O CrossFitter Turistando – a cultura do “drop in”

Cláudia Espirito-SantoAgosto 30, 20184min0

O CrossFitter Turistando – a cultura do “drop in”

Cláudia Espirito-SantoAgosto 30, 20184min0
O que é a cultura drop in no Crossfit? Nós explicamos e até damos algumas ideias para quando o CrossFitter vai de férias mas quer continuar a treinar!

Viajar ou treinar? É possível conciliar.

No CrossFit recorremos muito à palavra Community.   Diz o fundador do CrossFit, Greg Glassman, que nesta metodologia de treino a magia está no movimento, a arte na programação, a ciência na explicação e a diversão na Comunidade.  E de facto o CrossFitter adora o seu treino e o convívio que lhe está associado.

Dentro de uma box existe sempre um sentimento de sofrimento e conquista colectiva, uma partilha incessante de desafios ultrapassados e momentos de diversão pura em Comunidade.  Este é um dos motivos que leva o CrossFitter a regressar à sua box dia após dia, aprofundando as suas amizades e superando-se a si próprio num ambiente salutar que se transforma inevitavelmente numa segunda casa.

Não é por acaso que os praticantes desta modalidade procuram treinar também nos seus períodos de férias, quando saem da sua cidade ou do seu país.   Desde os seus primórdios a CrossFit International tem impulsionado o intercâmbio cultural e de conhecimento natural que surge da intensidade que cada pessoa aplica ao seu treino e hoje está bem enraizada a visita a boxes no período de férias, a troca de t-shirts e claro, a criação de novas amizades.

Para um CrossFitter Europeu fazer um drop in ou visitar uma box na Tailândia é uma parte integral do percurso cultural que terá naquele país. Permite conhecer residentes locais e claro receber recomendações estratégicas sobre o melhor local para degustar um Pad Thai a seguir ao treino.

Numa hora o CrossFitter tem oportunidade de manter a sua forma física, perceber como outras boxes desenvolvem os seus treinos enriquecendo o seu conhecimento da modalidade, partilhar momentos de convívio que surgem naturalmente após um grande esforço colectivo com pessoas da zona e, claro, passar o resto do dia a aproveitar as endorfinas que o “drop in” provocou.

A cultura do “drop-in” tem-se enraizado cada vez mais no desporto e hoje certos países contam mesmo com Acordos entre boxes que promovem a visita entre elas. Portugal é um excelente exemplo esta situação.  O Acordo de Boxes Afiliadas em Portugal (nem todas fazem parte) estimula os atletas das diferentes boxes a visitarem outras Boxes que fazem parte do Acordo através da oferta do primeiro drop-in e um desconto de 50% sobre o valor normal de drop in da box nas visitas subsequentes.  Várias pessoas têm aderido e feito mesmo pequenos “Box Tours” pelo país conhecendo praticantes de norte a sul e vivendo novas experiências na modalidade que os apaixona.

“Ir para fora cá dentro” é sem duvida a opção que fica mais em conta para conhecer diversas boxes diferentes, e temos sem sombra de duvida das melhores combinações de praia / box do mundo em locais como o Algarve ou mesmo Lisboa.

Não deixa de ser interessante fazer algumas sugestões que prometem tornar o CrossFit parte integrante de férias de outro estilo:

. Os Estados Unidos é o país com maior numero de boxes afiliadas.  Por exemplo, a cidade de Nova Iorque oferece experiências únicas em boxes que se adaptam ao desafio de ter um espaço onde se pode trabalhar com pesos pesados inserido num “skyscraper”.  Existe uma forte probabilidade de treinarem numa cave com ambiente único (a CrossFit Union Square é uma excelente opção central e muito “nova iorquina”)

. Se preferem férias de paria em vez de cidade, o Brasil tem uma opção única no CrossFit Guarujá que fica a duas horas de São Paulo na cidade costeira de Guarujá. É uma excelente opção para treinar e estar de “papo para o ar”

. Curiosamente bem perto de Portugal, a Itália acabou de ultrapassar o Canadá e a Austrália em numero de boxes afiliadas por isso facilmente se criam créditos para consumir com uma boa “pasta” às refeições.

. Para quem prefere destinos mais exóticos, o Médio Oriente está cada vez mais adepto desta modalidade e entre o Kuwait e Abu Dhabi é possível conhecer como uma metodologia de treino tão ocidental se exprime numa cultura substancialmente distinta.

. Finalmente para quem gostava de fazer umas férias totalmente dedicadas à modalidade, porque não fazer um WOD on the Waves Cruise de Miami às Bahamas? Com atletas de renome como Rich Froning, Chyna Cho, Brooke Wells, Dan Bailey e Josh Bridges entre outros, o Fitness promete ser extraordinário.  Não é um drop in numa box, mas é um barco totalmente dedicado ao desporto.  Para conhecer melhor o programa que vai decorrer em Janeiro de 2019 basta ir a wodonthewaves.com.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter