A histórica viagem do Liverpool FC à antiga Jugoslávia em 1936


A histórica viagem do Liverpool FC à antiga Jugoslávia em 1936

No século XX o Liverpool visitou a Jugoslávia onde teve uma vida complicada por emblema que entretanto acabou e recomeçou. Conhecias este episódio dos Reds?

O Liverpool um dos clubes mais importantes do Reino Unido viajou até ao Reino da Jugoslávia em 1936, participou em três jogos, o saldo foi de uma vitória e duas derrotas.

O primeiro jogo realizou-se no dia 17 de Maio de 1936, uma verdadeira febre pelo futebol percorreu a cidade de Zagreb com a chega do Liverpool à cidade. Apesar da chuva intensa que caiu durante dois dias antes do jogo e só parou duas horas antes da partida, o Estádio “Konkordije” (Concordia) estava completamente cheio e foram batidos todos os recordes de assistência que existiam até então – 12 mil espectadores.

O Liverpool chegou a Zagreb com todo o esplendor por ser um dos principais clubes do “berço do futebol”. Ao contrário dos jogadores do Građanski Zagreb, que tinham outros empregos para além do futebol, a equipa do Liverpool eram todos profissionais de futebol. Apesar da equipa do Liverpool ser mais forte e ágil que o adversário, a vitória foi para os amadores do Građanski que venceram o jogo por 5-1.

No final de 1936, o Građanski Zagreb realizou um “Tour” pelo Reino Unido, jogaram cinco partidas – nos primeiros jogos perderam contra o Liverpool (4-1); Doncaster Rovers (6-4); o grande resultado foi o empate em Edimburgo contra o Hearts (4-4); Voltaram a ser derrotados pelo o Wolves (4-2) e o último jogo em Londres terminou em derrota contra o West Ham (1-0). Apesar de não terem ganho nenhum jogo a imprensa inglesa elogiou a equipa croata por utilizar na perfeição o típico sistema inglês – o WM.

Quatro dias mais tarde, 21 de Maio, novo espectáculo de futebol, desta vez na capital do Reino. O Liverpool derrotou o Beogradski SK por 2-0. Ao contrário do que aconteceu no jogo em Zagreb, o treinador inglês elogiou o trabalho do juiz, afirmou que foi isento e imparcial ao contrário do arbitro de Zagreb, que após o final do jogo deu saltos de alegria com a vitória dos croatas.

Três dias mais tarde, o Liverpool e a equipa de Belgrado voltam a medir forças no mesmo local, mas desta vez a festa dos habitantes de Belgrado que observaram a sua equipa derrotar o Liverpool por 3-2.

Os anfitriões foram os melhores em campo e já com a experiência do jogo anterior, jogaram um futebol mais calmo e utilizaram o seu talento para levar a melhor sobre os ingleses. Logo ao segundo minuto o Liverpool prometia não dar grandes chances e cedo se adiantou no marcador, o golo foi da autoria de Alf Hanson.

Mas passado dez minutos veio a primeira explosão de alegria em Belgrado, Djordje Vujadinovic desviou a bola para dentro da baliza do adversário. Mousa e Vojin Bozovic fizeram o segundo e terceiro golo para o Beogradski SK.

O Liverpool voltou a marcar desta vez por Berry Nieuwenhuys aos 76 minutos e os ingleses reduziram para a diferença mínima, mas os jugoslavos cerraram os dentes e com grande espírito de combate conseguiram travar as tentativas do Liverpool em voltar a marcar.

Na comitiva do Liverpool que viajou até ao Reino da Jugoslávia, estava Sir Matt Busby, que mais tarde ficou conhecido por ter sido o treinador do Manchester United durante 25 anos. Foi um dos sobreviventes do desastre aéreo de Munique de 1958, ironicamente o avião fazia a viagem entre Belgrado e Manchester.

Quem era este Građanski Zagreb

Atualmente o nome do Građanski Zagreb é completamente desconhecido na história do futebol europeu apesar de ter participado na Mitropa e ter sido campeão por cinco vezes da Jugoslávia.

O clube foi extinto em 1945 pelo o novo governo socialista da Jugoslávia que tomou a decisão de banir todos os clubes que estiveram envolvidos com as forças colaboracionistas da ocupação da Jugoslávia.

O Građanski participou na liga do Estado Independente da Croácia (ao contrário do Hajduk Split), governo fantoche da Alemanha Nazi controlado pelos fascistas da Ustaše. Nesse mesmo ano de 1945, foi fundado o Dinamo Zagreb e teve o direito a utilizar as instalações desportivas do Građanski e absorveu a maior parte dos jogadores.

Em 2000, o Dinamo Zagreb de forma a reclamar para si o legado do antigo clube adotou um símbolo novo bastante semelhante ao do Građanski.


Entre na discussão


Quem somos

É com Fair Play que pretendemos trazer uma diversificada panóplia de assuntos e temas. A análise ao detalhe que definiu o jogo; a perspectiva histórica que faz sentido enquadrar; a equipa que tacticamente tem subjugado os seus concorrentes; a individualidade que teima em não deixar de brilhar – é tudo disso que é feito o Fair Play. Que o leitor poderá e deverá não só ler e acompanhar, mas dele participar, através do comentário, fomentando, assim, ainda mais o debate e a partilha.


CONTACTE-NOS



newsletter