Vitória Futebol Clube – De volta aos grandes palcos

João de MatosOutubro 19, 20193min0

Vitória Futebol Clube – De volta aos grandes palcos

João de MatosOutubro 19, 20193min0
Depois de 14 anos de interregno o andebol do histórico clube de Setúbal, está de volta à ao Campeonato de Andebol 1 de Portugal. O clube sadino, já tinha como objetivo a subida à divisão principal de andebol.
Overview
Depois de 14 anos de interregno o andebol do histórico clube de Setúbal, está de volta à ao Campeonato de Andebol 1 de Portugal. O clube sadino, já tinha como objetivo a subida à divisão principal de andebol.
0%
Summary

Depois de 14 anos de interregno o andebol do histórico clube de Setúbal, está de volta à ao Campeonato de Andebol 1 de Portugal. O clube sadino, já tinha como objetivo a subida à divisão principal de andebol.

Overall score 0%
0 min100

Depois de 14 anos de interregno o andebol do histórico clube de Setúbal, está de volta à ao Campeonato de Andebol 1 de Portugal.

O clube sadino, já tinha como objetivo a subida à divisão principal de andebol, tendo nas últimas 3 épocas, passando sempre a fase regular, e caindo nas fases finais nunca, deste modo, nunca conquistando a vaga de subida. O plantel atual do Vitória, é constituído por 23 jogadores, uma equipa jovem, com a media de idades a rondar os 23 anos. Com muitos jogadores que conhecem bem a casa, que fizeram praticamente toda a sua formação no clube, e juntando a eles jogadores experientes, como o reforço argelino Kimouche Abdellah, lateral com 2mts de altura, e mais de 100kg, um verdadeiro poço de força, e André Praxedes, pivot de 30 anos, com mais de 15 anos de casa.

Toda a equipa já tem bem entrosada o modelo de jogo, e o sentimento de ser do Vitória, pois muitos dos atletas jogam juntos desde o escalão de iniciados, e conhecem-se muito bem, a eles, às famílias deles, pois é um clube bastante familiar e com muita tradição no andebol. Caso de Gonçalo Valério, ponta direita que já está no clube desde os infantis, deu o salto quando em juniores tentou a sorte, noutro clube de Lisboa, o Sporting Clube de Portugal, duas épocas passaram e mudou-se para o rival da 2ª circular, o Sport Lisboa e Benfica, onde conquistou o campeonato nacional de Juniores da 1ª divisão, teve passagens internacionais, mais concretamente em França, no Angers e no Billère. Agora, volta a casa, para atingir objetivo da época, que será certamente a manutenção na 1ª divisão, e consequentemente indo época após época, subindo o paradigma e o crescimento do clube, que tem como casa o Pavilhão António Vielge, que foi todo remodelado há cerca de 2 anos, tendo umas boas condições para receber os grandes jogos que terá ao longo da época contra equipas mais cimeiras do campeonato de andebol 1, como FC Porto, Sporting CP e SL Benfica.

zerozero.pt

No campeonato o Vitória encontra-se na 13º posição acima do Artística de Avanca, último classificado. O Vitória certamente, e feita a sua realidade, não vai estar presente no grupo A da fase final, grupo esse que irá apurar o campeão nacional da prova, com isso, podemos afirmar que o campeonato do Vitória irá “começar” na segunda metade da época, quando estiver a lutar pela permanência no campeonato nacional. Uma boa estratégia para os pupilos de Luís Monteiro, seria nessa fase inicial da época, encararem como uma aprendizagem, de muito estudo das equipas adversarias e dos seus principais adversários, na luta pela permanência, como é o caso do já referido, último classificado, Avanca, o próprio Boavista, e o clube insular, o Sporting Clube da Horta, que subiu juntamente com o Vitoria à 1ª divisão.

zerozero.pt

E na segunda metade de época, com o incansável apoio dos setubalenses, fazer da sua casa uma verdadeira muralha, e um recinto nada simpático para se ir jogar, e “roubar” muitos pontos, às restantes equipas do grupo B, e por sua vez conseguirem o tão esperado objetivo que é a permanência na 1ª divisão do Campeonato de Andebol 1.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter