Ginásio ou Box?

Cláudia Espirito-SantoOutubro 27, 20175min0
Aquilo que muitos acham que se trata de uma "guerra titânica" entre ambos tipos de treino pode nem ser tanto... como? Descobre neste artigo!
“People ask where are the machines? I reply we are the machines.”  – Jason Khalipa

É assim que Jason Khalipa, um dos primeiros e mais conceituados atletas, treinadores e box owner (NC Fit – anteriormente NorCal CrossFit) descreve uma das principais características de uma box de CrossFit – não há máquinas.  Existe sim muito equipamento de treino para o atleta ser a máquina.  Parece ambicioso, talvez mesmo algo arrogante quando vemos estas palavras, mas a verdade é que a programação constantemente variada incidindo sobre condicionamento metabólico, ginástica e halterofilismo tem como principal objectivo transformar cada pessoa numa melhor versão de si própria.

Num ginásio evidentemente isto também é possível.  É contudo necessário saber utilizar as máquinas e convém ter o apoio e ajuda de um profissional para definir a tipologia de treino, numero de repetições e estímulos que precisamos para atingir os nossos objectivos específicos.  Um treino de perda de massa gorda nunca vai ser igual ao de uma pessoa que pretende fazer hipertrofia ou aumento da massa muscular.

Foto: Shuttershock

Num ginásio temos ainda geralmente as aulas de grupo que são excelentes para descontrair, tonificar e melhorar a nossa condição física sem grandes dificuldades. As coreografias são definidas previamente e durante um período predeterminado fazemos a mesma aula ganhando confiança nos movimentos e evoluindo dentro da mesma coreografia.  A vantagem aqui é de facto estarmos a treinar com outras pessoas (treinar sozinho não é para toda gente), não ser necessário pensar em qualquer programação específica e o facto de existir sempre um professor para puxar pela aula.

Seja na sala de musculação, seja na sala de aulas de grupo posso sempre ver o reflexo do que estou a fazer no espelho.

Numa box, simplesmente… não há espelhos. O ego fica à porta.  O objectivo do CrossFit não é o exterior, é sim aumentar a nossa capacidade e o nosso fitness. Nesse sentido, numa box temos um planeamento desenvolvido para o nosso corpo se tornar mais capaz no dia a dia.  Trabalhamos a nossa capacidade metabólica para conseguir correr mais, subir escadas, nadar, remar… trabalhamos com o nosso peso corporal movimentos de ginástica que nos vão a ajudar a ser mais ágeis no nosso dia a dia e vamos trabalhar com pesos externos para saber como levantar objectos sem colocar em risco a nossa saúde.  Uma boa programação de CrossFit vai tornar os seus atletas mais rápidos, mais ágeis, mais fortes… mais capazes e melhorar a sua vida.  A programação não incide especificamente sobre uma único objectivo (aumentar o glúteo para o verão por exemplo), mas vai sim abordar o nosso corpo como um todo.

Foto: Shuttershock

O treino de CrossFit é constantemente variado ou seja, estamos sempre a trazer estímulos novos ao nosso corpo e nunca nos aborrecemos.  A desvantagem é que não estamos sempre a fazer aquilo que gostamos.  Contrariamente ao estímulo das aulas de grupo ou dos programas de ginásio onde a repetição é a base do progresso, numa box de CrossFit a evolução começa literalmente fora da nossa zona de conforto. E apesar de não existirem máquinas de treino, todo o material (incluíndo o chão e as paredes) servem para treinar. Wall Balls, Wall Climbs e pinos são apenas alguns dos exercícios em que a parede é crucial para o WOD (Workout of the day).

Contudo talvez aquilo que distingue mais um ginásio de uma box é o ambiente.  Se no ginásio o nosso treino é nosso e temos a nossa privacidade, numa box, não é propriamente assim. O treino, apesar de adaptado às capacidades de cada pessoa, é igual para todos no seu estímulo. A sensação tremenda de sentir que estamos a deixar o nosso coração no chão da box é partilhada, e a alegria incrível de acabarmos o treino em conjunto tendo cada um de nós dado o seu melhor é insuperável e nesse sentido o nosso treino é uma experiência partilhada. Uma experiência partilhada com um apoio personalizado do treinador. Podemos dizer que numa box temos o ambiente de uma aula de grupo numa experiência comparável a um treino personalizado na medida em que os exercícios são adaptados a mim e o treinador em vez de fazer o treino connosco está a observar e corrigir os seus alunos.

Por este motivo uma box é geralmente bastante mais cara que um ginásio. A qualidade e atenção a cada atleta nunca permitirá ter um numero de pessoas suficiente para uma box “low cost” ser possível (talvez integrada numa cadeia de ginásios o custo se consiga diluir, mas uma box por si só não permite a massificação do treino).

A opção entre um ginásio convencional e uma box depende inteiramente dos objectivos de cada pessoa:

Procuram trabalhar de forma muito específica determinadas partes do corpo? O ginásio poderá fazer mais sentido

O exercício físico serve apenas para mexer um pouco o corpo? Também optaria por um ginásio

O objectivo principal é melhorar a condição física e o estilo de vida?  CrossFit

A Comunidade, o ambiente e as relações humanas são essenciais? Claramente CrossFit

Apesar de, como praticante, box owner e apaixonada pelo CrossFit abordar mais as boxes do que os ginásios convencionais, a verdade é que não existe resposta correcta.  Porque o mais importante é praticar exercício físico seja onde for e sentir-se em casa onde quer que vá treinar.

Foto: Shuttershock


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter