Mundial de Ralis 2019

Francisco da SilvaJaneiro 20, 20196min0

Mundial de Ralis 2019

Francisco da SilvaJaneiro 20, 20196min0
Final de Janeiro marca o início da temporada desportiva no Mundial de Ralis. Em 2019, emoção e imprevisibilidade não irão faltar nos asfaltos e gravilhas do campeonato. Conheça as 4 equipas que disputam uma das competições automobilísticas mais apaixonante.

TOYOTA GAZOO RACING WRT

Após uma prolongada ausência, o regresso da Toyota ao WRC não podia ter sido melhor. Na segunda temporada desde o hiato, a equipa liderada por Tommi Mäkinen conquistou o título mundial de construtores categoricamente e, só não foi mais longe, pois vários problemas assolaram Ott Tänak, caso contrário, podíamos estar perante o novo campeão mundial de ralis. Sem sombra de dúvidas que o estónio veio incrementar a qualidade e andamento do Yaris ao longo da temporada, tendo sido o grande dominador na parte final do mundial. Na equipa japonesa mantém-se a aposta na experiência e velocidade de Jari-Matii Latvala, que desde o início acompanha Tommi Mäkinen, e há ainda que destacar o regresso à competição de Kris Meeke, um dos pilotos mais rápidos e irregulares de ralis. Quiçá a sabedoria e tranquilidade de Tommi Mäkinen não permita ao norte irlandês superar a sua inconstância e formar com Tänak e Latvala a melhor esquadra de pilotos do mundial de ralis.

Diretor da equipa: Tommi Mäkinen.

Formação de pilotos: Jari-Matti Latvala e Miikka Anttila (full time); Ott Tänak e Martin Järveoja (full time); Kris Meeke e Sebastian Marshall (full time).

Toyota Yaris WRC 2019 | Fonte: WRC

HYUNDAI SHELL MOBIS WRT

A Hyundai é constantemente o construtor que tem o melhor carro da competição, porém, a sua formação de pilotos não tem aproveitado a performance do i20 para catapultar os resultados individuais e coletivos. Nunca como em 2018 Thierry Neuville esteve tão perto de conquistar o ceptro de campeão mundial, contudo, uma reta final muito pobre tirou-lhe o sonho de registar o seu nome nos livros de história do rali. A participação sólida em part-time de Dani Sordo foi talvez a única efeméride positiva da marca coreana que em 2019 promete voltar a atacar a liderança desde o primeiro momento. Para tal, o construtor coreano reforçou a sua equipa com a lenda Sébastien Loeb que, apesar de participar somente em alguns ralis, irá trazer muito conhecimento para dentro das oficinas da Hyundai. Nota ainda para a manutenção de Andreas Mikkelsen como piloto em full-time, uma prova inequívoca da confiança que a marca tem no potencial do norueguês.

Diretor da equipa: Andrea Adamo.

Formação de pilotos: Thierry Neuville e Nicolas Gilsoul (full time); Andreas Mikkelsen e Anders Jaeger (full time); Dani Sordo e Carlos Del Barrio (part-time); Sébastien Loeb e Daniel Elena (part-time).

Hyundai i20 WRC 2019 | Fonte: WRC

M-SPORT FORD WRT

Malcolm Wilson deixou de ser o diretor da equipa e delegou essa tarefa a Richard Millener, que terá uma tarefa hercúlea à frente da formação britânica. Primeiramente, a M-SPORT sobrevive graças ao negócio de venda dos seus R5 e, não tendo qualquer grande patrocinador além da Ford, terá de ser extremamente eficiente para conseguir disputar vitórias no mundial de ralis. Por outro lado, a saída de Sébastien Ogier deixa um enorme vazio que não foi devidamente preenchido. O piloto principal será o galês Elfyn Evans, jovem regular e com um bom andamento mas ainda muito distante dos principais pilotos das equipas adversárias, que terá a companhia de Teemu Suninen, um piloto finlandês talentoso mas com poucos resultados em 2018, por último, Pontus Tidemand participará somente nalguns ralis por forma a avaliar se o sueco consegue ter o mesmo rendimento que teve no WRC2. Sem dúvida que 2019 será o ano zero para a formação M-SPORT, mas tudo pode acontecer nas imprevisibilidades do asfalto e da gravilha.

Diretor da equipa: Richard Millener.

Formação de pilotos: Elfyn Evans e Daniel Barritt (full time); Teemu Suninen e Mikko Markkula (full time); Pontus Tidemand e Ola FlØene (part-time).

Ford Fiesta WRC 2019 | Fonte: WRC

CITROËN TOTAL WRT

Pierre Budar mantém-se à frente da equipa gaulesa, porém, as mudanças são imensas e prometem deixar a marca do duplo Chevron extremamente competitiva e mais próxima de conquistar vitórias, isto depois de uma temporada de 2018 completamente para esquecer. Desde logo a esquadra de pilotos foi totalmente renovada e melhorada significativamente em relação à temporada transata, primeiramente com a adição do campeão em título, Sébastien Ogier, um piloto extremamente competente, regular e que potencia muito o desenvolvimento do carro, mas também pela contratação sonante de Esapekka Lappi, um dos melhores novos talentos do mundial de ralis e que tem surpreendido pela sua rapidez e irreverência. Em 2019, a Citroën está completamente em all-in e promete voltar a dar espetáculo na gravilha e nos asfaltos do mundo com o seu novo C3, deixando finalmente a cauda do pelotão em termos coletivos, o que não dignifica nada a história da marca francesa nesta competição.

Diretor da equipa: Pierre Budar.

Formação de pilotos: Sébastien Ogier e Julien Ingrassia (full time); Esapekka Lappi e Janne Ferm (full time).

Citroën C3 WRC 2019 | Fonte: WRC

CALENDÁRIO WRC 2019

Prova 1: Rali de Monte-Carlo, 24 a 27 de Janeiro

Prova 2: Rali da Suécia, 14 a 17 de Fevereiro

Prova 3: Rali do México, 7 a 10 de Março

Prova 4: Rali da Córsega, 28 a 31 de Março

Prova 5: Rali da Argentina, 25 a 28 de Abril

Prova 6: Rali do Chile, 9 a 12 de Maio

Prova 7: Rali de Portugal, 30 de Maio a 2 de Junho

Prova 8: Rali da Sardenha, 13 a 16 de Junho

Prova 9: Rali da Finlândia, 1 a 4 de Agosto

Prova 10: Rali da Alemanha, 22 a 25 de Agosto

Prova 11: Rali da Turquia, 12 a 15 de Setembro

Prova 12: Rali do País de Gales, 3 a 6 de Outubro

Prova 13: Rali da Catalunha, 24 a 27 de Outubro

Prova 14: Rali da Austrália, 14 a 17 de Novembro


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter