Campeonato da Europa de Andebol 2022: os guarda-redes de Portugal

Bernardo GalanteJaneiro 10, 20223min0

Campeonato da Europa de Andebol 2022: os guarda-redes de Portugal

Bernardo GalanteJaneiro 10, 20223min0
Análise de Bernardo Galante sobre os guardiões convocados por Paulo Pereira para disputarem o Campeonato da Europa de Andebol 2022

Em 2020, Portugal voltou a marcar presença nas grandes competições de seleções de andebol e, precisamente, num Campeonato da Europa – atingindo um prestigioso 6º lugar – com Alfredo Quintana (histórico guardião que nos deixou de forma precoce, recentemente), Humberto Gomes (afastado dos compromissos internacionais) e, na altura, o jovem Gustavo Capdeville a proteger as redes lusitanas. O trio de guardiões repetir-se-ia para o Mundial de 2021 (onde Portugal apenas foi derrotado pela Noruega e pela França), contudo um trágico acidente retiraria um dos melhores guarda redes do mundo das nossas vidas – falamos de Alfredo Quintana – a meses da Qualificação para os Jogos Olímpicos.

A partir da qualificação para Tóquio apenas Gustavo Capdeville foi uma constante na convocatória, sendo o único que se mantém até aos dias de hoje de forma constante na lista do selecionador português Paulo Pereira, isto porque Humberto Gomes aos 43 anos deixou a seleção.

Na lista de pré-convocados para o Campeonato da Europa figuravam cinco guarda redes, entre eles os quais se encontravam os seguintes nomes: Manuel Gaspar (Sporting CP), Gustavo Capdeville (SL Benfica), Miguel Espinha Ferreira (Cesson-Rennes), Humberto Gomes (Póvoa AC) e Diogo Valério (VfL Gummersbach).

Numa altura em que Humberto Gomes diz adeus à seleção nacional e Diogo Valério é excluído, devido a opção técnica, os eleitos de Paulo Jorge Pereira são Gustavo Capdeville (SL Benfica), Manuel Gaspar (Sporting CP) e Miguel Espinha Ferreira (Cesson-Rennes). “Sabia que esse dia da renovação tinha de chegar. Faz parte da renovação natural e, depois de uma conversa com o Paulo Jorge Pereira, comuniquei a decisão que penso ter sido a melhor. Já tenho idade, foi uma decisão simples de tomar”, salientou o guardião Humberto Gomes em declarações ao Jornal A Bola.

Gustavo Capdeville é o mais internacional dos três guardiões selecionados, sendo que conta com 25 internacionalizações contra 9 de Manuel Gaspar, perante a estreia oficial de Miguel Espinha Ferreira entre os convocados da seleção portuguesa. Capdeville é um guarda-redes com toda a sua formação realizada no Sport Lisboa e Benfica, porém, conta com dois empréstimos enquanto sénior ao serviço do Madeira SAD entre 2017 e 2019.

Manuel Gaspar de 23 anos, é o guarda-redes mais utilizado por Ricardo Costa no Sporting CP com 24 jogos realizados e 5 golos apontados ao serviço dos leões, até ao momento. Ingressou no clube de Alvalade em 2014 proveniente do União e Progresso e, até ao momento, conquistou por uma vez a Taça Challenge e sagrou-se por duas vezes campeão nacional pelos “leões” no andebol.

Miguel Espinha Ferreira é sobrinho de um guarda-redes de futebol internacional A português e com uma passagem pelo FC Porto, Pedro Espinha. Miguel, guarda-redes de andebol realizou toda a sua formação no Sport Lisboa e Benfica, instituição a que esteve ligado durante 18 épocas. Na época transata, transferiu-se para o CB Cangas de Espanha, onde realizou uma temporada soberba, o que lhe valeu uma outra mudança, desta feita para os franceses do Cesson-Rennes que milita na Liqui Moly StarLigue, a 1ª Divisão Francesa. Atualmente, o Rennes encontra-se na 9ª posição a 2 pontos dos lugares de acesso às competições europeias.

“Contudo, de forma a reduzir a lista de 20 para 18 atletas, Miguel Espinha Ferreira acabou por ser um dos dois nomes excluídos pelo selecionador Paulo Jorge Pereira.”


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter