Conclusões após o primeiro evento de Crossfit Sancionado da Época!

Tiago OliveiraDezembro 4, 20193min0

Conclusões após o primeiro evento de Crossfit Sancionado da Época!

Tiago OliveiraDezembro 4, 20193min0
Foi na Irlanda que se deu o primeiro evento sancionado do Crossfit desta temporada... como correu? O que se passou por lá? E quem se destacou?

Nos passados dias 23, 24 e 25 ocorreu o primeiro evento Sancionado da época de 2019/2020 para os CrossFit Games. Irlanda, com o CrossFit Filthy 150, foi o centro do mundo da comunidade de fitness que adora misturar thrusters com elevações mas odeia correr. Sim, fitness é giro, mas correr é que não.

A atenção estava concentrada no lado das mulheres em Sara Sigmundsdottir, que acabara de ganhar pela segunda vez o Open mas pelo meio foi apenas marcar presença nos Games, e Samantha Brigs, a «jogar» quase em casa e uma favorita do público a quem o ano passado apurou-se de todas as formas possíveis para os Games, e no lado dos homens em Dan Bailey, que fazia o seu regresso às competições em formato Robocop depois de todas as operações que sofreu, e o enigmático russo Roman Khrennikov, que já por duas vezes se apurou para os Games e por duas vezes por problemas de visto ficou a ver pelo youtube.

Mas antes de prestações individuais, há duas curiosidades que se retiram do evento.

A primeira é que o top 20 dos homens apenas 5 são da Europa. Um é da Rússia e um outro da Austrália. Do lado das mulheres, no top 20 são 9 as europeias. Mas do 20 até ao fim da tabela são só atletas americanas. O que releva que os atletas olham agora para estes eventos com uma nova expetativa e interesse. O que só fará o desporto crescer.  Há mais altetas, principalmente americanos, a fazerem o esforço de se deslocarem até à europa pelos prémios monetários e conseguirem o apuramento para os Games.

A segunda é que o CrossFit pode estar a deslocar-se no seu escalão etário para idades mais novas. Os benjamins começam a aparecer mais frequentemente. Se olharmos para a história (recente), os atletas e os vencedores dos Games sempre foram altetas que na sua maturidade andavam nos 24 anos para cima. Mas algo pode estar a mudar. Aqui e ali, principalmente no lado das mulheres, havia intromissões. Lauren Fischer primeiro, Maddy Myers a seguir, e depois Brooke Wells.

O ano passado vimos Haley Adams que chega ao top 10 em 2019 com menos de 19 anos sem idade para conduzir ou ter entrado na faculdade. Mas Irlanda viu o primeiro homem com menos de 20 anos a lutar de igual com veteranos. Justin Medeiros atravessou o Atlântico com um penteado à lá MacGyver para ganhar o primeiro evento sancionado da época.

Lauren Fischer (Foto: Getty Images)

Serão estas intromissões eventos isolados? O desvio Padrão da regra, ou com o crescimento do desporto continuaremos a ver cada vez atletas mais novos nos grandes eventos?

Conversas à parte, CrossFit é desafios, desafios são os WODs, então uma sugestão do CrossFit Filthy 150:

21-15-9 de Bar Muscle Ups e Back squat com 90kg/60 kg

Muscle Ups – de posição em suspensão na barra ficar em apoio no topo;

Back Squat – com a barra em apoio nas costas, agachar abaixo da paralela e voltar à posição ereta.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter