Memórias de uma “arena” de conflito: o Estádio Maksimir


Memórias de uma “arena” de conflito: o Estádio Maksimir

Foi no recinto mítico que deram-se grandes fagulhas de tensão que ajudariam no intensificar do conflito jugoslavo. Um relembrar do estádio Maksimir pela Enciclopédia do Desporto em Português

O estádio Maksimir foi um dos principais palcos da história da independência da Croácia. Foi no campo do Dinamo Zagreb que ocorreram três episódios que contribuíram para o elevar da tensão e da violência que terminou com o desmembramento da Jugoslávia.

13 de Maio de 1990 – Dinamo Zagreb vs Estrela Vermelha

Faltava pouco mais de um mês para acontecerem as primeiras eleições livres na então, Republica Socialista da Croácia (22 e 23 de Abril), que iriam marcar para sempre a história da independência do país. A Zagreb deslocaram-se cerca de 3000 adeptos do Estrela Vermelha (Delije) liderados por Željko Ražnatović, mais conhecido por “Arkan”, também foi líder da Guarda Voluntária Sérvia.

Todo o dia foi marcado por confrontos entre a claque de Estrela Vermelha e os Bad Blue Boys, claque de apoio do Dinamo Zagreb. Já no estádio as provocações eram mais que muitas, com os adeptos do Estrela Vermelha a cantar “Zagreb é Sérvia” e “Nós vamos matar o Tuđman” (Tuđman, tornou-se o primeiro presidente da República da Croácia no dia 30 de Maio de 1990).

A tensão dentro do estádio começou a aumentar cada vez mais, e a polícia foi incapaz de conter os adeptos croatas e a batalha passou das bancadas para o relvado e o jogo interrompido. Foi neste jogo que Zvonimir Boban chegou ao estatuto de herói nacional após ter atacado a polícia jugoslava para defender um adepto croata que estava a ser agredido pela polícia. Resultado final, 60 pessoas ficaram feridas num jogo de futebol onde houve tiros, facadas e o uso de gás lacrimogéneo.

No final da época, os clubes croatas e eslovenos saem definitivamente do campeonato da Jugoslávia, e no ano seguinte os clubes da Macedónia também abandonam a liga. Em 1992 são criadas as ligas nacionais da Croácia e da Eslovénia.

3 de Junho de 1990 – Jugoslávia 0-2 Holanda

Dez anos após a morte do presidente vitalício jugoslavo Josip Broz Tito, a Jugoslávia foi desestabilizada por crescentes tensões étnicas. O país estava fazendo a transição do seu sistema de governo do sistema comunista de partido único para o sistema multipartidário democrático.

As primeiras eleições parlamentares da Croácia realizaram-se de 22 de abril a 7 de maio de 1990, com a União Democrática Croata nacionalista de direita (HDZ), liderada por Franjo Tuđman, ganhando uma onda esmagadora.

A Jugoslávia e Holanda defrontaram-se num jogo de preparação para o Campeonato do Mundo de 1990 no Estádio Maksimir em Zagreb. A seleção da Jugoslávia “supostamente” a jogar em casa foi brindada com uma assobiadela monumental enquanto tocava o hino da Jugoslávia.

Os golos da Holanda foram celebrados como se estivesse a jogar em casa e durante o jogo os adeptos locais gritavam “Olé” enquanto os holandeses trocavam a bola. Curiosamente a disposição das cores da bandeira da Holanda e a da Croácia têm a mesma disposição (vermelho; branco e azul), ao contrário da bandeira da Jugoslávia (azul; branco e vermelho), ou seja, os croatas compareceram em massa com bandeiras da Croácia para apoiar os holandeses.

13 de Outubro de 1990 – Croácia 2-1 Estados Unidos da América

No dia 26 de setembro de 1990, algumas semanas após o início temporada da Liga da Jugoslavia, outro incidente eclodiu, desta vez em Split. O jogo em casa do Hajduk Split contra o Partizan, no Estádio Poljud, foi cancelado depois que os adeptos do Hajduk invadirem o campo, expulsaram os jogadores do Partizan, derrubaram a bandeira jugoslava do mastro oficial e a queimaram.

Cerca de 30.000 espetadores compareceram no estádio Maksimir para assistir ao primeiro jogo da seleção da Croácia.  A partida foi marcara para à mesma hora da final do Campeonato da Europa sub-21 entre a União Soviética e a Jugoslávia. Apesar da Croácia não poder contar com jogadores importantes, tais como, Zvonimir Boban, Davor Šuker, Robert Jarni, Igor Štimac, Robert Prosinečki e Alen Bokšić, que estavam ao serviço dos Sub-21 da Jugoslávia, mesmo assim derrotou os norte-americanos por 2-1. Ao mesmo tempo a Jugoslávia perdia na Crimeia por 3-1.

O jogo marcou também a estreia da camisa xadrez da seleção croata, desenhada por Miroslav Šutej, que também projetou a moderna bandeira da Croácia e as notas para a kuna croata.

Nem só de lágrimas de tragédia é feita a história do Maksimir, também houve lágrimas de alegria e felicidade.

O xadrez ante os States (Foto: Getty Images)

Dinamo Zagreb 2-0 Leeds – Final da Taça das Cidades com Feira 1967

Uma vitória por 2-0 no Maksimir sobre o Leeds United e um empate no Ellen Road a zero fizeram do Dínamo Zagreb o primeiro clube da Jugoslávia a vencer uma competição a nível europeu.

Na época anterior o Partizan havia perdido a final da Taça dos Campeões para o Real Madrid. Passados 24 anos após esta conquista jugoslava, o Estrela Vermelha voltou a trazer a glória europeia para o país e venceu a Taça dos Campeões Europeus em 1991.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter