La Vuelta 2018: 6 equipas que têm tudo para vencer

Davide NevesAgosto 23, 20183min0

La Vuelta 2018: 6 equipas que têm tudo para vencer

Davide NevesAgosto 23, 20183min0
6 equipas com muito talento, cheias de potencial e com objetivos únicos. Mas todos pensam no mesmo: vencer a Vuelta. O Fair Play apresenta algumas das equipas para a Vuelta a Espanha.

A menos de 48 horas para o início da Volta à Espanha, as equipas são oficiais (e tivemos uma grande desistência de última hora, com Landa a não poder correr a Vuelta) e está tudo a postos para a 3º grande volta do ano! Assim, o Fair Play escolheu seis equipas que têm tudo para conseguir levar a camisola vermelha de líder para casa (ou até mais!).

BMC

A equipa chega à sua última grande volta com 8 escolhas muito interessantes: a equipa é constituída por Richie Porte, Brent Bookwalter, Alessandro de Marchi, Rohan Dennis, Nicolas Roche, Joey Rosskopf, Dylan Teuns e Francisco Ventoso. Uma equipa bem equilibrada e ciente num objetivo único: levar Richie Porte à vitória. O australiano terá ao seu lado nos terrenos mais difíceis Nicola Roche e os dois americanos Bookwalter e Rosskopf. Já Rohan Dennis deverá ter um papel mais livre, de forma a corresponder às expetativas de muitos de que o australiano poderia ser um candidato a grandes voltas.

MOVISTAR

Apesar de Mikel Landa não estar presente, a equipa espanhola continua a levar aquela que é, porventura, a equipa com mais “star power” da Vuelta. Nairo Quintana, Andrey Amador, Winner Anacona, Daniele Bennati, Richard Carapz, Imanol Erviti, Nélson Oliveira e Alejandro Valverde formam uma equipa com múltiplas opções de ataque e com um objetivo simples: vencer a Vuelta. Richard Carapaz entra na equipa como um substituto de Landa. Depois do grande Giro, será que o equatoriano consegue voltar a levar a camisola dos jovens para casa?

ASTANA

A Astana chega à Vuelta com resultados interessantes em 2018. O terceiro lugar de Miguel Angel Lopez no Giro e as duas vitórias no Tour deram bons indícios para o futuro da equipa. Composta por Miguel Angel Lopez, Pello Bilbao, Dario Cataldo, Omar Fraile, Jan Hirt, Nikita Stalnov, Davide Villella e Andrey Zeits, a Astana pode sonhar alto.

SKY

Michal Kwiatkowski, Sérgio Henao, David de la Cruz. Três enormes líderes, aos quais se juntam Jonathan Castroviejo, Pavel Sivakov, Dylan van Baarle, Tao Geoghan Hart e Salvatore Puccio. A Sky vem defender a Vuelta conquistada por Chris Froome e tentar 5 Grandes Voltas consecutivas, algo único e especial. Mesmo sem Froome ou Thomas, o Céu é o limite.

MICHTELTON-SCOTT

Dois Yates, Albasini, Damien Howson, Edmonsson, Jack Haig, Mezgec e o campeão da europa Mateo Trentin. É esta a equipa da Michtelton para a Vuelta, recheada de categoria para a montanha, mas também para a luta feroz para os sprints, com Trentin a competir com Peter Sagan ou Elia Viviani. É o tudo ou nada para a Scott, depois de um Giro perdido quase no fim e de um Tour muito fraco.

BORA-HANSGROHE

Sempre no centro das atenções, a Bora vai tentar lutar pela Volta a Espanha.

O Tricampeão do mundo vai à Vuelta e lidera uma equipa de luxo! Com Peter “#Ask” Sagan vão os alemães Buchmann, Burghardt e Scwharzmann, o polaco Rafal Majka, o italiano Davide Formolo, o austríaco Postleberger e o australiano Jay McCarthy. Muito luxo, numa equipa bem completa e equilibrada, que pode lutar por todas as camisolas disponíveis.

 

 


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter